Obrigado, Fortaleza! Relembre os bordões eleitorais que caíram na boca do povo

MARKETING POLÍTICO

Obrigado, Fortaleza! Relembre os bordões eleitorais que caíram na boca do povo

Bordões lançados Neto Nunes, Aguiar Júnior, Deborah Soft, Cego Gino e João Oliveira entraram para a história

Por Matheus Ribeiro em Política

30 de setembro de 2016 às 07:00

Há 3 anos
Candidatos fizeram história pelos bordões e jingles em campanhas eleitorais no passado (FOTO: Divulgação)

Candidatos fizeram história pelos bordões e jingles em campanhas eleitorais no passado (FOTO: Divulgação)

Nada anima e destaca mais uma campanha eleitoral quanto as frases e slogans de quem busca voto. Independente do cargo disputado, as frases lançadas com ironia, para atacar ou defender, podem tanto se voltar contra o autor como ajudar alguns a ficar na história.

Todo ano eleitoral, os políticos trabalham com marketing e publicidade para elaborar campanhas que alcancem o público de forma a acreditarem e tomarem parte dos seus objetivos. Alguns criam slogans bem diferentes e profundos, outros partem para os slogans mais engraçados. No Ceará, a disputa por cargos políticos historicamente está recheada de personagens característicos.

Entre eles está o ex-candidato a governador do Ceará Francisco Horácio Marques Gondim, conhecido popularmente como Coronel Gondim. O ex-militar, que disputou as eleições de governador do Ceará em 2006 pelo Partido Social Democrata Cristão (PSDC), tinha como marca não tolerar criminosos.

Com a frase “Os bandidos do Ceará têm 24 horas para sair do Estado“, Coronel Gondim conseguiu acumular quase 20 mil votos para governador. Segundo o coronel, a ideia do bordão surgiu muito antes de se candidatar. “Ainda como coronel eu já pregava isso. E ainda continuo. Afinal, bandido bom é bandido morto“, destaca.

Entre outros slogans que ganharam destaque estão o do Pastor Neto Nunes, com o bordão “Vai dar tudo certo!“, e o do ex-presidente do time cearense Maguary, Aguiar Júnior, que disputou a Prefeitura de Fortaleza em 2008 com o slogan “Obrigado, Fortaleza!”. 

Segundo Aguiar, a ideia de criar o seu bordão partiu de uma reunião entre ele e mais quatro amigos. “Começamos a refletir sobre como agradecer a população mesmo depois que não fôssemos eleito. Então, vi que o melhor caminho para agradecer seria no curso da própria campanha. Depois que colocamos em prática, passamos a ter resposta muito boa”, disse.

Seu bordão ficou mais conhecido que o seu próprio nome e suas propostas. “Muita gente não sabe meu nome, mas conhece o meu bordão. Elas chegam e falam: “Eu te conheço, mas não sei de onde”. Aí, quando eu falo “Obrigado, Fortaleza”, a pessoa reconhece. O meu bordão foi mais forte que as minhas propostas”, destacou.

Outra candidata que ganhou força graça ao seu bordão foi a ex-striper Débora Soft. Com a frase “Vote com prazer“, ela conseguiu se eleger como vereador de Fortaleza, em 2012. Na eleição deste ano, Débora se candidatou novamente, no entanto o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) impugnou sua candidatura. O Tribuna do Ceará tentou entrar em contato com a ex-vereadora, mas até a publicação desta matéria não conseguiu retorno.

Estratégia eleitoral

Para a cientista política Carla Quaresma, a necessidade de alguns candidatos apelarem para bordões é de se criar uma marca. “Essa é uma estratégia que se assemelha a algo publicitário. Isso não é algo novo. Jânio Quadros, Getúlio Vargas, Juscelino Kubitschek, por exemplo, utilizaram disso nas suas respectivas campanhas e até hoje nós lembramos dos bordões”, esclarece.

Carla afirma também que a facilidade das letras faz com que se crie uma empatia. “Letras fáceis e pegajosas deixam mais fácil a empatia com o eleitor e também causam mais proximidade”, indica. Porém, ela acredita que apenas isso não é determinante para que um candidato consiga o êxito em uma eleição.

“Campo eleitoral é muito indeterminado e tem muitas variantes. Não existe nada que possa elencar um fracasso ou sucesso eleitoral. Agora, os bordões e jingles entram em uma boa estratégia de comunicação, e isso pode sim ser determinante na eleição”, finalizou.

Confira a lista:

Pastor Neto Nunes foi candidato nas últimas eleições de 2014 (FOTO: Divulgação)

Pastor Neto Nunes foi candidato também nas eleições de 2014 (FOTO: Divulgação)

Pastor Neto Nunes: Candidato a prefeito nas eleições de 2008, Pastor Neto Nunes ficou conhecido por usar em sua campanha eleitoral o bordão “Vai dar tudo certo”. Em 2014, ele tentou sem sucesso eleger-se deputado estadual. Nacionalmente, o político é um dos vices do PSC, uma corrente da Assembleia de Deus.

Coronel Godim foi candidato à Governador em 2006 (FOTO: Divulgação)

Coronel Gondim foi candidato a governador em 2006 (FOTO: Divulgação)

Coronel Gondim: O ex-comandante de Operações Especiais (COE) da Polícia Militar do Ceará se candidatou em 2006 a governador do Estado. Na época, o militar afirmava que não tolerava bandidos no Ceará. Na propaganda, ele deixava o aviso: “Os bandidos do Ceará têm 24 horas para sair do Estado”Ao fim do período eleitoral, Gondim recebeu 19.491 votos.

Déborah Soft conseguiu ser eleita a vereadora em Fortaleza (FOTO: Divulgação)

Déborah Soft conseguiu ser eleita a vereadora em Fortaleza em 2012 (FOTO: Divulgação)

Déborah Soft: Com o bordão “Vote com prazer”, a ex-striper Déborah Soft conseguiu ser eleita em 2012 como vereadora de Fortaleza pelo PTN. Além do seu bordão, que marcou o período eleitoral, jingles de funk também fizeram sucesso.

Aguiar júnior disputou três eleições no Ceará (FOTO: Divulgação)

Aguiar júnior disputou três eleições no Ceará (FOTO: Divulgação)

Aguiar Júnior: O ex-presidente do clube de futebol cearense Maguary também foi candidato. Apesar de disputar o cargo de governador na década de 1980, foi a disputa pela Prefeitura de Fortaleza em 2008 que o deixou conhecido. Graças ao bordão “Obrigado, Fortaleza” na propaganda.

J. Oliveira foi candidato à prefeito de Fortaleza (FOTO: Divulgação)

João Oliveira foi candidato a prefeito de Fortaleza (FOTO: Divulgação)

João Oliveira: Pelo PTdoB, o professor e dono de escola João Oliveira foi candidato em 2000 a prefeito de Fortaleza, depois de várias tentativas a vereador e deputado desde 1986. Na primeira aparição, ele tinha 21 anos de idade e recebeu apenas 442 votos na disputa para deputado estadual, pelo PDT. Nos anos 90, João Oliveira entrou pra história ao utilizar o bordão “Vamos cortar o mal pela raiz” na propaganda eleitoral.

Cego Gino: Ex-candidato a prefeito da capital cearense pelo PRN, Emiliano Gino Oliveira teve sua primeira participação na política em 1992. O Cego Gino, como era conhecido, foi candidato a vários cargos eletivos desde então. O fato de ser deficiente visual virou piada no seu bordão: “Tô nem vendo“.

Veja os vídeos das músicas de campanha:

Com informações de Lyvia Rocha

Publicidade

Dê sua opinião

MARKETING POLÍTICO

Obrigado, Fortaleza! Relembre os bordões eleitorais que caíram na boca do povo

Bordões lançados Neto Nunes, Aguiar Júnior, Deborah Soft, Cego Gino e João Oliveira entraram para a história

Por Matheus Ribeiro em Política

30 de setembro de 2016 às 07:00

Há 3 anos
Candidatos fizeram história pelos bordões e jingles em campanhas eleitorais no passado (FOTO: Divulgação)

Candidatos fizeram história pelos bordões e jingles em campanhas eleitorais no passado (FOTO: Divulgação)

Nada anima e destaca mais uma campanha eleitoral quanto as frases e slogans de quem busca voto. Independente do cargo disputado, as frases lançadas com ironia, para atacar ou defender, podem tanto se voltar contra o autor como ajudar alguns a ficar na história.

Todo ano eleitoral, os políticos trabalham com marketing e publicidade para elaborar campanhas que alcancem o público de forma a acreditarem e tomarem parte dos seus objetivos. Alguns criam slogans bem diferentes e profundos, outros partem para os slogans mais engraçados. No Ceará, a disputa por cargos políticos historicamente está recheada de personagens característicos.

Entre eles está o ex-candidato a governador do Ceará Francisco Horácio Marques Gondim, conhecido popularmente como Coronel Gondim. O ex-militar, que disputou as eleições de governador do Ceará em 2006 pelo Partido Social Democrata Cristão (PSDC), tinha como marca não tolerar criminosos.

Com a frase “Os bandidos do Ceará têm 24 horas para sair do Estado“, Coronel Gondim conseguiu acumular quase 20 mil votos para governador. Segundo o coronel, a ideia do bordão surgiu muito antes de se candidatar. “Ainda como coronel eu já pregava isso. E ainda continuo. Afinal, bandido bom é bandido morto“, destaca.

Entre outros slogans que ganharam destaque estão o do Pastor Neto Nunes, com o bordão “Vai dar tudo certo!“, e o do ex-presidente do time cearense Maguary, Aguiar Júnior, que disputou a Prefeitura de Fortaleza em 2008 com o slogan “Obrigado, Fortaleza!”. 

Segundo Aguiar, a ideia de criar o seu bordão partiu de uma reunião entre ele e mais quatro amigos. “Começamos a refletir sobre como agradecer a população mesmo depois que não fôssemos eleito. Então, vi que o melhor caminho para agradecer seria no curso da própria campanha. Depois que colocamos em prática, passamos a ter resposta muito boa”, disse.

Seu bordão ficou mais conhecido que o seu próprio nome e suas propostas. “Muita gente não sabe meu nome, mas conhece o meu bordão. Elas chegam e falam: “Eu te conheço, mas não sei de onde”. Aí, quando eu falo “Obrigado, Fortaleza”, a pessoa reconhece. O meu bordão foi mais forte que as minhas propostas”, destacou.

Outra candidata que ganhou força graça ao seu bordão foi a ex-striper Débora Soft. Com a frase “Vote com prazer“, ela conseguiu se eleger como vereador de Fortaleza, em 2012. Na eleição deste ano, Débora se candidatou novamente, no entanto o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) impugnou sua candidatura. O Tribuna do Ceará tentou entrar em contato com a ex-vereadora, mas até a publicação desta matéria não conseguiu retorno.

Estratégia eleitoral

Para a cientista política Carla Quaresma, a necessidade de alguns candidatos apelarem para bordões é de se criar uma marca. “Essa é uma estratégia que se assemelha a algo publicitário. Isso não é algo novo. Jânio Quadros, Getúlio Vargas, Juscelino Kubitschek, por exemplo, utilizaram disso nas suas respectivas campanhas e até hoje nós lembramos dos bordões”, esclarece.

Carla afirma também que a facilidade das letras faz com que se crie uma empatia. “Letras fáceis e pegajosas deixam mais fácil a empatia com o eleitor e também causam mais proximidade”, indica. Porém, ela acredita que apenas isso não é determinante para que um candidato consiga o êxito em uma eleição.

“Campo eleitoral é muito indeterminado e tem muitas variantes. Não existe nada que possa elencar um fracasso ou sucesso eleitoral. Agora, os bordões e jingles entram em uma boa estratégia de comunicação, e isso pode sim ser determinante na eleição”, finalizou.

Confira a lista:

Pastor Neto Nunes foi candidato nas últimas eleições de 2014 (FOTO: Divulgação)

Pastor Neto Nunes foi candidato também nas eleições de 2014 (FOTO: Divulgação)

Pastor Neto Nunes: Candidato a prefeito nas eleições de 2008, Pastor Neto Nunes ficou conhecido por usar em sua campanha eleitoral o bordão “Vai dar tudo certo”. Em 2014, ele tentou sem sucesso eleger-se deputado estadual. Nacionalmente, o político é um dos vices do PSC, uma corrente da Assembleia de Deus.

Coronel Godim foi candidato à Governador em 2006 (FOTO: Divulgação)

Coronel Gondim foi candidato a governador em 2006 (FOTO: Divulgação)

Coronel Gondim: O ex-comandante de Operações Especiais (COE) da Polícia Militar do Ceará se candidatou em 2006 a governador do Estado. Na época, o militar afirmava que não tolerava bandidos no Ceará. Na propaganda, ele deixava o aviso: “Os bandidos do Ceará têm 24 horas para sair do Estado”Ao fim do período eleitoral, Gondim recebeu 19.491 votos.

Déborah Soft conseguiu ser eleita a vereadora em Fortaleza (FOTO: Divulgação)

Déborah Soft conseguiu ser eleita a vereadora em Fortaleza em 2012 (FOTO: Divulgação)

Déborah Soft: Com o bordão “Vote com prazer”, a ex-striper Déborah Soft conseguiu ser eleita em 2012 como vereadora de Fortaleza pelo PTN. Além do seu bordão, que marcou o período eleitoral, jingles de funk também fizeram sucesso.

Aguiar júnior disputou três eleições no Ceará (FOTO: Divulgação)

Aguiar júnior disputou três eleições no Ceará (FOTO: Divulgação)

Aguiar Júnior: O ex-presidente do clube de futebol cearense Maguary também foi candidato. Apesar de disputar o cargo de governador na década de 1980, foi a disputa pela Prefeitura de Fortaleza em 2008 que o deixou conhecido. Graças ao bordão “Obrigado, Fortaleza” na propaganda.

J. Oliveira foi candidato à prefeito de Fortaleza (FOTO: Divulgação)

João Oliveira foi candidato a prefeito de Fortaleza (FOTO: Divulgação)

João Oliveira: Pelo PTdoB, o professor e dono de escola João Oliveira foi candidato em 2000 a prefeito de Fortaleza, depois de várias tentativas a vereador e deputado desde 1986. Na primeira aparição, ele tinha 21 anos de idade e recebeu apenas 442 votos na disputa para deputado estadual, pelo PDT. Nos anos 90, João Oliveira entrou pra história ao utilizar o bordão “Vamos cortar o mal pela raiz” na propaganda eleitoral.

Cego Gino: Ex-candidato a prefeito da capital cearense pelo PRN, Emiliano Gino Oliveira teve sua primeira participação na política em 1992. O Cego Gino, como era conhecido, foi candidato a vários cargos eletivos desde então. O fato de ser deficiente visual virou piada no seu bordão: “Tô nem vendo“.

Veja os vídeos das músicas de campanha:

Com informações de Lyvia Rocha