Menino de 5 anos morre de meningite no Hospital Albert Sabin, em Fortaleza

ALERTA

Menino de 5 anos morre de meningite no Hospital Albert Sabin, em Fortaleza

Nos anos de 2017 e 2018, foram registrados 382 casos dos três tipos da doença (não especificada, viral e bacteriana) no Ceará

Por Tribuna do Ceará em Saúde

8 de março de 2019 às 12:12

Há 1 mês
Fachada do hospital Albert Sabin

Menino de cinco anos morreu de meningite na última sexta-feira (1). (FOTO:Divulgação)

Uma criança de cinco anos, do sexo masculino, faleceu de meningite no Hospital Infantil Albert Sabin, na última sexta-feira (1), em Fortaleza. O caso foi confirmado pela produção da TV Jangadeiro/SBT. Nos anos de 2017 e 2018, foram registrados 382 casos dos três tipos da doença (não especificada, viral e bacteriana) no Ceará.

Segundo o Ministério da Saúde, a meningite é um “processo inflamatório das meninges, membranas que envolvem o cérebro e a medula espinhal, causado por bactérias.” A transmissão pode ser através das vias respiratórias, por gotícolas e secreções. A transmissão pode ser através das vias respiratórias, por gotícolas e secreções. Febre, cefaleia, náusea, vômito, rigidez da nuca, confusão mental são alguns dos sintomas.

Sobre a doença, o último boletim epidemiológico foi emitido em agosto de 2018, tratando dos anos de 2017 e 2018, vigente na época. Nesses dois últimos anos, foram confirmados 382 casos de acordo com o boletim epidemiológico mais atualizado da Secretaria da Saúde do Estado do Ceará, emitido em maio de 2018. No Estado, a taxa de letalidade para todos os tipos (não especificadas, viral e bacteriana) foi de 10,2%.

Ainda de acordo com o documento, em 2017 a doença foi confirmada em 69 dos 184 municípios do Ceará e 8,7% (16 cidades) registraram óbitos. No ano passado, até a publicação do documento, foram 17,4% (32 municípios) com incidência com mortes em 1,6% (3).

Em 2017, 31,9% (122/383) dos casos confirmados eram de pessoas entre 20 e 39 anos, seguidos da faixa etária de 50 a 59 anos, a sua maioria do sexo masculino. Em 2018, os 37,8% (37/98) as idades se repetem, também com maioria do sexo masculino, menos nas idades de 10 a 14 anos quando se igualam.

 

Publicidade

Dê sua opinião

ALERTA

Menino de 5 anos morre de meningite no Hospital Albert Sabin, em Fortaleza

Nos anos de 2017 e 2018, foram registrados 382 casos dos três tipos da doença (não especificada, viral e bacteriana) no Ceará

Por Tribuna do Ceará em Saúde

8 de março de 2019 às 12:12

Há 1 mês
Fachada do hospital Albert Sabin

Menino de cinco anos morreu de meningite na última sexta-feira (1). (FOTO:Divulgação)

Uma criança de cinco anos, do sexo masculino, faleceu de meningite no Hospital Infantil Albert Sabin, na última sexta-feira (1), em Fortaleza. O caso foi confirmado pela produção da TV Jangadeiro/SBT. Nos anos de 2017 e 2018, foram registrados 382 casos dos três tipos da doença (não especificada, viral e bacteriana) no Ceará.

Segundo o Ministério da Saúde, a meningite é um “processo inflamatório das meninges, membranas que envolvem o cérebro e a medula espinhal, causado por bactérias.” A transmissão pode ser através das vias respiratórias, por gotícolas e secreções. A transmissão pode ser através das vias respiratórias, por gotícolas e secreções. Febre, cefaleia, náusea, vômito, rigidez da nuca, confusão mental são alguns dos sintomas.

Sobre a doença, o último boletim epidemiológico foi emitido em agosto de 2018, tratando dos anos de 2017 e 2018, vigente na época. Nesses dois últimos anos, foram confirmados 382 casos de acordo com o boletim epidemiológico mais atualizado da Secretaria da Saúde do Estado do Ceará, emitido em maio de 2018. No Estado, a taxa de letalidade para todos os tipos (não especificadas, viral e bacteriana) foi de 10,2%.

Ainda de acordo com o documento, em 2017 a doença foi confirmada em 69 dos 184 municípios do Ceará e 8,7% (16 cidades) registraram óbitos. No ano passado, até a publicação do documento, foram 17,4% (32 municípios) com incidência com mortes em 1,6% (3).

Em 2017, 31,9% (122/383) dos casos confirmados eram de pessoas entre 20 e 39 anos, seguidos da faixa etária de 50 a 59 anos, a sua maioria do sexo masculino. Em 2018, os 37,8% (37/98) as idades se repetem, também com maioria do sexo masculino, menos nas idades de 10 a 14 anos quando se igualam.