Justiça Eleitoral absolve Tiririca e ele vai ser empossado deputado federal - Noticias


Justiça Eleitoral absolve Tiririca e ele vai ser empossado deputado federal

Tiririca foi o deputado federal mais votado das eleições de 2010 com 1,3 milhão de votos.

Por Tribuna do Ceará em Política

1 de dezembro de 2010 às 13:45

Há 8 anos

A Justiça Eleitoral absolveu o deputado eleito Francisco Everardo Oliveira (PR-SP), Tiririca, da acusação de falsidade ideológica. O juiz da 1ª Zona Eleitoral de São Paulo, Aloísio Sérgio Rezende Silveira, tomou a decisão nesta quarta-feira (1).

Leia mais
Tiririca vai assumir cargo de deputado, dizem especialistas
TRE de São Paulo nega pedido do MP para que Tiririca faça novas provas

O deputado federal mais votado do Brasil nas eleições de 2010 com mais 1,3 milhão de votos, Tiririca foi denunciado pelo promotor Maurício Lopes, que acusava o palhaço cearense de ser analfabeto e ter falsificado a declaração de pedido de registro da candidatura.

No último dia 11 de novembro, Tiririca teve de ler e escrever no Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP) para provar que não era analfabeto. Pela insistência do promotor no processo, a Corregedoria do Ministério Público abriu investigação para apurar eventuais excessos no caso.

Publicidade

Dê sua opinião

Justiça Eleitoral absolve Tiririca e ele vai ser empossado deputado federal

Tiririca foi o deputado federal mais votado das eleições de 2010 com 1,3 milhão de votos.

Por Tribuna do Ceará em Política

1 de dezembro de 2010 às 13:45

Há 8 anos

A Justiça Eleitoral absolveu o deputado eleito Francisco Everardo Oliveira (PR-SP), Tiririca, da acusação de falsidade ideológica. O juiz da 1ª Zona Eleitoral de São Paulo, Aloísio Sérgio Rezende Silveira, tomou a decisão nesta quarta-feira (1).

Leia mais
Tiririca vai assumir cargo de deputado, dizem especialistas
TRE de São Paulo nega pedido do MP para que Tiririca faça novas provas

O deputado federal mais votado do Brasil nas eleições de 2010 com mais 1,3 milhão de votos, Tiririca foi denunciado pelo promotor Maurício Lopes, que acusava o palhaço cearense de ser analfabeto e ter falsificado a declaração de pedido de registro da candidatura.

No último dia 11 de novembro, Tiririca teve de ler e escrever no Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP) para provar que não era analfabeto. Pela insistência do promotor no processo, a Corregedoria do Ministério Público abriu investigação para apurar eventuais excessos no caso.