Para Eunício Oliveira, houve uso da máquina e "serviço sujo" no primeiro turno


Para Eunício Oliveira, houve uso da máquina e “serviço sujo” no primeiro turno

Candidato agradeceu os votos que recebeu neste domingo (5) e disse que entra energizado no segundo turno

Por Pedro Alves em Política

6 de outubro de 2014 às 11:15

Há 5 anos
Eunício Oliveira diz que uso da máquina causou segundo turno e aponta “serviço sujo” contra sua campanha

Eunício Oliveira recebeu imprensa em seu escritório, após consolidado o resultado das urnas (fotos: Pedro Alves/Tribuna do Ceará)

O senador Eunício Oliveira (PMDB) atribuiu o resultado do primeiro turno das eleições ao uso “perverso” e “bárbaro” das máquinas públicas estadual e municipais.

Líder nas intenções de voto em todas as pesquisas, desde o período pré-eleitoral, Eunício não conseguiu vitória neste domingo (5) e vai disputar o segundo turno com o candidato Camilo Santana (PT). Ele afirmou que parlamentares, prefeitos e a população do estado foram “pressionados e ameaçados”. Na primeira conversa com jornalistas após o resultado, em seu escritório, na Aldeota, o candidato do PMDB contou ainda ter sido vítima de “serviço sujo” durante a campanha eleitoral.

Segundo ele, somente no domingo (5), o telefone do escritório recebeu “mais de 100 mil chamadas”, o que impediu a comunicação. Além disso, segundo ele, foram usados equipamentos, transportados em malas, que servem para fazer escutas telefônicas em um raio de seis quilômetros. “Eu fui ministro das comunicações, e conheço esse equipamento”, disse. Eunício afirmou ainda que a senha usada na rede de internet de seu escritório foi alterada de “Eunício15 para “Camilo13”. Um boletim de ocorrência foi aberto pelo candidato. Ele também denunciou que membros de sua família receberam ameaças. Questionado se os fatos seriam denunciados, o senador respondeu que a denúncia já estava sendo feita, naquele momento, à “imprensa livre do Ceará”.

Avaliação

Para Eunício, os números das urnas apontam que a maioria dos cearenses quer mudança de rumos na administração estadual. “Esse modelo está falido, se não estivesse, eles teriam ganhado a eleição no primeiro turno”, afirmou o candidato, em tom leve, rodeado de apoiadores. Ele lembrou que a soma do votos dos candidatos de oposição é maior que o volume de votos a favor da continuidade do atual projeto.

O candidato do PMDB teve 46,4% dos votos válidos, ante 47,8% de votos válidos de Camilo. Eunício afirmou que entra tranquilo no segundo turno e que vai manter o que fez até agora: uma campanha propositiva, segundo ele. O senador diz que confia no “povo libertário que não teve medo da máquina, do poder, da força bruta, das mentiras que inventaram e da tentativa de cooptação e da compra de votos”.

Publicidade

Dê sua opinião

Para Eunício Oliveira, houve uso da máquina e “serviço sujo” no primeiro turno

Candidato agradeceu os votos que recebeu neste domingo (5) e disse que entra energizado no segundo turno

Por Pedro Alves em Política

6 de outubro de 2014 às 11:15

Há 5 anos
Eunício Oliveira diz que uso da máquina causou segundo turno e aponta “serviço sujo” contra sua campanha

Eunício Oliveira recebeu imprensa em seu escritório, após consolidado o resultado das urnas (fotos: Pedro Alves/Tribuna do Ceará)

O senador Eunício Oliveira (PMDB) atribuiu o resultado do primeiro turno das eleições ao uso “perverso” e “bárbaro” das máquinas públicas estadual e municipais.

Líder nas intenções de voto em todas as pesquisas, desde o período pré-eleitoral, Eunício não conseguiu vitória neste domingo (5) e vai disputar o segundo turno com o candidato Camilo Santana (PT). Ele afirmou que parlamentares, prefeitos e a população do estado foram “pressionados e ameaçados”. Na primeira conversa com jornalistas após o resultado, em seu escritório, na Aldeota, o candidato do PMDB contou ainda ter sido vítima de “serviço sujo” durante a campanha eleitoral.

Segundo ele, somente no domingo (5), o telefone do escritório recebeu “mais de 100 mil chamadas”, o que impediu a comunicação. Além disso, segundo ele, foram usados equipamentos, transportados em malas, que servem para fazer escutas telefônicas em um raio de seis quilômetros. “Eu fui ministro das comunicações, e conheço esse equipamento”, disse. Eunício afirmou ainda que a senha usada na rede de internet de seu escritório foi alterada de “Eunício15 para “Camilo13”. Um boletim de ocorrência foi aberto pelo candidato. Ele também denunciou que membros de sua família receberam ameaças. Questionado se os fatos seriam denunciados, o senador respondeu que a denúncia já estava sendo feita, naquele momento, à “imprensa livre do Ceará”.

Avaliação

Para Eunício, os números das urnas apontam que a maioria dos cearenses quer mudança de rumos na administração estadual. “Esse modelo está falido, se não estivesse, eles teriam ganhado a eleição no primeiro turno”, afirmou o candidato, em tom leve, rodeado de apoiadores. Ele lembrou que a soma do votos dos candidatos de oposição é maior que o volume de votos a favor da continuidade do atual projeto.

O candidato do PMDB teve 46,4% dos votos válidos, ante 47,8% de votos válidos de Camilo. Eunício afirmou que entra tranquilo no segundo turno e que vai manter o que fez até agora: uma campanha propositiva, segundo ele. O senador diz que confia no “povo libertário que não teve medo da máquina, do poder, da força bruta, das mentiras que inventaram e da tentativa de cooptação e da compra de votos”.