Volta de gêmeas siamesas que estavam unidas pela cabeça é adiada por conta da cicatrização

RECUPERAÇÃO

Volta de gêmeas siamesas que estavam unidas pela cabeça é adiada por conta da cicatrização

Uma das crianças teve problemas na cicatrização. Elas estão há um ano no Hospital das Clínicas, em São Paulo, onde a cirurgia foi realizada

Por Tribuna Bandnews FM em Saúde

4 de janeiro de 2019 às 06:30

Há 4 meses
gemeas

Gêmeas siamesas têm retorno ainda este mês de janeiro. (FOTO: Divulgação)

O retorno das irmãs siamesas ao Ceará foi adiado para este mês de janeiro, como medida de precaução. Uma das crianças, que nasceram unidas pela cabeça, teve problemas na cicatrização. Elas estão há um ano no Hospital das Clínicas, em São Paulo, onde a cirurgia foi realizada.

A equipe médica optou por acompanhar um pouco mais as pacientes antes da liberação, como explica o médico responsável pelo caso, Eduardo Jucá.

“A recuperação neurológica continua muito boa. A data da volta foi adiada um pouco por questão de cicatrização, curativos, aquela parte mais externa. Não está fora do previsto precisar de um pouco mais de cuidado antes da volta”, disse o médico, em entrevista à Rádio Tribuna Band News FM.

No mês de outubro as crianças passaram pela quinta e última cirurgia de separação total dos crânios. O procedimento foi um sucesso e contou com mais de 30 profissionais entre brasileiros e norte-americanos. Desde então, a rotina das irmãs tem sido acompanhada.

“Elas já estão em um regime fora do hospital, a parte neurológica, realmente, muito satisfatória. Elas têm interagido muito bem, brincando… Então, nessa parte aí a gente está bem tranquilo mesmo e acertando os últimos detalhes em termos de curativo e cicatrização para possibilitar a volta delas”, explicou Eduardo Jucá.

Após retornarem ao Ceará, as meninas vão continuar sendo acompanhadas no Hospital Albert Sabin.

Confira a entrevista do médico para a Tribuna Band News FM. 

Publicidade

Dê sua opinião

RECUPERAÇÃO

Volta de gêmeas siamesas que estavam unidas pela cabeça é adiada por conta da cicatrização

Uma das crianças teve problemas na cicatrização. Elas estão há um ano no Hospital das Clínicas, em São Paulo, onde a cirurgia foi realizada

Por Tribuna Bandnews FM em Saúde

4 de janeiro de 2019 às 06:30

Há 4 meses
gemeas

Gêmeas siamesas têm retorno ainda este mês de janeiro. (FOTO: Divulgação)

O retorno das irmãs siamesas ao Ceará foi adiado para este mês de janeiro, como medida de precaução. Uma das crianças, que nasceram unidas pela cabeça, teve problemas na cicatrização. Elas estão há um ano no Hospital das Clínicas, em São Paulo, onde a cirurgia foi realizada.

A equipe médica optou por acompanhar um pouco mais as pacientes antes da liberação, como explica o médico responsável pelo caso, Eduardo Jucá.

“A recuperação neurológica continua muito boa. A data da volta foi adiada um pouco por questão de cicatrização, curativos, aquela parte mais externa. Não está fora do previsto precisar de um pouco mais de cuidado antes da volta”, disse o médico, em entrevista à Rádio Tribuna Band News FM.

No mês de outubro as crianças passaram pela quinta e última cirurgia de separação total dos crânios. O procedimento foi um sucesso e contou com mais de 30 profissionais entre brasileiros e norte-americanos. Desde então, a rotina das irmãs tem sido acompanhada.

“Elas já estão em um regime fora do hospital, a parte neurológica, realmente, muito satisfatória. Elas têm interagido muito bem, brincando… Então, nessa parte aí a gente está bem tranquilo mesmo e acertando os últimos detalhes em termos de curativo e cicatrização para possibilitar a volta delas”, explicou Eduardo Jucá.

Após retornarem ao Ceará, as meninas vão continuar sendo acompanhadas no Hospital Albert Sabin.

Confira a entrevista do médico para a Tribuna Band News FM.