Cearenses desenvolvem aplicativos para ajudar no aprendizado de crianças


Cearenses desenvolvem aplicativos para ajudar no aprendizado de crianças

São oito jogos iniciais, divididos em níveis de dificuldade. As cores vivas e a qualidade da imagem chamam a atenção dos pequenos e dos pais

Por Roberta Tavares em Tecnologia

3 de novembro de 2015 às 06:00

Há 4 anos
Marcelo Bittar pretende disponibilizar os aplicativos em escolas públicas (FOTO: Arquivo pessoal)

Marcelo Bittar pretende disponibilizar os aplicativos em escolas públicas (FOTO: Arquivo pessoal)

As crianças são fascinadas por smartphones e tablets. Com o objetivo de aliar esta curiosidade ao aprendizado dos pequenos, dois cearenses desenvolveram uma série de aplicativos educacionais. A intenção é promover a concentração das crianças durante as férias ou nos finais de semana, de forma educativa e divertida.

O designer gráfico Marcelo Bittar e o programador Nonato Sousa, da Bitllab Technology, tiveram a ideia de ajudar as crianças a otimizarem o raciocínio rápido, coordenação motora e criatividade. “Decidimos criar algo mais robusto voltado ao ensino infantil. Desenvolvemos um ciclo de aplicativos para as crianças, com quebra-cabeças, jogo da memória, labirintos”, aponta Marcelo.

A série de aplicativos “Atividades Pedagógicas” foi lançada em 14 de outubro. Os cearenses gastaram, em média, dois meses para desenvolver toda a plataforma. “O primeiro é sempre o mais demorado. Tivermos que criar tudo do zero. Gostamos de fazer coisas originais e autorais. Não utilizamos nada de internet para criar, tudo é decidido por nós dois, antes mesmo de colocarmos a mão na massa”.

O primeiro volume conta com oito jogos iniciais, divididos em três níveis de dificuldade. As cores vivas e a qualidade da imagem chamam a atenção tanto dos pequenos quanto dos pais. “Tentamos fazer um aplicado infantil que funcionasse de forma fluida, que não travasse, como vemos acontecer com vários apps que estão disponíveis nas lojas virtuais”, explica. Com as atualizações, que serão disponibilizadas com frequência, a intenção é adicionar novas atividades. “Então, vai ser difícil enjoar”, brinca o designer.

Há quebra-cabeças, jogo da memória, formas geométricas, labirintos, ligue os pontos, piano, pinturas, desenhos. Os aplicativos são destinados a crianças de 1 a 6 anos, mesmo não havendo limites de idade. “Enquanto estávamos testando, antes do lançamento, vimos adultos passarem um bom tempo jogando. Fizemos diversos atrativos. O aplicativo é supercolorido, os sons são muito bacanas”. Futuramente, ainda haverá locução e tradução para o Inglês.

Por enquanto, os aplicativos estão disponíveis apenas para a plataforma Android. Em breve, serão lançados para iOS, Windows Phone e Facebook, é o que garante o designer. Em menos de um mês de lançamento, já foram cerca de 220 downloads. “Isso pode mudar rapidamente, já estamos nos aplicativos em destaque na Google Play”.

Os próximos passos, de acordo com os desenvolvedores, é disponibilizar os aplicativos em escolas públicas e lançar outros volumes a cada três meses. “Utilizaremos a realidade aumentada, a mesma tecnologia do Alfabeto 3D. Imagina apresentar um quadrado em 3D, com comandos para girar livremente com o dedo e conhecer todos os ângulos e detalhes desse quadrado? Isso dá à criança uma percepção de forma inimaginável. Ela fica maravilhada com a realidade aumentada”.

A série de aplicativos é gratuita. Para Marcelo, o melhor retorno é o feedback dado pelos pais por meio dos comentários nas lojas virtuais. “Com certeza é uma coisa que nos dá orgulho, está sendo muito bem avaliado. Cada vez mais, temos a certeza de que estamos no caminho certo”, conclui.

APLICATIVO EDUCACIONAL
1/9

APLICATIVO EDUCACIONAL

Há quebra-cabeças, jogo da memória, formas geométricas, labirintos, ligue os pontos, piano, pinturas, desenhos. Os aplicativos são destinados a crianças de 1 a 6 anos (IMAGEM: Divulgação)

APLICATIVO EDUCACIONAL
2/9

APLICATIVO EDUCACIONAL

Há quebra-cabeças, jogo da memória, formas geométricas, labirintos, ligue os pontos, piano, pinturas, desenhos. Os aplicativos são destinados a crianças de 1 a 6 anos (IMAGEM: Divulgação)

APLICATIVO EDUCACIONAL
3/9

APLICATIVO EDUCACIONAL

Há quebra-cabeças, jogo da memória, formas geométricas, labirintos, ligue os pontos, piano, pinturas, desenhos. Os aplicativos são destinados a crianças de 1 a 6 anos (IMAGEM: Divulgação)

APLICATIVO EDUCACIONAL
4/9

APLICATIVO EDUCACIONAL

Há quebra-cabeças, jogo da memória, formas geométricas, labirintos, ligue os pontos, piano, pinturas, desenhos. Os aplicativos são destinados a crianças de 1 a 6 anos (FOTO: Arquivo pessoal)

APLICATIVO EDUCACIONAL
5/9

APLICATIVO EDUCACIONAL

Há quebra-cabeças, jogo da memória, formas geométricas, labirintos, ligue os pontos, piano, pinturas, desenhos. Os aplicativos são destinados a crianças de 1 a 6 anos (IMAGEM: Divulgação)

APLICATIVO EDUCACIONAL
6/9

APLICATIVO EDUCACIONAL

Há quebra-cabeças, jogo da memória, formas geométricas, labirintos, ligue os pontos, piano, pinturas, desenhos. Os aplicativos são destinados a crianças de 1 a 6 anos (IMAGEM: Divulgação)

APLICATIVO EDUCACIONAL
7/9

APLICATIVO EDUCACIONAL

Há quebra-cabeças, jogo da memória, formas geométricas, labirintos, ligue os pontos, piano, pinturas, desenhos. Os aplicativos são destinados a crianças de 1 a 6 anos (FOTO: Arquivo pessoal)

APLICATIVO EDUCACIONAL
8/9

APLICATIVO EDUCACIONAL

Há quebra-cabeças, jogo da memória, formas geométricas, labirintos, ligue os pontos, piano, pinturas, desenhos. Os aplicativos são destinados a crianças de 1 a 6 anos (IMAGEM: Divulgação)

APLICATIVO EDUCACIONAL
9/9

APLICATIVO EDUCACIONAL

Há quebra-cabeças, jogo da memória, formas geométricas, labirintos, ligue os pontos, piano, pinturas, desenhos. Os aplicativos são destinados a crianças de 1 a 6 anos (FOTO: Arquivo pessoal)

Publicidade

Dê sua opinião

Cearenses desenvolvem aplicativos para ajudar no aprendizado de crianças

São oito jogos iniciais, divididos em níveis de dificuldade. As cores vivas e a qualidade da imagem chamam a atenção dos pequenos e dos pais

Por Roberta Tavares em Tecnologia

3 de novembro de 2015 às 06:00

Há 4 anos
Marcelo Bittar pretende disponibilizar os aplicativos em escolas públicas (FOTO: Arquivo pessoal)

Marcelo Bittar pretende disponibilizar os aplicativos em escolas públicas (FOTO: Arquivo pessoal)

As crianças são fascinadas por smartphones e tablets. Com o objetivo de aliar esta curiosidade ao aprendizado dos pequenos, dois cearenses desenvolveram uma série de aplicativos educacionais. A intenção é promover a concentração das crianças durante as férias ou nos finais de semana, de forma educativa e divertida.

O designer gráfico Marcelo Bittar e o programador Nonato Sousa, da Bitllab Technology, tiveram a ideia de ajudar as crianças a otimizarem o raciocínio rápido, coordenação motora e criatividade. “Decidimos criar algo mais robusto voltado ao ensino infantil. Desenvolvemos um ciclo de aplicativos para as crianças, com quebra-cabeças, jogo da memória, labirintos”, aponta Marcelo.

A série de aplicativos “Atividades Pedagógicas” foi lançada em 14 de outubro. Os cearenses gastaram, em média, dois meses para desenvolver toda a plataforma. “O primeiro é sempre o mais demorado. Tivermos que criar tudo do zero. Gostamos de fazer coisas originais e autorais. Não utilizamos nada de internet para criar, tudo é decidido por nós dois, antes mesmo de colocarmos a mão na massa”.

O primeiro volume conta com oito jogos iniciais, divididos em três níveis de dificuldade. As cores vivas e a qualidade da imagem chamam a atenção tanto dos pequenos quanto dos pais. “Tentamos fazer um aplicado infantil que funcionasse de forma fluida, que não travasse, como vemos acontecer com vários apps que estão disponíveis nas lojas virtuais”, explica. Com as atualizações, que serão disponibilizadas com frequência, a intenção é adicionar novas atividades. “Então, vai ser difícil enjoar”, brinca o designer.

Há quebra-cabeças, jogo da memória, formas geométricas, labirintos, ligue os pontos, piano, pinturas, desenhos. Os aplicativos são destinados a crianças de 1 a 6 anos, mesmo não havendo limites de idade. “Enquanto estávamos testando, antes do lançamento, vimos adultos passarem um bom tempo jogando. Fizemos diversos atrativos. O aplicativo é supercolorido, os sons são muito bacanas”. Futuramente, ainda haverá locução e tradução para o Inglês.

Por enquanto, os aplicativos estão disponíveis apenas para a plataforma Android. Em breve, serão lançados para iOS, Windows Phone e Facebook, é o que garante o designer. Em menos de um mês de lançamento, já foram cerca de 220 downloads. “Isso pode mudar rapidamente, já estamos nos aplicativos em destaque na Google Play”.

Os próximos passos, de acordo com os desenvolvedores, é disponibilizar os aplicativos em escolas públicas e lançar outros volumes a cada três meses. “Utilizaremos a realidade aumentada, a mesma tecnologia do Alfabeto 3D. Imagina apresentar um quadrado em 3D, com comandos para girar livremente com o dedo e conhecer todos os ângulos e detalhes desse quadrado? Isso dá à criança uma percepção de forma inimaginável. Ela fica maravilhada com a realidade aumentada”.

A série de aplicativos é gratuita. Para Marcelo, o melhor retorno é o feedback dado pelos pais por meio dos comentários nas lojas virtuais. “Com certeza é uma coisa que nos dá orgulho, está sendo muito bem avaliado. Cada vez mais, temos a certeza de que estamos no caminho certo”, conclui.

APLICATIVO EDUCACIONAL
1/9

APLICATIVO EDUCACIONAL

Há quebra-cabeças, jogo da memória, formas geométricas, labirintos, ligue os pontos, piano, pinturas, desenhos. Os aplicativos são destinados a crianças de 1 a 6 anos (IMAGEM: Divulgação)

APLICATIVO EDUCACIONAL
2/9

APLICATIVO EDUCACIONAL

Há quebra-cabeças, jogo da memória, formas geométricas, labirintos, ligue os pontos, piano, pinturas, desenhos. Os aplicativos são destinados a crianças de 1 a 6 anos (IMAGEM: Divulgação)

APLICATIVO EDUCACIONAL
3/9

APLICATIVO EDUCACIONAL

Há quebra-cabeças, jogo da memória, formas geométricas, labirintos, ligue os pontos, piano, pinturas, desenhos. Os aplicativos são destinados a crianças de 1 a 6 anos (IMAGEM: Divulgação)

APLICATIVO EDUCACIONAL
4/9

APLICATIVO EDUCACIONAL

Há quebra-cabeças, jogo da memória, formas geométricas, labirintos, ligue os pontos, piano, pinturas, desenhos. Os aplicativos são destinados a crianças de 1 a 6 anos (FOTO: Arquivo pessoal)

APLICATIVO EDUCACIONAL
5/9

APLICATIVO EDUCACIONAL

Há quebra-cabeças, jogo da memória, formas geométricas, labirintos, ligue os pontos, piano, pinturas, desenhos. Os aplicativos são destinados a crianças de 1 a 6 anos (IMAGEM: Divulgação)

APLICATIVO EDUCACIONAL
6/9

APLICATIVO EDUCACIONAL

Há quebra-cabeças, jogo da memória, formas geométricas, labirintos, ligue os pontos, piano, pinturas, desenhos. Os aplicativos são destinados a crianças de 1 a 6 anos (IMAGEM: Divulgação)

APLICATIVO EDUCACIONAL
7/9

APLICATIVO EDUCACIONAL

Há quebra-cabeças, jogo da memória, formas geométricas, labirintos, ligue os pontos, piano, pinturas, desenhos. Os aplicativos são destinados a crianças de 1 a 6 anos (FOTO: Arquivo pessoal)

APLICATIVO EDUCACIONAL
8/9

APLICATIVO EDUCACIONAL

Há quebra-cabeças, jogo da memória, formas geométricas, labirintos, ligue os pontos, piano, pinturas, desenhos. Os aplicativos são destinados a crianças de 1 a 6 anos (IMAGEM: Divulgação)

APLICATIVO EDUCACIONAL
9/9

APLICATIVO EDUCACIONAL

Há quebra-cabeças, jogo da memória, formas geométricas, labirintos, ligue os pontos, piano, pinturas, desenhos. Os aplicativos são destinados a crianças de 1 a 6 anos (FOTO: Arquivo pessoal)