MP responde às críticas de policiais sobre a investigação a delegado suspeito de corrupção

LEGALIDADE

MP responde às críticas de policiais sobre a investigação a delegado suspeito de corrupção

Policiais criticaram a postura do Ministério Público nas investigações a Romério de Almeida, encontrado baleado com tiro na cabeça nesta quinta-feira

Por Tribuna do Ceará em Segurança Pública

27 de abril de 2018 às 09:55

Há 1 ano
A decisão foi publicada no Diário da Justiça Eletrônico (FOTO: Divulgação Poder Judiciário)

MP reforça parceria entre instituições e diz que investigações são conduzidas legalmente (FOTO: Divulgação Poder Judiciário)

O Ministério Público Estadual do Ceará se manifestou nesta sexta-feira (27) após críticas da Polícia Civil à postura do órgão diante da operação “Renault 34”, que investiga o envolvimento do delegado Romério de Moreira, acusado de corrupção passiva e que nesta quinta-feira (26) foi encontrado baleado com tiros na cabeça e no tórax. Plácido Barroso Rios, procurador-geral de Justiça, assina a nota.

No texto, o MP fala da relação de cooperação entre as duas instituições e reafirma que todas as investigações conduzidas pelo órgão obedecem os quesitos constitucionais e legais, mantendo o respeito pelos implicados e o respeito aos interesses da coletividade.

Investigação

Romério de Almeida está sendo investigado por suposto esquema criminoso. O titular foi afastado do cargo por 60 dias, nesta quarta-feira (25), por suspeita de corrupção passiva.

O Ministério Público do Estado do Ceará (MPF-CE), por meio do Núcleo de Investigação Criminal (Nuinc), em parceria com Controladoria Geral de Disciplina dos Órgãos de Segurança Pública e o Sistema Penitenciário do Estado (CGD), deflagrou a Operação Renault 34. O responsável pelo juiz da 8ª Vara Criminal, Henrique Granja, autorizou o cumprimento de mandados de busca de apreensão na casa do delegado.

Delegado hospitalizado

O delegado titular do 34º Distrito Policial Civil, Romério de Almeida, foi encontrado baleado dentro do seu apartamento, no bairro Aldeota, em Fortaleza, na manhã desta quinta. Ao encontrá-lo ferido, familiares o encaminharam para o hospital Gastroclínica. Logo depois, ele foi transferido para o Instituto Dr. José Frota (IJF).


Confira a nota do Ministério Público do Ceará.

O Ministério Público do Estado do Ceará e a Polícia Civil têm uma longa e profícua história de união e cooperação, que sempre foi pautada no respeito mútuo e nos interesses maiores da sociedade. Em todas as instâncias de governança, o Ministério Público tem defendido o fortalecimento da Polícia Civil e a valorização de seus agentes, que cumprem funções de extrema relevância para o Estado de Direito. Ambas instituições têm conduzido importantes investigações, na maioria das vezes em regime de força-tarefa, para combater todas as formas de criminalidade, atendendo ao anseio da cidadania por mais segurança e mais probidade.

As investigações realizadas pelo Ministério Público do Estado do Ceará têm obedecido os ditames constitucionais e legais, com absoluto respeito aos direitos e garantias fundamentais dos implicados, bem como aos direitos e interesses que pertencem à coletividade. Num Estado de Direito, todos estão sujeitos ao império da lei e quem quer que cometa atos ilícitos deve ser investigado e, conforme o caso, processado e julgado.

Cumprindo com o seu dever constitucional, o Ministério Público tem investigado e processado todos os autores de atos ilícitos independentemente das funções públicas ou ocupações privadas que exerçam, inclusive seus próprios agentes, numa demonstração de seriedade e isenção no trato dos assuntos públicos. A cooperação entre os Poderes e instituições que formam o Sistema de Segurança e Justiça é indispensável para a incolumidade pública e a paz social, e não será abalada pela apuração de desvios individuais e pontuais, haja vista que o respeito entre as instituições permanece inabalável.

Plácido Barroso Rios
Procurador-Geral de Justiça do Estado do Ceará

Publicidade

Dê sua opinião

LEGALIDADE

MP responde às críticas de policiais sobre a investigação a delegado suspeito de corrupção

Policiais criticaram a postura do Ministério Público nas investigações a Romério de Almeida, encontrado baleado com tiro na cabeça nesta quinta-feira

Por Tribuna do Ceará em Segurança Pública

27 de abril de 2018 às 09:55

Há 1 ano
A decisão foi publicada no Diário da Justiça Eletrônico (FOTO: Divulgação Poder Judiciário)

MP reforça parceria entre instituições e diz que investigações são conduzidas legalmente (FOTO: Divulgação Poder Judiciário)

O Ministério Público Estadual do Ceará se manifestou nesta sexta-feira (27) após críticas da Polícia Civil à postura do órgão diante da operação “Renault 34”, que investiga o envolvimento do delegado Romério de Moreira, acusado de corrupção passiva e que nesta quinta-feira (26) foi encontrado baleado com tiros na cabeça e no tórax. Plácido Barroso Rios, procurador-geral de Justiça, assina a nota.

No texto, o MP fala da relação de cooperação entre as duas instituições e reafirma que todas as investigações conduzidas pelo órgão obedecem os quesitos constitucionais e legais, mantendo o respeito pelos implicados e o respeito aos interesses da coletividade.

Investigação

Romério de Almeida está sendo investigado por suposto esquema criminoso. O titular foi afastado do cargo por 60 dias, nesta quarta-feira (25), por suspeita de corrupção passiva.

O Ministério Público do Estado do Ceará (MPF-CE), por meio do Núcleo de Investigação Criminal (Nuinc), em parceria com Controladoria Geral de Disciplina dos Órgãos de Segurança Pública e o Sistema Penitenciário do Estado (CGD), deflagrou a Operação Renault 34. O responsável pelo juiz da 8ª Vara Criminal, Henrique Granja, autorizou o cumprimento de mandados de busca de apreensão na casa do delegado.

Delegado hospitalizado

O delegado titular do 34º Distrito Policial Civil, Romério de Almeida, foi encontrado baleado dentro do seu apartamento, no bairro Aldeota, em Fortaleza, na manhã desta quinta. Ao encontrá-lo ferido, familiares o encaminharam para o hospital Gastroclínica. Logo depois, ele foi transferido para o Instituto Dr. José Frota (IJF).


Confira a nota do Ministério Público do Ceará.

O Ministério Público do Estado do Ceará e a Polícia Civil têm uma longa e profícua história de união e cooperação, que sempre foi pautada no respeito mútuo e nos interesses maiores da sociedade. Em todas as instâncias de governança, o Ministério Público tem defendido o fortalecimento da Polícia Civil e a valorização de seus agentes, que cumprem funções de extrema relevância para o Estado de Direito. Ambas instituições têm conduzido importantes investigações, na maioria das vezes em regime de força-tarefa, para combater todas as formas de criminalidade, atendendo ao anseio da cidadania por mais segurança e mais probidade.

As investigações realizadas pelo Ministério Público do Estado do Ceará têm obedecido os ditames constitucionais e legais, com absoluto respeito aos direitos e garantias fundamentais dos implicados, bem como aos direitos e interesses que pertencem à coletividade. Num Estado de Direito, todos estão sujeitos ao império da lei e quem quer que cometa atos ilícitos deve ser investigado e, conforme o caso, processado e julgado.

Cumprindo com o seu dever constitucional, o Ministério Público tem investigado e processado todos os autores de atos ilícitos independentemente das funções públicas ou ocupações privadas que exerçam, inclusive seus próprios agentes, numa demonstração de seriedade e isenção no trato dos assuntos públicos. A cooperação entre os Poderes e instituições que formam o Sistema de Segurança e Justiça é indispensável para a incolumidade pública e a paz social, e não será abalada pela apuração de desvios individuais e pontuais, haja vista que o respeito entre as instituições permanece inabalável.

Plácido Barroso Rios
Procurador-Geral de Justiça do Estado do Ceará