Flávia Castelo: "Uhuu, 'Ele está de volta"

ALDEIA GLOCAL

Flávia Castelo: “Uhuu, ‘Ele está de volta”

Não estou falando sobre a sátira alemã vendida a 19,33 euros, numa referência deliberada à ascensão de Hitler, mas parece que, como o protagonista do romance, não sabemos o que aconteceu

Por Tribuna do Ceará em Flávia Castelo

30 de novembro de 2016 às 15:25

Há 2 anos

Por Flávia Castelo

Conheci Fidel num bar em Fortaleza. Desde que foi inaugurado, não tinha erro: ele estava lá. Até que um dia eu cheguei, e nada de Fidel. Marcelo, o proprietário, disse que ele saiu a pedido de alguns clientes. Fiquei em choque. E pedi outro drink.

Fidel ia com rum, limão taiti, melado de cana e Angostura, um saborizador aromático de coquetéis. Isso mesmo, estou falando de uma bebida que levava o nome de uma das figuras mais controversas do século XX.

Mesmo depois de morto, dia 25 de novembro, o ícone da revolução cubana divide a população entre os que o amam e os que o odeiam. Como se fosse simples. E a vida não ensinasse que as pessoas não são tão dicotômicas assim. 

Essa personalidade emblemática, que deixa poucas pessoas indiferentes, ainda sacode emocionalmente Havana, o mundo, você e eu, especialmente ao considerarmos as discussões reais e virtuais que participamos tão fervorosamente.

O Secretário Geral da ONU, Ban Ki-moon, no dia seguinte ao falecimento do incansável crítico dos Estados Unidos, também não ficou calado e lembrou que “Nos debates globais nas Nações Unidas, Fidel Castro foi um grande defensor da justiça social, da proteção ao meio ambiente, do desenvolvimento sustentável e da luta contra a fome e a desnutrição”.

(Ilustração: Lui Duarte)

(Ilustração: Lui Duarte)

Mas o exemplo que destaco é o das Damas de Branco, principal movimento oposicionista ao regime castrista na ilha. Devido ao falecimento do ex-presidente, elas cancelaram, pela primeira vez em 13 anos, a marcha que realizam semanalmente contra o Governo, anunciando: “Respeitamos a dor dos demais e não vamos celebrar a morte de nenhum ser humano”.

Se a história o absolverá eu não sei dizer, mas sei que “Ele está de volta”. Não é mesmo, Marcelo? E que muito mais gente gritaria ‘Uhuu’ se eu não estivesse falando só de uma bebida.

Urbi et orbi e faça parte da ALDEIA GLOCAL em aldeiaglocal.com.br, afinal, quanto mais global, mais local.

*Flávia Castelo é Mestre em Desenvolvimento e Meio Ambiente pela Universidade Federal do Ceará e Doutora em Biotecnologia pela mesma instituição e pela Universidade de Antuérpia/Bélgica. Flávia é advogada, professora e mãe.

A coluna “Aldeia Glocal” é publicada no Tribuna do Ceará, às quartas-feiras, e vai ao ar na Rádio Tribuna BandNews (FM 101.7), às 9h10 e às 18h10.

Publicidade

Dê sua opinião

ALDEIA GLOCAL

Flávia Castelo: “Uhuu, ‘Ele está de volta”

Não estou falando sobre a sátira alemã vendida a 19,33 euros, numa referência deliberada à ascensão de Hitler, mas parece que, como o protagonista do romance, não sabemos o que aconteceu

Por Tribuna do Ceará em Flávia Castelo

30 de novembro de 2016 às 15:25

Há 2 anos

Por Flávia Castelo

Conheci Fidel num bar em Fortaleza. Desde que foi inaugurado, não tinha erro: ele estava lá. Até que um dia eu cheguei, e nada de Fidel. Marcelo, o proprietário, disse que ele saiu a pedido de alguns clientes. Fiquei em choque. E pedi outro drink.

Fidel ia com rum, limão taiti, melado de cana e Angostura, um saborizador aromático de coquetéis. Isso mesmo, estou falando de uma bebida que levava o nome de uma das figuras mais controversas do século XX.

Mesmo depois de morto, dia 25 de novembro, o ícone da revolução cubana divide a população entre os que o amam e os que o odeiam. Como se fosse simples. E a vida não ensinasse que as pessoas não são tão dicotômicas assim. 

Essa personalidade emblemática, que deixa poucas pessoas indiferentes, ainda sacode emocionalmente Havana, o mundo, você e eu, especialmente ao considerarmos as discussões reais e virtuais que participamos tão fervorosamente.

O Secretário Geral da ONU, Ban Ki-moon, no dia seguinte ao falecimento do incansável crítico dos Estados Unidos, também não ficou calado e lembrou que “Nos debates globais nas Nações Unidas, Fidel Castro foi um grande defensor da justiça social, da proteção ao meio ambiente, do desenvolvimento sustentável e da luta contra a fome e a desnutrição”.

(Ilustração: Lui Duarte)

(Ilustração: Lui Duarte)

Mas o exemplo que destaco é o das Damas de Branco, principal movimento oposicionista ao regime castrista na ilha. Devido ao falecimento do ex-presidente, elas cancelaram, pela primeira vez em 13 anos, a marcha que realizam semanalmente contra o Governo, anunciando: “Respeitamos a dor dos demais e não vamos celebrar a morte de nenhum ser humano”.

Se a história o absolverá eu não sei dizer, mas sei que “Ele está de volta”. Não é mesmo, Marcelo? E que muito mais gente gritaria ‘Uhuu’ se eu não estivesse falando só de uma bebida.

Urbi et orbi e faça parte da ALDEIA GLOCAL em aldeiaglocal.com.br, afinal, quanto mais global, mais local.

*Flávia Castelo é Mestre em Desenvolvimento e Meio Ambiente pela Universidade Federal do Ceará e Doutora em Biotecnologia pela mesma instituição e pela Universidade de Antuérpia/Bélgica. Flávia é advogada, professora e mãe.

A coluna “Aldeia Glocal” é publicada no Tribuna do Ceará, às quartas-feiras, e vai ao ar na Rádio Tribuna BandNews (FM 101.7), às 9h10 e às 18h10.