Aplicativo Táxijá chega a Fortaleza para facilitar ainda mais os usuários de táxi


Aplicativo ‘TáxiJá’ chega a Fortaleza para facilitar ainda mais os usuários de táxi

O aplicativo permite que o usuário peça seu táxi, a partir de alguns cliques na tela do celular

Por Marcella Ruchet em Tecnologia

27 de maio de 2014 às 16:47

Há 5 anos
Aplicativo Taxijá chega à Fortaleza (FOTO: Divulgação)

Aplicativo Taxijá chega à Fortaleza (FOTO: Divulgação)

Assim como tudo no mundo que vem se modernizando, pedir táxi também deixou de ser algo que fazíamos através de uma ligação. O novo aplicativo Taxijá permite que o usuário peça seu táxi, a partir de alguns cliques na tela do celular e o pagamento também pode ser feito da mesma forma.

O aplicativo já é usado em outros estados e chegou em Fortaleza no início do mês de maio, para competir com um outro aplicativo do gênero: o Easy Taxi, pioneiro no estado. Contando com mais de 400 profissionais cadastrados em sua plataforma o app já está atendendo a toda a capital. O sistema é simples: o usuário solicita o táxi por meio do seu celular, seleciona o modo de pagamento (cartão ou à vista), a ferramenta móvel busca o motorista mais próximo e envia uma mensagem para o solicitante, que a partir desse momento só precisa aguardar.

Sobre o aplicativo

Criado em setembro de 2012, o Taxijá conta com 20 mil profissionais e 350 mil usuários. O aplicativo mostra ao usuário todas as informações do taxista e possibilita que o passageiro se comunique diretamente com o motorista por mensagens instantâneas, ele também pode acompanhar todo o deslocamento, distância e o tempo estimado da chegada da chamada. Além disso, o usuário recebe um alerta quando o taxista chega ao seu encontro.

O que dizem os motoristas

O presidente do Sindicato dos Taxistas do Ceará (Sinditáxi), Vicente de Paula Oliveira, aponta que já existe um grande número de motoristas cadastrados no sistema de aplicativos. E que o Sindicato não é contra esses apps, mas pede que eles sejam regulamentados perante ao pode municipal e, principalmente, que aja consciência da parte dos taxitas. “Se o motorista faz parte de uma corporativa e é chamado pelo rádio, ele não pode deixar de atender a chamada, pra atender a alguém que chamou pelo celular. Isso causa transtornos para os clientes e para a empresa.”, pontua.

Publicidade

Dê sua opinião

Aplicativo ‘TáxiJá’ chega a Fortaleza para facilitar ainda mais os usuários de táxi

O aplicativo permite que o usuário peça seu táxi, a partir de alguns cliques na tela do celular

Por Marcella Ruchet em Tecnologia

27 de maio de 2014 às 16:47

Há 5 anos
Aplicativo Taxijá chega à Fortaleza (FOTO: Divulgação)

Aplicativo Taxijá chega à Fortaleza (FOTO: Divulgação)

Assim como tudo no mundo que vem se modernizando, pedir táxi também deixou de ser algo que fazíamos através de uma ligação. O novo aplicativo Taxijá permite que o usuário peça seu táxi, a partir de alguns cliques na tela do celular e o pagamento também pode ser feito da mesma forma.

O aplicativo já é usado em outros estados e chegou em Fortaleza no início do mês de maio, para competir com um outro aplicativo do gênero: o Easy Taxi, pioneiro no estado. Contando com mais de 400 profissionais cadastrados em sua plataforma o app já está atendendo a toda a capital. O sistema é simples: o usuário solicita o táxi por meio do seu celular, seleciona o modo de pagamento (cartão ou à vista), a ferramenta móvel busca o motorista mais próximo e envia uma mensagem para o solicitante, que a partir desse momento só precisa aguardar.

Sobre o aplicativo

Criado em setembro de 2012, o Taxijá conta com 20 mil profissionais e 350 mil usuários. O aplicativo mostra ao usuário todas as informações do taxista e possibilita que o passageiro se comunique diretamente com o motorista por mensagens instantâneas, ele também pode acompanhar todo o deslocamento, distância e o tempo estimado da chegada da chamada. Além disso, o usuário recebe um alerta quando o taxista chega ao seu encontro.

O que dizem os motoristas

O presidente do Sindicato dos Taxistas do Ceará (Sinditáxi), Vicente de Paula Oliveira, aponta que já existe um grande número de motoristas cadastrados no sistema de aplicativos. E que o Sindicato não é contra esses apps, mas pede que eles sejam regulamentados perante ao pode municipal e, principalmente, que aja consciência da parte dos taxitas. “Se o motorista faz parte de uma corporativa e é chamado pelo rádio, ele não pode deixar de atender a chamada, pra atender a alguém que chamou pelo celular. Isso causa transtornos para os clientes e para a empresa.”, pontua.