Vizinhos negam versão de ex-esposa de subtenente de que pediu ajuda após crime


Vizinhos negam versão de ex-esposa de subtenente de que pediu ajuda após crime

Na reconstituição nesta quarta, vizinhos da residência em que morava o casal fizeram coro pela inocência de Francilewdo Bezerra e acusaram Cristiane Coelho de “assassina”

Por Rosana Romão em Segurança Pública

9 de abril de 2015 às 10:00

Há 4 anos
Cristiane Coelho foi escoltada pelo Cotam durante  toda a reconstituição. (FOTO: Cristiano Pantanal)

Cristiane Coelho foi escoltada pelo Cotam durante toda a reconstituição. (FOTO: Cristiano Pantanal)

A segunda reconstituição do crime de morte por envenenamento de Lewdo Ricardo, de 9 anos, aconteceu na tarde desta quarta-feira (8), na residência onde morava o casal Francilewdo Bezerra e a Cristiane Coelho, que voltaram a ficar frente a frente. Ambos se acusam do crime. A polícia foi solicitada para fazer escolta e duas viaturas do Comando Tático Motorizado (Cotam) estiveram no local durante toda a reconstituição.

Inicialmente, o casal foi até o 16º Distrito Policial e respondeu perguntas. Em seguida, o casal foi em direção à antiga residência, onde ocorreu o procedimento complementar solicitado pela perícia. O subtenente do exército Francilewdo Bezerra foi direto para o local, sendo recebido por vizinhos, que ofereceram abrigo e almoço. Já Cristiane Coelho chegou às 13h40min e demorou cerca de 20 minutos para descer do carro.

A chegada da ex-esposa do subtenente mudou o clima na rua onde o casal residia. Antes de chegar, as pessoas aguardavam na calçada, conversando em tom amigável. Após a chegada de Cristiane, os vizinhos ficaram tensos, com expressão de repúdio e gritos de  “assassina”. Para iniciar a reprodução simulada dos fatos, Cristiane foi até a casa vizinha e tocou a campainha, conforme relatou em depoimento à polícia. A dona da casa, Sônia Lima, negou a versão da ex-esposa do militar. “Esse depoimento dela, que tocou na campainha aqui de casa, ela não tocou. Essa versão dela não procede”, afirma.

[uol video=”http://mais.uol.com.br/view/15434450″]

Para iniciar a reconstituição, o subtenente do exército Francilewdo Bezerra foi ouvido por cerca de 10 minutos pelos peritos. A participação de Cristiane durou cerca de 30 minutos. Os peritos solicitaram que ela mostrasse como usava o notebook e perguntaram se ela havia usado o equipamento durante a noite do crime. Ao responder às perguntas, Cristiane se contradisse em relação a horários e uso de equipamentos eletrônicos, como notebook e celular. Os peritos então se reuniram em um local isolado e comemoraram pois haviam finalizado o trabalho.

O perito Luís Rodrigues explicou que o laudo da reprodução simulada será concluído até, no máximo, a próxima terça-feira (14). “Eu tenho certeza que quando o doutor Wilder tiver com esse material na mão, eu acredito que ele terá suporte suficiente para finalizar todo o trabalho dele. Eu me comprometi com autoridade policial de até terça-feira no máximo, esse material estar nas mãos dele [delegado]. Nós precisamos dar resposta à sociedade o mais rápido possível’, declarou.

Bastidores

Rita Lisboa, também vizinha do casal, defende a inocência do militar. “Quando eu cheguei aqui ele tinha de oito pra nove anos, eu vi ele crescer. Ele passava e cumprimentava a gente, era uma pessoa sociável. Mas ela [Cristiane] não. Então ouvir que ele é suspeito de fazer isso, dói”, lamenta.

Francilewdo reclamou do aparato policial solicitado pela ex-esposa. “Veja como é que ela sempre chega, tem que ter esse aparato todo aqui. Utilizar imposto que a gente paga pra acionar esse ‘monte de policial’ pra dizer que alguém quer fazer justiça com as próprias mãos? Não tem ninguém querendo fazer justiça, nós queremos é que a justiça seja feita da forma legal”, enfatizou.

Francilewdo reclamou também por não ver o filho há mais de quatro meses e do tratamento que vem recebendo desde o envenenamento. “Não foi dado a mim direito nem de cidadão. Eu fui preso no chão. Fui quase sentenciado à morte dentro do IJF. Se não fosse o pessoal do Exército chegar lá para me tirar, eu teria morrido. Ela teria conseguido o que ela queria, que era me matar”, finalizou.

Reconstituição caso subtenente
1/7

Reconstituição caso subtenente

Cristiane Coelho foi escoltada desde sua chegada até sua saída da reconstituição. (FOTO: Cristiano Pantanal)

Reconstituição caso subtenente
2/7

Reconstituição caso subtenente

Francilewdo Bezerra foi recebido com carinho e apio de vizinhos e familiares. (FOTO: Tribuna do Ceará/ Rosana Romão)

Reconstituição caso subtenente
3/7

Reconstituição caso subtenente

Francilewdo Bezerra foi recebido com carinho e apio de vizinhos e familiares. (FOTO: Tribuna do Ceará/ Rosana Romão)

Reconstituição caso subtenente
4/7

Reconstituição caso subtenente

Cristiane Coelho foi escoltada desde sua chegada até sua saída da reconstituição. (FOTO: Cristiano Pantanal)

Reconstituição caso subtenente
5/7

Reconstituição caso subtenente

Cristiane Coelho foi escoltada desde sua chegada até sua saída da reconstituição. (FOTO: Cristiano Pantanal)

Reconstituição caso subtenente
6/7

Reconstituição caso subtenente

Cristiane Coelho foi escoltada desde sua chegada até sua saída da reconstituição. (FOTO: Cristiano Pantanal)

Reconstituição caso subtenente
7/7

Reconstituição caso subtenente

Cristiane Coelho foi escoltada desde sua chegada até sua saída da reconstituição. (FOTO: Cristiano Pantanal)

O delegado Wilder Brito, responsável pelo caso, demonstrou estar satisfeito com o resultado do trabalho realizado pelos peritos e que todas as dúvidas foram esclarecidas. “Quando nós colocamos tanto o celular do Lewdo para ser analisado, nós pedimos o dela e ela protelou. Verdade se diga, ela protelou até o dia 27, que foi quando eu mandei os autos para a Justiça. Nós encaminhamos à perícia e nessas análises nós verificamos que havia alguns pontos, que seriam respondidos, como foi respondido agora”, explica.

“Nós temos hoje capacidade de produzir um relatório final com toda a certeza e dizer para a população quem verdadeiramente assassinou o Lewdinho. E a gente pode verdadeiramente dizer com melhor robustez, dar um resultado final. Na hora que a gente laudar esse material, nós já temos muita novidade. Novidades boas, por sinal”, prometeu.

Relembre as matérias do caso:

12 de novembro – Subtenente é suspeito de matar filho autista, agredir esposa e anunciar crimes no Facebook

13 de novembro – Subtenente suspeito de matar filho e agredir esposa continua em estado grave no hospital

15 de novembro – Polícia quer ouvir mulher de subtenente do Exército suspeito de matar o filho envenenado

19 de novembro – Filho autista de subtenente do Exército ingeriu “chumbinho”, aponta laudo

19 de novembro – Esposa de militar do Exército suspeito de matar o filho nega traição que seria estopim do caso

21 de novembro – Militar suspeito de matar filho sai do coma, mas ainda não tem condições de prestar depoimento

21 de novembro – Delegado quer saber quem comprou chumbinho usado para matar o filho de militar do Exército

24 de novembro – Amigo duvida que subtenente tenha sido o autor da morte do filho autista

24 de novembro – Com melhora de subtenente, delegado aguarda depoimento até o fim da semana

25 de novembro – Subtenente fica chocado ao acordar do coma e saber que é acusado do assassinato do filho

26 de novembro – Delegado estuda fazer reconstituição do caso de subtenente acusado pela mulher de matar o filho

27 de novembro – Delegado desconfia que uma terceira pessoa tenha assassinado filho de subtenente do Exército

28 de novembro – Subtenente suspeito de matar filho será ouvido pela polícia mesmo na UTI

29 de novembro – Subtenente nega acusações e seu advogado acusa esposa de assassinar o filho para culpar militar

2 de dezembro – Delegado considera esposa de subtenente uma “suspeita em potencial” da morte do filho

3 de dezembro – Subtenente vai de vilão a mocinho após 3 semanas de investigação por morte de filho envenenado

3 de dezembro – Subtenente suspeito de matar o filho tem prisão preventiva revogada pela Justiça

4 de dezembro – Caso Subtenente: pai e mãe ficarão frente a frente pela 1ª vez após morte do filho envenenado

4 de dezembro – Em 1ª entrevista após sair de UTI, subtenente revela que tem tatuagem com nome de filho morto

8 de dezembro – Esposa de subtenente suspeita de matar o filho contrata um dos juristas mais conhecidos do Ceará

11 de dezembro – Um mês após crime, vizinha diz que nunca acreditou na versão de que subtenente matou o filho

11 de dezembro – Polícia revela áudio que indica desespero da esposa de subtenente após crime

12 de dezembro – Sobrinha será investigada por acionar a polícia quando militar já havia sido socorrido

13 de dezembro – Subtenente recebe alta médica e deseja acareação com esposa sobre morte de filho envenenado

15 de dezembro – Subtenente e esposa participarão de acareação e reconstituição de crime até a próxima semana

16 de dezembro – Caso Subtenente: esposa e militar fazem acareação na próxima segunda-feira

22 de dezembro – Em acareação, subtenente e esposa se encontram pela primeira vez após morte do filho

22 de dezembro – Subtenente acusa publicamente sua mulher de matar filho e agora teme pela vida do mais novo

23 de dezembro – Subtenente tem seguro de vida que pagaria R$ 153 mil a esposa em caso de morte

23 de dezembro – Polícia investiga denúncia de que depósito teria vendido chumbinho a esposa de subtenente

24 de dezembro – Esposa de subtenente admitiu ao marido que tem um amante, no reencontro do casal em acareação

25 de dezembro – Confira o bilhete de brincadeira suspeita entre subtenente e esposa que intriga a polícia

26 de dezembro – Laudo aponta que esposa de subtenente teve lesões mais leves do que em fotos entregues à polícia

27 de dezembro – Polícia quer saber se amante teve participação na morte de filho de subtenente

29 de dezembro – Frieza de mulher de subtenente teria chamado a atenção de presentes em reconstituição de crime

1º de janeiro – Mensagem editada no Facebook de subtenente teve alteração no nome do amante da esposa

7 de janeiro – Amante de esposa do subtenente deve prestar depoimento à polícia na próxima semana

12 de janeiro – Em entrevista exclusiva, subtenente revela que veneno estava em mamadeira do filho

11 de fevereiro – Três meses após morte de filho de subtenente por envenenamento, caso segue sem respostas

25 de fevereiro – Delegado revela que cena do crime de morte do filho de subtenente foi alterada

11 de março – Quatro meses depois, polícia não sabe quando concluirá investigação do “Caso Subtenente”

26 de março – Após mais de 4 meses do crime, polícia marca nova reconstituição do Caso Subtenente

27 de março – Quatro meses após morte de filho, subtenente revela que esposa dificulta contato com caçula

8 de abril – Após ausência de mãe, reconstituição da morte de filho do subtenente será feita nesta quarta

8 de abril – Caso subtenente: delegado promete concluir inquérito nos próximos dias

8 de abril – Ex- esposa de subtenente lamenta ser alvo de “linchamento cibernético” após morte de filho

8 de abril – Amigos e parentes de subtenente fazem manifestação pedindo prisão de ex-esposa

9 de abril – Vizinhos negam versão de ex-esposa de subtenente de que pediu ajuda após o crime

14 de abril – Subtenente acusa família de ex-esposa de colocar “sangue nas mãos” ao defendê-la

15 de abril – Ex-mulher de subtenente é indiciada por morte do filho por envenenamento

15 de abril – Ex-esposa de subtenente pesquisou no Google “como envenenar uma pessoa com chumbinho”

16 de abril – Delegado teme que ex-esposa de subtenente venha a fugir após indiciamento por morte de filho

16 de abril – Guarda de filho mais novo de subtenente será solicitada à Justiça nesta quinta-feira

16 de abril – Delegado pedirá prisão preventiva de ex-mulher de subtenente até esta sexta-feira

16 de abril – Veja as pesquisas que a ex-mulher de subtenente fez antes de envenenar o filho e o marido com chumbinho

 

Publicidade

Dê sua opinião

Vizinhos negam versão de ex-esposa de subtenente de que pediu ajuda após crime

Na reconstituição nesta quarta, vizinhos da residência em que morava o casal fizeram coro pela inocência de Francilewdo Bezerra e acusaram Cristiane Coelho de “assassina”

Por Rosana Romão em Segurança Pública

9 de abril de 2015 às 10:00

Há 4 anos
Cristiane Coelho foi escoltada pelo Cotam durante  toda a reconstituição. (FOTO: Cristiano Pantanal)

Cristiane Coelho foi escoltada pelo Cotam durante toda a reconstituição. (FOTO: Cristiano Pantanal)

A segunda reconstituição do crime de morte por envenenamento de Lewdo Ricardo, de 9 anos, aconteceu na tarde desta quarta-feira (8), na residência onde morava o casal Francilewdo Bezerra e a Cristiane Coelho, que voltaram a ficar frente a frente. Ambos se acusam do crime. A polícia foi solicitada para fazer escolta e duas viaturas do Comando Tático Motorizado (Cotam) estiveram no local durante toda a reconstituição.

Inicialmente, o casal foi até o 16º Distrito Policial e respondeu perguntas. Em seguida, o casal foi em direção à antiga residência, onde ocorreu o procedimento complementar solicitado pela perícia. O subtenente do exército Francilewdo Bezerra foi direto para o local, sendo recebido por vizinhos, que ofereceram abrigo e almoço. Já Cristiane Coelho chegou às 13h40min e demorou cerca de 20 minutos para descer do carro.

A chegada da ex-esposa do subtenente mudou o clima na rua onde o casal residia. Antes de chegar, as pessoas aguardavam na calçada, conversando em tom amigável. Após a chegada de Cristiane, os vizinhos ficaram tensos, com expressão de repúdio e gritos de  “assassina”. Para iniciar a reprodução simulada dos fatos, Cristiane foi até a casa vizinha e tocou a campainha, conforme relatou em depoimento à polícia. A dona da casa, Sônia Lima, negou a versão da ex-esposa do militar. “Esse depoimento dela, que tocou na campainha aqui de casa, ela não tocou. Essa versão dela não procede”, afirma.

[uol video=”http://mais.uol.com.br/view/15434450″]

Para iniciar a reconstituição, o subtenente do exército Francilewdo Bezerra foi ouvido por cerca de 10 minutos pelos peritos. A participação de Cristiane durou cerca de 30 minutos. Os peritos solicitaram que ela mostrasse como usava o notebook e perguntaram se ela havia usado o equipamento durante a noite do crime. Ao responder às perguntas, Cristiane se contradisse em relação a horários e uso de equipamentos eletrônicos, como notebook e celular. Os peritos então se reuniram em um local isolado e comemoraram pois haviam finalizado o trabalho.

O perito Luís Rodrigues explicou que o laudo da reprodução simulada será concluído até, no máximo, a próxima terça-feira (14). “Eu tenho certeza que quando o doutor Wilder tiver com esse material na mão, eu acredito que ele terá suporte suficiente para finalizar todo o trabalho dele. Eu me comprometi com autoridade policial de até terça-feira no máximo, esse material estar nas mãos dele [delegado]. Nós precisamos dar resposta à sociedade o mais rápido possível’, declarou.

Bastidores

Rita Lisboa, também vizinha do casal, defende a inocência do militar. “Quando eu cheguei aqui ele tinha de oito pra nove anos, eu vi ele crescer. Ele passava e cumprimentava a gente, era uma pessoa sociável. Mas ela [Cristiane] não. Então ouvir que ele é suspeito de fazer isso, dói”, lamenta.

Francilewdo reclamou do aparato policial solicitado pela ex-esposa. “Veja como é que ela sempre chega, tem que ter esse aparato todo aqui. Utilizar imposto que a gente paga pra acionar esse ‘monte de policial’ pra dizer que alguém quer fazer justiça com as próprias mãos? Não tem ninguém querendo fazer justiça, nós queremos é que a justiça seja feita da forma legal”, enfatizou.

Francilewdo reclamou também por não ver o filho há mais de quatro meses e do tratamento que vem recebendo desde o envenenamento. “Não foi dado a mim direito nem de cidadão. Eu fui preso no chão. Fui quase sentenciado à morte dentro do IJF. Se não fosse o pessoal do Exército chegar lá para me tirar, eu teria morrido. Ela teria conseguido o que ela queria, que era me matar”, finalizou.

Reconstituição caso subtenente
1/7

Reconstituição caso subtenente

Cristiane Coelho foi escoltada desde sua chegada até sua saída da reconstituição. (FOTO: Cristiano Pantanal)

Reconstituição caso subtenente
2/7

Reconstituição caso subtenente

Francilewdo Bezerra foi recebido com carinho e apio de vizinhos e familiares. (FOTO: Tribuna do Ceará/ Rosana Romão)

Reconstituição caso subtenente
3/7

Reconstituição caso subtenente

Francilewdo Bezerra foi recebido com carinho e apio de vizinhos e familiares. (FOTO: Tribuna do Ceará/ Rosana Romão)

Reconstituição caso subtenente
4/7

Reconstituição caso subtenente

Cristiane Coelho foi escoltada desde sua chegada até sua saída da reconstituição. (FOTO: Cristiano Pantanal)

Reconstituição caso subtenente
5/7

Reconstituição caso subtenente

Cristiane Coelho foi escoltada desde sua chegada até sua saída da reconstituição. (FOTO: Cristiano Pantanal)

Reconstituição caso subtenente
6/7

Reconstituição caso subtenente

Cristiane Coelho foi escoltada desde sua chegada até sua saída da reconstituição. (FOTO: Cristiano Pantanal)

Reconstituição caso subtenente
7/7

Reconstituição caso subtenente

Cristiane Coelho foi escoltada desde sua chegada até sua saída da reconstituição. (FOTO: Cristiano Pantanal)

O delegado Wilder Brito, responsável pelo caso, demonstrou estar satisfeito com o resultado do trabalho realizado pelos peritos e que todas as dúvidas foram esclarecidas. “Quando nós colocamos tanto o celular do Lewdo para ser analisado, nós pedimos o dela e ela protelou. Verdade se diga, ela protelou até o dia 27, que foi quando eu mandei os autos para a Justiça. Nós encaminhamos à perícia e nessas análises nós verificamos que havia alguns pontos, que seriam respondidos, como foi respondido agora”, explica.

“Nós temos hoje capacidade de produzir um relatório final com toda a certeza e dizer para a população quem verdadeiramente assassinou o Lewdinho. E a gente pode verdadeiramente dizer com melhor robustez, dar um resultado final. Na hora que a gente laudar esse material, nós já temos muita novidade. Novidades boas, por sinal”, prometeu.

Relembre as matérias do caso:

12 de novembro – Subtenente é suspeito de matar filho autista, agredir esposa e anunciar crimes no Facebook

13 de novembro – Subtenente suspeito de matar filho e agredir esposa continua em estado grave no hospital

15 de novembro – Polícia quer ouvir mulher de subtenente do Exército suspeito de matar o filho envenenado

19 de novembro – Filho autista de subtenente do Exército ingeriu “chumbinho”, aponta laudo

19 de novembro – Esposa de militar do Exército suspeito de matar o filho nega traição que seria estopim do caso

21 de novembro – Militar suspeito de matar filho sai do coma, mas ainda não tem condições de prestar depoimento

21 de novembro – Delegado quer saber quem comprou chumbinho usado para matar o filho de militar do Exército

24 de novembro – Amigo duvida que subtenente tenha sido o autor da morte do filho autista

24 de novembro – Com melhora de subtenente, delegado aguarda depoimento até o fim da semana

25 de novembro – Subtenente fica chocado ao acordar do coma e saber que é acusado do assassinato do filho

26 de novembro – Delegado estuda fazer reconstituição do caso de subtenente acusado pela mulher de matar o filho

27 de novembro – Delegado desconfia que uma terceira pessoa tenha assassinado filho de subtenente do Exército

28 de novembro – Subtenente suspeito de matar filho será ouvido pela polícia mesmo na UTI

29 de novembro – Subtenente nega acusações e seu advogado acusa esposa de assassinar o filho para culpar militar

2 de dezembro – Delegado considera esposa de subtenente uma “suspeita em potencial” da morte do filho

3 de dezembro – Subtenente vai de vilão a mocinho após 3 semanas de investigação por morte de filho envenenado

3 de dezembro – Subtenente suspeito de matar o filho tem prisão preventiva revogada pela Justiça

4 de dezembro – Caso Subtenente: pai e mãe ficarão frente a frente pela 1ª vez após morte do filho envenenado

4 de dezembro – Em 1ª entrevista após sair de UTI, subtenente revela que tem tatuagem com nome de filho morto

8 de dezembro – Esposa de subtenente suspeita de matar o filho contrata um dos juristas mais conhecidos do Ceará

11 de dezembro – Um mês após crime, vizinha diz que nunca acreditou na versão de que subtenente matou o filho

11 de dezembro – Polícia revela áudio que indica desespero da esposa de subtenente após crime

12 de dezembro – Sobrinha será investigada por acionar a polícia quando militar já havia sido socorrido

13 de dezembro – Subtenente recebe alta médica e deseja acareação com esposa sobre morte de filho envenenado

15 de dezembro – Subtenente e esposa participarão de acareação e reconstituição de crime até a próxima semana

16 de dezembro – Caso Subtenente: esposa e militar fazem acareação na próxima segunda-feira

22 de dezembro – Em acareação, subtenente e esposa se encontram pela primeira vez após morte do filho

22 de dezembro – Subtenente acusa publicamente sua mulher de matar filho e agora teme pela vida do mais novo

23 de dezembro – Subtenente tem seguro de vida que pagaria R$ 153 mil a esposa em caso de morte

23 de dezembro – Polícia investiga denúncia de que depósito teria vendido chumbinho a esposa de subtenente

24 de dezembro – Esposa de subtenente admitiu ao marido que tem um amante, no reencontro do casal em acareação

25 de dezembro – Confira o bilhete de brincadeira suspeita entre subtenente e esposa que intriga a polícia

26 de dezembro – Laudo aponta que esposa de subtenente teve lesões mais leves do que em fotos entregues à polícia

27 de dezembro – Polícia quer saber se amante teve participação na morte de filho de subtenente

29 de dezembro – Frieza de mulher de subtenente teria chamado a atenção de presentes em reconstituição de crime

1º de janeiro – Mensagem editada no Facebook de subtenente teve alteração no nome do amante da esposa

7 de janeiro – Amante de esposa do subtenente deve prestar depoimento à polícia na próxima semana

12 de janeiro – Em entrevista exclusiva, subtenente revela que veneno estava em mamadeira do filho

11 de fevereiro – Três meses após morte de filho de subtenente por envenenamento, caso segue sem respostas

25 de fevereiro – Delegado revela que cena do crime de morte do filho de subtenente foi alterada

11 de março – Quatro meses depois, polícia não sabe quando concluirá investigação do “Caso Subtenente”

26 de março – Após mais de 4 meses do crime, polícia marca nova reconstituição do Caso Subtenente

27 de março – Quatro meses após morte de filho, subtenente revela que esposa dificulta contato com caçula

8 de abril – Após ausência de mãe, reconstituição da morte de filho do subtenente será feita nesta quarta

8 de abril – Caso subtenente: delegado promete concluir inquérito nos próximos dias

8 de abril – Ex- esposa de subtenente lamenta ser alvo de “linchamento cibernético” após morte de filho

8 de abril – Amigos e parentes de subtenente fazem manifestação pedindo prisão de ex-esposa

9 de abril – Vizinhos negam versão de ex-esposa de subtenente de que pediu ajuda após o crime

14 de abril – Subtenente acusa família de ex-esposa de colocar “sangue nas mãos” ao defendê-la

15 de abril – Ex-mulher de subtenente é indiciada por morte do filho por envenenamento

15 de abril – Ex-esposa de subtenente pesquisou no Google “como envenenar uma pessoa com chumbinho”

16 de abril – Delegado teme que ex-esposa de subtenente venha a fugir após indiciamento por morte de filho

16 de abril – Guarda de filho mais novo de subtenente será solicitada à Justiça nesta quinta-feira

16 de abril – Delegado pedirá prisão preventiva de ex-mulher de subtenente até esta sexta-feira

16 de abril – Veja as pesquisas que a ex-mulher de subtenente fez antes de envenenar o filho e o marido com chumbinho