Rosier Alexandre: "Insatisfação é um convite à mudança"

QUAL O SEU EVEREST?

Rosier Alexandre: “Insatisfação é um convite à mudança”

O planejamento e estabelecimento de metas e objetivos só depende de você. O custo é uma folha de papel, uma caneta e um pouco de tempo

Por Tribuna do Ceará em Rosier Alexandre

18 de março de 2019 às 11:08

Há 1 mês

Caro leitor, talvez neste momento que você está lendo este texto, pode estar sorrindo para vida e comemorando a sua felicidade ao lado da família e amigos. Eu espero que sim! Neste caso, sugiro que você compartilhe a sua felicidade e o caminho que trilhou para chegar onde está. Você pode inspirar a muitas pessoas.

Caso faça parte do time que está com o coração apertado porque está indo para um trabalho que detesta e está trocando o seu tempo por dinheiro e insatisfeito com a vida, eu te entendo plenamente. Eu também já passei por isso algum tempo atrás.

Hoje eu tenho a vida que sempre desejei. Um trabalho que eu amo e que entrega resultados efetivos aos meus clientes. Tenho uma família maravilhosa e amigos para comemorar tudo isso. Mas em um passado não muito distante, eu vivi momentos duros que me tiraram o sono. Isso durou até eu entender que eu precisava saber exatamente o que eu queria da minha vida e traçar um plano para chegar lá.

Quero te dizer que isso não tem nada a ver com dinheiro ou falta dele. O planejamento e estabelecimento de metas e objetivos só depende de você. O custo é uma folha de papel, uma caneta e um pouco de tempo.

Alguns leitores me escrevem falando da dificuldade de convencer a família a apoiá-los em projetos novos. Esqueça toda ajuda externa; se o projeto é seu, quem deve tocá-lo é você. Não espere ajuda de ninguém. Quando eu anunciei que ia escalar o Everest, o primeiro incentivo que eu recebi foi de um grande amigo que me ofereceu um psiquiatra. Isso mesmo, fui tratado como louco, mas eu respeitosamente dispensei a oferta e segui em frente.

O ponto mais importante de uma jornada vencedora é saber exatamente o que você quer da sua vida, onde você quer chegar. Na ausência de metas bem definidas, o teu subconsciente vai te orientar para fazer qualquer coisa de pouca ou nenhuma utilidade e você vai ocupar o seu tempo de forma improdutiva, sem foco e sem resultados.

Eu leio muito e estudando pessoas bem sucedidas observei algumas características que são comuns a todas: elas sabem o que querem, sabem porque querem, gostam de estudar, são leitores natos, cuidam da saúde, ficam pouco tempo na frente de uma TV, são focadas e não perdem tempo reclamando ou olhando para situações negativas. Portanto, insatisfação não é um fim, mas pode ser o momento de um recomeço.

O que você fez até hoje te levou a situação que você está agora. Para chegar a uma condição diferente e melhor, você precisa de novos caminhos.

Te desejo uma excelente semana, com o meu abraço do tamanho do Everest.

Publicidade

Dê sua opinião

QUAL O SEU EVEREST?

Rosier Alexandre: “Insatisfação é um convite à mudança”

O planejamento e estabelecimento de metas e objetivos só depende de você. O custo é uma folha de papel, uma caneta e um pouco de tempo

Por Tribuna do Ceará em Rosier Alexandre

18 de março de 2019 às 11:08

Há 1 mês

Caro leitor, talvez neste momento que você está lendo este texto, pode estar sorrindo para vida e comemorando a sua felicidade ao lado da família e amigos. Eu espero que sim! Neste caso, sugiro que você compartilhe a sua felicidade e o caminho que trilhou para chegar onde está. Você pode inspirar a muitas pessoas.

Caso faça parte do time que está com o coração apertado porque está indo para um trabalho que detesta e está trocando o seu tempo por dinheiro e insatisfeito com a vida, eu te entendo plenamente. Eu também já passei por isso algum tempo atrás.

Hoje eu tenho a vida que sempre desejei. Um trabalho que eu amo e que entrega resultados efetivos aos meus clientes. Tenho uma família maravilhosa e amigos para comemorar tudo isso. Mas em um passado não muito distante, eu vivi momentos duros que me tiraram o sono. Isso durou até eu entender que eu precisava saber exatamente o que eu queria da minha vida e traçar um plano para chegar lá.

Quero te dizer que isso não tem nada a ver com dinheiro ou falta dele. O planejamento e estabelecimento de metas e objetivos só depende de você. O custo é uma folha de papel, uma caneta e um pouco de tempo.

Alguns leitores me escrevem falando da dificuldade de convencer a família a apoiá-los em projetos novos. Esqueça toda ajuda externa; se o projeto é seu, quem deve tocá-lo é você. Não espere ajuda de ninguém. Quando eu anunciei que ia escalar o Everest, o primeiro incentivo que eu recebi foi de um grande amigo que me ofereceu um psiquiatra. Isso mesmo, fui tratado como louco, mas eu respeitosamente dispensei a oferta e segui em frente.

O ponto mais importante de uma jornada vencedora é saber exatamente o que você quer da sua vida, onde você quer chegar. Na ausência de metas bem definidas, o teu subconsciente vai te orientar para fazer qualquer coisa de pouca ou nenhuma utilidade e você vai ocupar o seu tempo de forma improdutiva, sem foco e sem resultados.

Eu leio muito e estudando pessoas bem sucedidas observei algumas características que são comuns a todas: elas sabem o que querem, sabem porque querem, gostam de estudar, são leitores natos, cuidam da saúde, ficam pouco tempo na frente de uma TV, são focadas e não perdem tempo reclamando ou olhando para situações negativas. Portanto, insatisfação não é um fim, mas pode ser o momento de um recomeço.

O que você fez até hoje te levou a situação que você está agora. Para chegar a uma condição diferente e melhor, você precisa de novos caminhos.

Te desejo uma excelente semana, com o meu abraço do tamanho do Everest.