Caso Dandara: Júri popular decide futuro dos acusados de um dos crimes mais cruéis do Brasil

TRANSFOBIA

Caso Dandara: Júri popular decide futuro dos acusados de um dos crimes mais cruéis do Brasil

O julgamento teve início na manhã desta quinta-feira (5), no Fórum Clóvis Beviláqua, em Fortaleza. Movimentos LGBT pedem justiça do lado de fora do prédio

Por Daniel Rocha em Segurança Pública

5 de abril de 2018 às 10:09

Há 1 ano

http://mais.uol.com.br/view/16422265

O advogado Hélio Leitão, assistente da acusação, comenta a rotina dos crimes de ódio contra travestis e transexuais. Além da repercussão mundial do caso Dandara.

http://mais.uol.com.br/view/16422241

Para o promotor de Justiça Marcus Renan Palácio, titular da Promotoria de Justiça da 1a Vara do Júri, as provas são robustas para que os réus sejam condenados.

http://mais.uol.com.br/view/16422242

O caso está sendo monitorado pelo programa “Tempo de Justiça”, que visa dar celeridade aos processos criminais de homicídio entre outros crimes contra a vida. Os réus estão sendo julgados em Júri Popular. O julgamento deve se estender até a madrugada desta quinta-feira (6).

http://mais.uol.com.br/view/16422298

Integrantes de grupos LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Transgêneros) compareceram ao Fórum Clóvis Beviláqua para exigir justiça aos casos de assassinatos contra o público LGBT, principalmente à travestis e transexuais.

http://mais.uol.com.br/view/16422322

Para a coordenadora executiva da Coordenadoria Especial da Diversidade Sexual da Secretaria Municipal dos Direitos Humanos e Desenvolvimento Social, Deidiane Souza, além de julgar os crimes, o Governo precisa implementar políticas públicas para garantir os direitos do público LGBT e para preservar suas vidas.

http://mais.uol.com.br/view/16422315

Publicidade

Dê sua opinião

TRANSFOBIA

Caso Dandara: Júri popular decide futuro dos acusados de um dos crimes mais cruéis do Brasil

O julgamento teve início na manhã desta quinta-feira (5), no Fórum Clóvis Beviláqua, em Fortaleza. Movimentos LGBT pedem justiça do lado de fora do prédio

Por Daniel Rocha em Segurança Pública

5 de abril de 2018 às 10:09

Há 1 ano

http://mais.uol.com.br/view/16422265

O advogado Hélio Leitão, assistente da acusação, comenta a rotina dos crimes de ódio contra travestis e transexuais. Além da repercussão mundial do caso Dandara.

http://mais.uol.com.br/view/16422241

Para o promotor de Justiça Marcus Renan Palácio, titular da Promotoria de Justiça da 1a Vara do Júri, as provas são robustas para que os réus sejam condenados.

http://mais.uol.com.br/view/16422242

O caso está sendo monitorado pelo programa “Tempo de Justiça”, que visa dar celeridade aos processos criminais de homicídio entre outros crimes contra a vida. Os réus estão sendo julgados em Júri Popular. O julgamento deve se estender até a madrugada desta quinta-feira (6).

http://mais.uol.com.br/view/16422298

Integrantes de grupos LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Transgêneros) compareceram ao Fórum Clóvis Beviláqua para exigir justiça aos casos de assassinatos contra o público LGBT, principalmente à travestis e transexuais.

http://mais.uol.com.br/view/16422322

Para a coordenadora executiva da Coordenadoria Especial da Diversidade Sexual da Secretaria Municipal dos Direitos Humanos e Desenvolvimento Social, Deidiane Souza, além de julgar os crimes, o Governo precisa implementar políticas públicas para garantir os direitos do público LGBT e para preservar suas vidas.

http://mais.uol.com.br/view/16422315