Fortaleza lidera ranking de capitais com maior taxa de homicídios na adolescência


Fortaleza lidera ranking de capitais com maior taxa de homicídios na adolescência

Capital cearense lidera o ranking seguida por mais três cidades do Nordeste: Maceió, Salvador e João Pessoa

Por Tribuna do Ceará em Segurança Pública

29 de janeiro de 2015 às 07:00

Há 4 anos
O estudo foi produzido com base em dados de 2012 e estima que mais de 42 mil adolescentes correm risco de serem assassinados nos municípios brasileiros com mais de cem mil habitantes (FOTO: Divulgação)

O estudo foi produzido com base em dados de 2012 e estima que mais de 42 mil adolescentes correm risco de serem assassinados nos municípios brasileiros com mais de cem mil habitantes (FOTO: Divulgação)

Fortaleza é a capital brasileira com maior índice de assassinatos entre adolescentes, segundo Índice de Homicídios na Adolescência (IHA) divulgado nesta quarta-feira (28). Com 9,92 mortes para cada grupo de mil pessoas entre 12 e 18 anos, a capital cearense lidera o ranking seguida por mais três cidades do Nordeste brasileiro: Maceió, com taxa de 9,37, Salvador, com 8,32, e João Pessoa, com 6,49.

O estudo foi produzido com base em dados de 2012 e estima que mais de 42 mil adolescentes correm risco de serem assassinados nos municípios brasileiros com mais de cem mil habitantes. A projeção diz respeito ao período entre 2013 e 2019. A taxa é a pior desde 2005.

O crescimento econômico do Nordeste é um dos motivos pelos quais a violência contra jovens teria crescido na região: pelo menos é o que acredita a ministra Ideli Salvatti, da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República (SDH). Para ela, o crime vai para onde tem o dinheiro.

Jovens negros

Pesquisa do Fórum Brasileiro de Segurança Pública aponta que é quatro vezes mais fácil um jovem negro ser assassinado do que um branco. Quando se fala de Nordeste, a taxa ainda aumenta: cinco vezes mais chance. Já a média do Brasil é menor: apenas 2,5. Com relação às cidades, Fortaleza ocupa a 33ª posição no ranking das com mais vulnerabilidade.

Publicidade

Dê sua opinião

Fortaleza lidera ranking de capitais com maior taxa de homicídios na adolescência

Capital cearense lidera o ranking seguida por mais três cidades do Nordeste: Maceió, Salvador e João Pessoa

Por Tribuna do Ceará em Segurança Pública

29 de janeiro de 2015 às 07:00

Há 4 anos
O estudo foi produzido com base em dados de 2012 e estima que mais de 42 mil adolescentes correm risco de serem assassinados nos municípios brasileiros com mais de cem mil habitantes (FOTO: Divulgação)

O estudo foi produzido com base em dados de 2012 e estima que mais de 42 mil adolescentes correm risco de serem assassinados nos municípios brasileiros com mais de cem mil habitantes (FOTO: Divulgação)

Fortaleza é a capital brasileira com maior índice de assassinatos entre adolescentes, segundo Índice de Homicídios na Adolescência (IHA) divulgado nesta quarta-feira (28). Com 9,92 mortes para cada grupo de mil pessoas entre 12 e 18 anos, a capital cearense lidera o ranking seguida por mais três cidades do Nordeste brasileiro: Maceió, com taxa de 9,37, Salvador, com 8,32, e João Pessoa, com 6,49.

O estudo foi produzido com base em dados de 2012 e estima que mais de 42 mil adolescentes correm risco de serem assassinados nos municípios brasileiros com mais de cem mil habitantes. A projeção diz respeito ao período entre 2013 e 2019. A taxa é a pior desde 2005.

O crescimento econômico do Nordeste é um dos motivos pelos quais a violência contra jovens teria crescido na região: pelo menos é o que acredita a ministra Ideli Salvatti, da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República (SDH). Para ela, o crime vai para onde tem o dinheiro.

Jovens negros

Pesquisa do Fórum Brasileiro de Segurança Pública aponta que é quatro vezes mais fácil um jovem negro ser assassinado do que um branco. Quando se fala de Nordeste, a taxa ainda aumenta: cinco vezes mais chance. Já a média do Brasil é menor: apenas 2,5. Com relação às cidades, Fortaleza ocupa a 33ª posição no ranking das com mais vulnerabilidade.