Noivas denunciam banda de casamento por suposto golpe em Fortaleza

FALÊNCIA

Noivas denunciam banda de casamento por suposto golpe em Fortaleza

Segundo os contratantes, o músico – que estava no mercado há 20 anos – não atende ligações, fechou o escritório e desativou todas as redes sociais

Por Roberta Tavares em Segurança Pública

5 de julho de 2017 às 17:14

Há 2 anos
Noivas se organizam para reaver o prejuízo (FOTO: Reprodução/Whatsapp)

Noivas se organizam para reaver o prejuízo (FOTO: Reprodução/Whatsapp)

Mais de 30 noivas prestes a casar denunciaram a banda Roger Melo na tarde desta quarta-feira (5), em Fortaleza. Ele teria enviado uma carta para uma das noivas declarando falência.

Segundo os contratantes, Roger Melo não atende ligações, desativou todas as redes sociais e fechou o escritório, indicando um suposto golpe.

Na carta enviada a uma das noivas, datada em 4 de julho de 2017, Roger Franco Fernandes Melo informa que, diante da crise, está impedido de honrar o contrato de prestação de serviço firmado com a contratante. Ele alega ainda ter penhorado até os instrumentos musicais da banda.

“Há mais de 20 anos o notificante exerce a atividade na praça de Fortaleza, tendo durante esse período honrado seus compromissos de forma ordeira e exemplar. É de conhecimento geral que o Brasil vem passando por uma gravíssima crise de cunho político e econômico.

Documento enviado por Roger Melo à noiva em Fortaleza

Documento enviado por Roger Melo à noiva em Fortaleza

Nesse diapasão, o notificante foi impactado contundentemente de tal maneira que sua insolvência é inevitável, o que impede momentaneamente de honrar com o contrato de prestação de serviço firmado com vossa senhoria. Por conta do colapso financeiro, até mesmo os instrumentos musicais foram penhorados”, diz um trecho do documento.

Boletins de Ocorrência já foram registrados contra o músico na tarde desta quarta-feira (5). O Tribuna do Ceará teve acesso à prévia da lista de valores já pagos por noivas que supostamente foram vítimas do músico. Até o momento, foram somados mais de R$ 40 mil de rombo, caso os contratos não sejam honrados.

Em grupo criado no Whatsapp, as noivas lamentam a situação e se organizam para reaver o prejuízo. Uma das contrantes, por exemplo, casará daqui a 10 dias e segue sem posição sobre a prestação do serviço. “Estou desesperada”, comentou na rede social.

Fernando Wallace é um dos noivos afetados pela possível falência. Ele se casa em 7 de outubro próximo, mas conhece casais cuja cerimônia ocorre na próxima semana. Fernando conta que a noiva dele descobriu o caso através de um grupo no Whatsapp. Tentou, então, acioná-lo pelo próprio aplicativo, assim como pelo Facebook, mas todas as contas haviam sido excluídas. Em seguida, conversou com um fotógrafo que tinha trabalhado com o dono da banda recentemente — mas também não conseguiu contato.

Pelo Google Maps, Fernando viu que o escritório de Roger tinha uma placa de aluga-se. Em contato com a corretora, descobriu que a sala havia sido esvaziada a pouco. “Foi aí que percebi que fui vítima de um golpe”, admite.

Ele conta ter pagado R$ 1.800 à vista, no que seria um preço promocional. No entanto, Fernando já viu relatos de casais que pagaram de até R$ 3.500. Além de registrar B.O, o noivo pretende acionar um advogado para tomar as medidas cabíveis.

Resposta

Roger Melo falou ao Tribuna do Ceará que o caso não pode ser tratado como um golpe. “Eu não dei um golpe, trabalho há 20 anos nessa área. Estou à disposição da lei”, disse. Ele informou ainda que fechou o escritório por questões de segurança, após o comunicado. No entanto, não respondeu sobre a situação das noivas que estão com contratos firmados até 2018.

 A reportagem tentou contato com o titular da Delegacia de Defraudações e Falsificações, no entanto, as ligações não foram atendidas.

Golpe de decorador

Em março de 2017, noivos denunciaram outro golpe, dessa vez com prejuízo de R$ 300 mil. O grupo denunciou o suposto golpe aplicado pela empresa Flávio Decorações, do decorador Flávio Sampaio, contratada para fazer a decoração de algumas festas de casamento em Fortaleza. 

“Peço imensas desculpas e informo que em nenhum momento tive a intenção de prejudicar vocês, mas a crise do país e problemas financeiros tornaram o contrato oneroso demais para nós. Aproveito para pedir perdão e me colocar à disposição para maiores esclarecimentos. Estou realmente em uma situação delicada e já estou, em breve, protocolando pedido de falência judicial”, informou Flávio na mensagem enviada às noivas na época.

Publicidade

Dê sua opinião

FALÊNCIA

Noivas denunciam banda de casamento por suposto golpe em Fortaleza

Segundo os contratantes, o músico – que estava no mercado há 20 anos – não atende ligações, fechou o escritório e desativou todas as redes sociais

Por Roberta Tavares em Segurança Pública

5 de julho de 2017 às 17:14

Há 2 anos
Noivas se organizam para reaver o prejuízo (FOTO: Reprodução/Whatsapp)

Noivas se organizam para reaver o prejuízo (FOTO: Reprodução/Whatsapp)

Mais de 30 noivas prestes a casar denunciaram a banda Roger Melo na tarde desta quarta-feira (5), em Fortaleza. Ele teria enviado uma carta para uma das noivas declarando falência.

Segundo os contratantes, Roger Melo não atende ligações, desativou todas as redes sociais e fechou o escritório, indicando um suposto golpe.

Na carta enviada a uma das noivas, datada em 4 de julho de 2017, Roger Franco Fernandes Melo informa que, diante da crise, está impedido de honrar o contrato de prestação de serviço firmado com a contratante. Ele alega ainda ter penhorado até os instrumentos musicais da banda.

“Há mais de 20 anos o notificante exerce a atividade na praça de Fortaleza, tendo durante esse período honrado seus compromissos de forma ordeira e exemplar. É de conhecimento geral que o Brasil vem passando por uma gravíssima crise de cunho político e econômico.

Documento enviado por Roger Melo à noiva em Fortaleza

Documento enviado por Roger Melo à noiva em Fortaleza

Nesse diapasão, o notificante foi impactado contundentemente de tal maneira que sua insolvência é inevitável, o que impede momentaneamente de honrar com o contrato de prestação de serviço firmado com vossa senhoria. Por conta do colapso financeiro, até mesmo os instrumentos musicais foram penhorados”, diz um trecho do documento.

Boletins de Ocorrência já foram registrados contra o músico na tarde desta quarta-feira (5). O Tribuna do Ceará teve acesso à prévia da lista de valores já pagos por noivas que supostamente foram vítimas do músico. Até o momento, foram somados mais de R$ 40 mil de rombo, caso os contratos não sejam honrados.

Em grupo criado no Whatsapp, as noivas lamentam a situação e se organizam para reaver o prejuízo. Uma das contrantes, por exemplo, casará daqui a 10 dias e segue sem posição sobre a prestação do serviço. “Estou desesperada”, comentou na rede social.

Fernando Wallace é um dos noivos afetados pela possível falência. Ele se casa em 7 de outubro próximo, mas conhece casais cuja cerimônia ocorre na próxima semana. Fernando conta que a noiva dele descobriu o caso através de um grupo no Whatsapp. Tentou, então, acioná-lo pelo próprio aplicativo, assim como pelo Facebook, mas todas as contas haviam sido excluídas. Em seguida, conversou com um fotógrafo que tinha trabalhado com o dono da banda recentemente — mas também não conseguiu contato.

Pelo Google Maps, Fernando viu que o escritório de Roger tinha uma placa de aluga-se. Em contato com a corretora, descobriu que a sala havia sido esvaziada a pouco. “Foi aí que percebi que fui vítima de um golpe”, admite.

Ele conta ter pagado R$ 1.800 à vista, no que seria um preço promocional. No entanto, Fernando já viu relatos de casais que pagaram de até R$ 3.500. Além de registrar B.O, o noivo pretende acionar um advogado para tomar as medidas cabíveis.

Resposta

Roger Melo falou ao Tribuna do Ceará que o caso não pode ser tratado como um golpe. “Eu não dei um golpe, trabalho há 20 anos nessa área. Estou à disposição da lei”, disse. Ele informou ainda que fechou o escritório por questões de segurança, após o comunicado. No entanto, não respondeu sobre a situação das noivas que estão com contratos firmados até 2018.

 A reportagem tentou contato com o titular da Delegacia de Defraudações e Falsificações, no entanto, as ligações não foram atendidas.

Golpe de decorador

Em março de 2017, noivos denunciaram outro golpe, dessa vez com prejuízo de R$ 300 mil. O grupo denunciou o suposto golpe aplicado pela empresa Flávio Decorações, do decorador Flávio Sampaio, contratada para fazer a decoração de algumas festas de casamento em Fortaleza. 

“Peço imensas desculpas e informo que em nenhum momento tive a intenção de prejudicar vocês, mas a crise do país e problemas financeiros tornaram o contrato oneroso demais para nós. Aproveito para pedir perdão e me colocar à disposição para maiores esclarecimentos. Estou realmente em uma situação delicada e já estou, em breve, protocolando pedido de falência judicial”, informou Flávio na mensagem enviada às noivas na época.