Vítimas da maior onda de ataques criminosos ainda sofrem com prejuízos

EM BUSCA DE UM RECOMEÇO

Vítimas da maior onda de ataques criminosos no Ceará ainda sofrem com prejuízos

Eles tiveram a vida transformada depois dos ataques. s dois ataques criminosos aconteceram no Bairro Barroso, em Fortaleza

Por TV Jangadeiro em Jornal Jangadeiro

5 de abril de 2019 às 16:54

Há 2 meses
Ataques criminosos ocorreram há cerca de três meses (FOTO: Reprodução/TV Jangadeiro)

Ataques criminosos ocorreram há cerca de três meses (FOTO: Reprodução/TV Jangadeiro)

Quase três meses depois da maior onda de ataques que marcou a história do estado, o Jornal Jangadeiro mostra como está a situação de duas das várias vítimas que foram alvos das ações dos criminosos. Eles tiveram a vida completamente transformada depois dos ataques.

Antônio Lima trabalhava como motorista do próprio caminhão. Fazia fretes, quando teve o veículo incendiado. Quase tudo foi perdido. Até agora, ele conseguiu através de doações trocar a marcha e o motor, mas o veículo continua parado. “Começou a vaquinha virtual, e muita gente se sensibilizou para ajudar”.

Gleider Galvão é vocalista da banda de forró Fubá de Milho. O ônibus dele e todos os equipamentos da banda foram destruídos. Um prejuízo de milhões de reais. “Perda total, foi feita a perícia, não se recuperou nada. Não aproveitou nada”.

Os dois ataques criminosos aconteceram no Bairro Barroso, em Fortaleza. Agora, tanto Antônio quanto Gleider estão desempregados e buscam um novo recomeço. “Eu estou precisando mesmo é de um serviço, de um trabalho”, relata Antônio. “Tenho meu sonho de recuperar o meu ônibus e todo o meu equipamento que foi perdido, porque eu não vou desistir. Não desisti quando não tinha nada, imagina agora, que eu consegui e perdi”, acrescenta Gleider Galvão.

Confira todos os detalhes na reportagem do Jornal Jangadeiro, da TV Jangadeiro/SBT:

Publicidade

Dê sua opinião

EM BUSCA DE UM RECOMEÇO

Vítimas da maior onda de ataques criminosos no Ceará ainda sofrem com prejuízos

Eles tiveram a vida transformada depois dos ataques. s dois ataques criminosos aconteceram no Bairro Barroso, em Fortaleza

Por TV Jangadeiro em Jornal Jangadeiro

5 de abril de 2019 às 16:54

Há 2 meses
Ataques criminosos ocorreram há cerca de três meses (FOTO: Reprodução/TV Jangadeiro)

Ataques criminosos ocorreram há cerca de três meses (FOTO: Reprodução/TV Jangadeiro)

Quase três meses depois da maior onda de ataques que marcou a história do estado, o Jornal Jangadeiro mostra como está a situação de duas das várias vítimas que foram alvos das ações dos criminosos. Eles tiveram a vida completamente transformada depois dos ataques.

Antônio Lima trabalhava como motorista do próprio caminhão. Fazia fretes, quando teve o veículo incendiado. Quase tudo foi perdido. Até agora, ele conseguiu através de doações trocar a marcha e o motor, mas o veículo continua parado. “Começou a vaquinha virtual, e muita gente se sensibilizou para ajudar”.

Gleider Galvão é vocalista da banda de forró Fubá de Milho. O ônibus dele e todos os equipamentos da banda foram destruídos. Um prejuízo de milhões de reais. “Perda total, foi feita a perícia, não se recuperou nada. Não aproveitou nada”.

Os dois ataques criminosos aconteceram no Bairro Barroso, em Fortaleza. Agora, tanto Antônio quanto Gleider estão desempregados e buscam um novo recomeço. “Eu estou precisando mesmo é de um serviço, de um trabalho”, relata Antônio. “Tenho meu sonho de recuperar o meu ônibus e todo o meu equipamento que foi perdido, porque eu não vou desistir. Não desisti quando não tinha nada, imagina agora, que eu consegui e perdi”, acrescenta Gleider Galvão.

Confira todos os detalhes na reportagem do Jornal Jangadeiro, da TV Jangadeiro/SBT: