Sequência de mortes em Fortaleza aconteceu em 4 horas com pelos menos 4 adolescentes assassinados


Sequência de mortes em Fortaleza aconteceu em 4 horas com pelos menos 4 adolescentes assassinados

A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) determinou prioridade na apuração das circunstâncias dos homicídios

Por Tribuna do Ceará em Segurança Pública

13 de novembro de 2015 às 06:15

Há 4 anos
A Polícia trabalha com algumas linhas de investigação, entre elas a prisão na última terça-feira (10) de Carlos Alexandre Alberto da Silva (38), vulgo ‘Castor’, que possui antecedentes criminais por tráfico de drogas (FOTO: Divulgação/SSPDS)

A Polícia trabalha com algumas linhas de investigação, entre elas a prisão na última terça-feira (10) de Carlos Alexandre Alberto da Silva (38), vulgo ‘Castor’, que possui antecedentes criminais por tráfico de drogas (FOTO: Divulgação/SSPDS)

Pelo menos quatro, das 11 vítimas da sequência de mortes na Grande Messejana, em Fortaleza, na madrugada desta quinta-feira (12), eram adolescentes. Três vítimas ainda não foram identificadas.

De acordo com informações da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), a primeira morte aconteceu logo após a meia-noite. No mesmo local e horário ainda foram executados outro adolescente e uma pessoa cujo nome é desconhecido, mas que tinha 18 anos. Esta sequência de mortes aconteceu na localidade do Curió, entre 0h20 e 1h54.

Já no Alagadiço Novo, foram vítimas de homicídio mais dois menores de 18 anos. O duplo assassinato aconteceu às 1h54, ainda de acordo com a SSPDS.
Às 3h33, no bairro São Miguel, Jandson Alexandre (19), Francisco Elenildo Pereira Chagas (41) e outro rapaz, de idade não identificada, também foram assassinados.

Por fim, já na própria Messejana, às 3h57, Pedro Alcântara Barroso do Nascimento (18), e outro rapaz, de idade não identificada, e outra pessoa sem nome revelado foram mortos.

Operação

O secretário da Segurança Pública e Defesa Social, Delci Teixeira, reuniu-se, ainda na noite desta quinta, com os comandantes da Polícia Militar e da Polícia Civil e os responsáveis pelas investigações acerca das 11 mortes ocorridas na Grande Messejana. A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) determinou prioridade na apuração das circunstâncias dos homicídios.

A SSPDS informa que equipes da Polícia Civil, por meio da Divisão de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP), da Unidade Tático Operacional (UTO) da Divisão Antissequestro (DAS) e dos 6º e 35º Distritos Policiais, além de agentes da inteligência, estão realizando investigações.

A Polícia trabalha com algumas linhas de investigação, entre elas a prisão na última terça-feira (10) de Carlos Alexandre Alberto da Silva (38), vulgo ‘Castor’, que possui antecedentes criminais por tráfico de drogas, porte e posse ilegal de arma de fogo, ameaça, homicídios, tentativa de homicídio, e estava com três mandados de prisão em aberto. Ele portava um fuzil e uma pistola utilizados em uma chacina ocorrida na “Comunidade Cinquentinha”. O preso teria ordenado a morte dos seus delatores. Outra linha de investigação aponta para retaliação pela morte do traficante Lindemberg Vieira Dias, morto na última terça-feira (11), um dia após deixar o sistema penitenciário.

Com informações da SSPDS

Acompanhe o caso:

12 de novembro – Secretaria de Segurança monta força-tarefa para investigar mortes em sequência em Messejana

12 de novembro – Escolas suspendem aulas por sequência de mortes na Grande Messejana

Publicidade

Dê sua opinião

Sequência de mortes em Fortaleza aconteceu em 4 horas com pelos menos 4 adolescentes assassinados

A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) determinou prioridade na apuração das circunstâncias dos homicídios

Por Tribuna do Ceará em Segurança Pública

13 de novembro de 2015 às 06:15

Há 4 anos
A Polícia trabalha com algumas linhas de investigação, entre elas a prisão na última terça-feira (10) de Carlos Alexandre Alberto da Silva (38), vulgo ‘Castor’, que possui antecedentes criminais por tráfico de drogas (FOTO: Divulgação/SSPDS)

A Polícia trabalha com algumas linhas de investigação, entre elas a prisão na última terça-feira (10) de Carlos Alexandre Alberto da Silva (38), vulgo ‘Castor’, que possui antecedentes criminais por tráfico de drogas (FOTO: Divulgação/SSPDS)

Pelo menos quatro, das 11 vítimas da sequência de mortes na Grande Messejana, em Fortaleza, na madrugada desta quinta-feira (12), eram adolescentes. Três vítimas ainda não foram identificadas.

De acordo com informações da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), a primeira morte aconteceu logo após a meia-noite. No mesmo local e horário ainda foram executados outro adolescente e uma pessoa cujo nome é desconhecido, mas que tinha 18 anos. Esta sequência de mortes aconteceu na localidade do Curió, entre 0h20 e 1h54.

Já no Alagadiço Novo, foram vítimas de homicídio mais dois menores de 18 anos. O duplo assassinato aconteceu às 1h54, ainda de acordo com a SSPDS.
Às 3h33, no bairro São Miguel, Jandson Alexandre (19), Francisco Elenildo Pereira Chagas (41) e outro rapaz, de idade não identificada, também foram assassinados.

Por fim, já na própria Messejana, às 3h57, Pedro Alcântara Barroso do Nascimento (18), e outro rapaz, de idade não identificada, e outra pessoa sem nome revelado foram mortos.

Operação

O secretário da Segurança Pública e Defesa Social, Delci Teixeira, reuniu-se, ainda na noite desta quinta, com os comandantes da Polícia Militar e da Polícia Civil e os responsáveis pelas investigações acerca das 11 mortes ocorridas na Grande Messejana. A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) determinou prioridade na apuração das circunstâncias dos homicídios.

A SSPDS informa que equipes da Polícia Civil, por meio da Divisão de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP), da Unidade Tático Operacional (UTO) da Divisão Antissequestro (DAS) e dos 6º e 35º Distritos Policiais, além de agentes da inteligência, estão realizando investigações.

A Polícia trabalha com algumas linhas de investigação, entre elas a prisão na última terça-feira (10) de Carlos Alexandre Alberto da Silva (38), vulgo ‘Castor’, que possui antecedentes criminais por tráfico de drogas, porte e posse ilegal de arma de fogo, ameaça, homicídios, tentativa de homicídio, e estava com três mandados de prisão em aberto. Ele portava um fuzil e uma pistola utilizados em uma chacina ocorrida na “Comunidade Cinquentinha”. O preso teria ordenado a morte dos seus delatores. Outra linha de investigação aponta para retaliação pela morte do traficante Lindemberg Vieira Dias, morto na última terça-feira (11), um dia após deixar o sistema penitenciário.

Com informações da SSPDS

Acompanhe o caso:

12 de novembro – Secretaria de Segurança monta força-tarefa para investigar mortes em sequência em Messejana

12 de novembro – Escolas suspendem aulas por sequência de mortes na Grande Messejana