Caseiro é denunciado por homicídio de Rakelly com resquício de crueldade e mais 4 agravantes

MINISTÉRIO PÚBLICO

Caseiro é denunciado por homicídio de Rakelly com resquício de crueldade e mais 4 agravantes

A criança foi encontrada com a boca e as mãos amarradas em uma cacimba

Por Lyvia Rocha em Segurança Pública

5 de outubro de 2016 às 18:51

Há 3 anos
rakelly-criança-desaparecida

Menina de oito anos foi encontrada morta em sítio ao lado de sua casa. (Foto: Arquivo pessoal)

O acusado de assassinar a menina Rakelly, o caseiro José Leonardo de Vasconcelos Graciano, foi denunciado pelo Ministério Público do Ceará, nesta quarta-feira (5), pela prática dos crimes de homicídio com cinco qualificadoras (motivo torpe, crueldade, impossibilidade de defesa da ofendida, para assegurar a impunidade quanto ao crime anterior de estupro e feminicídio). Além deles, ainda foi denunciado por estupro de vulnerável, vilipêndio de cadáver e ocultação do cadáver da menina Rakelly Matias Alves.

“O crime de homicídio foi praticado contra criança menor de 14 anos, além do mais existem simultaneamente a presença da qualificadora do motivo torpe, eis que o comportamento homicida se deu por motivo repugnante, abjeto, para satisfazer interesse sexual. Foi empregado, também, o meio cruel, uma vez que a vítima suportou sofrimento excessivo já que foi imobilizada, amordaçada e asfixiada até a morte, além de não ter tido chances de oferecer resistência em razão da sua tenra idade. Deve ser lembrado ainda que o homicídio também foi praticado para assegurar a impunidade quanto ao crime anterior de estupro e que a vítima era pessoa de sexo feminino que foi subjugada em razão da sua condição de mulher indefesa”, afirma o promotor de Justiça Luís Bezerra Lima Neto.

Após a denúncia ser recebida, o juiz de Itaitinga irá ordenar a citação do acusado para responder a acusação no prazo de 10 dias. O caseiro está preso desde o dia 24 de setembro, data que a polícia encontrou o corpo da menina de 8 anos em uma cacimba, que era utilizada como uma fossa séptica do sítio para onde a criança se dirigiu para brincar com o filho de José Leonardo.

Relembre

A menina Rakelly Matias Alves havia sido vista pela última vez ao meio-dia do dia 21 de setembro em frente a um sítio vizinho a sua residência, onde foi encontrada morta três dias depois pela Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

A criança foi encontrada com a boca e as mãos amarradas em uma cacimba no sítio ao lado de sua residência. O principal suspeito do crime é o caseiro identificado como “Zé”. Ele teria dito à polícia que a menina havia caído e machucado muito o rosto.

Acompanhe o caso

25 de setembro – Vizinho do sítio onde menina Rakelly foi encontrada morta disse à Polícia ter tido “sonho revelador”

26 de setembro – Polícia revela que menina foi estuprada antes e depois de ser morta por caseiro

26 de setembro – Polícia investiga envolvimento de outras pessoas no assassinato de Rakelly

27 de setembro – Escola reúne multidão para se despedir de menina morta por caseiro

Publicidade

Dê sua opinião

MINISTÉRIO PÚBLICO

Caseiro é denunciado por homicídio de Rakelly com resquício de crueldade e mais 4 agravantes

A criança foi encontrada com a boca e as mãos amarradas em uma cacimba

Por Lyvia Rocha em Segurança Pública

5 de outubro de 2016 às 18:51

Há 3 anos
rakelly-criança-desaparecida

Menina de oito anos foi encontrada morta em sítio ao lado de sua casa. (Foto: Arquivo pessoal)

O acusado de assassinar a menina Rakelly, o caseiro José Leonardo de Vasconcelos Graciano, foi denunciado pelo Ministério Público do Ceará, nesta quarta-feira (5), pela prática dos crimes de homicídio com cinco qualificadoras (motivo torpe, crueldade, impossibilidade de defesa da ofendida, para assegurar a impunidade quanto ao crime anterior de estupro e feminicídio). Além deles, ainda foi denunciado por estupro de vulnerável, vilipêndio de cadáver e ocultação do cadáver da menina Rakelly Matias Alves.

“O crime de homicídio foi praticado contra criança menor de 14 anos, além do mais existem simultaneamente a presença da qualificadora do motivo torpe, eis que o comportamento homicida se deu por motivo repugnante, abjeto, para satisfazer interesse sexual. Foi empregado, também, o meio cruel, uma vez que a vítima suportou sofrimento excessivo já que foi imobilizada, amordaçada e asfixiada até a morte, além de não ter tido chances de oferecer resistência em razão da sua tenra idade. Deve ser lembrado ainda que o homicídio também foi praticado para assegurar a impunidade quanto ao crime anterior de estupro e que a vítima era pessoa de sexo feminino que foi subjugada em razão da sua condição de mulher indefesa”, afirma o promotor de Justiça Luís Bezerra Lima Neto.

Após a denúncia ser recebida, o juiz de Itaitinga irá ordenar a citação do acusado para responder a acusação no prazo de 10 dias. O caseiro está preso desde o dia 24 de setembro, data que a polícia encontrou o corpo da menina de 8 anos em uma cacimba, que era utilizada como uma fossa séptica do sítio para onde a criança se dirigiu para brincar com o filho de José Leonardo.

Relembre

A menina Rakelly Matias Alves havia sido vista pela última vez ao meio-dia do dia 21 de setembro em frente a um sítio vizinho a sua residência, onde foi encontrada morta três dias depois pela Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

A criança foi encontrada com a boca e as mãos amarradas em uma cacimba no sítio ao lado de sua residência. O principal suspeito do crime é o caseiro identificado como “Zé”. Ele teria dito à polícia que a menina havia caído e machucado muito o rosto.

Acompanhe o caso

25 de setembro – Vizinho do sítio onde menina Rakelly foi encontrada morta disse à Polícia ter tido “sonho revelador”

26 de setembro – Polícia revela que menina foi estuprada antes e depois de ser morta por caseiro

26 de setembro – Polícia investiga envolvimento de outras pessoas no assassinato de Rakelly

27 de setembro – Escola reúne multidão para se despedir de menina morta por caseiro