Estatísticas da violência: homicídios, apreensão de drogas e furtos de veículos no Ceará


Estatísticas da violência: homicídios, apreensão de drogas e furtos de veículos no Ceará

A Barra do Ceará foi o bairro que teve maior incidência de homicídios em Fortaleza durante o mês de setembro. Segundo a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), foram registrados nove assassinatos no local e 161 em toda a capital. Além de dados sobre homicídios, a SSPDS divulgou também estatísticas sobre apreensão de drogas, furtos e roubos de veículos.

Por Jackson Cruz em Polícia

16 de outubro de 2012 às 16:00

Há 7 anos

A Barra do Ceará foi o bairro que teve maior incidência de homicídios em Fortaleza durante o mês de setembro. Segundo a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), foram registrados nove assassinatos no local e 161 em toda a capital. Além de dados sobre homicídios, a SSPDS divulgou também estatísticas sobre apreensão de drogas, furtos e roubos de veículos.

No ranking de homicídios, logo após a Barra do Ceará estão Barroso, Mondubim, Siqueira e Vicente Pinzon – com a mesma quantidade de mortes, ao todo seis. Já no Ceará, Caucaia e Juazeiro do Norte são os municípios com maior número de assassinatos, após Fortaleza. Ambos apresentaram 20 homicídios no mês de setembro.

Moradores sentem a violência

O universitário Ubirajara Júnior, morador da Barra do Ceará, afirmou que o bairro é muito violento e já foi mais tranquilo. Segundo ele, a violência não é um fenômeno isolado, estando atrelada às drogas e à extrema pobreza na região. Além disso, ele disse que há muitas gangues que brigam por pontos de tráfico no bairro.

“Depois que fui assaltado, tive um contato com os policias. Eles são engajados, tentam prevenir e reprimir quando necessário. O problema é que o contingente é muito pequeno, além da Barra do Ceará ter muitos becos, muitas ruas pequenas. Assim, eles acabam não chegando a tempo”, relatou.

De acordo com o estudante, quem sofre mais com a violência são os “pais de família, que trabalham para criar os filhos e acabam sendo assaltados quando chegam em casa”. Além disso, Ubirajara Júnior reclamou da falta de políticas públicas no local.

“Nunca foi implementado um política pública que mudasse essa situação [de violência]. A gente nunca recebeu uma praça, uma escola para tentar mudar esse cenário. A prefeitura fez o Cuca, mas não foi suficiente para mudar o quadro, nem repercutiu em todo o bairro”, ressaltou.

Drogas: maconha, crack e cocaína

Em Fortaleza, a quantidade de maconha apreendida – 52,5 quilos – foi bem maior que a de crack e cocaína, com quase 50 quilos a mais. Messejana foi o bairro com a taxa de apreensão mais alta, com quase 42 kg. Em seguida, aparecem os bairros: Autran Nunes (2 kg), Siqueira (1,8 kg), Pirambu (1,5 kg) e Bom Jardim (0,9 kg).

Já no Ceará, o município que a maior quantidade de maconha foi encontrada em Juazeiro do Norte, num total de 2 kg, após Fortaleza. O municípios que aparecem em seguida no ranking: Acaraú (0,9 kg), Aracati (0,7 kg), Pacatuba (0,5 kg) e Maracanaú (0,45 kg).

ARTE: Luana Araújo

Cristo e a cocaína

Foram apreendidos 2,5 quilos de cocaína em Fortaleza. O bairro da capital que teve maior incidência foi o Cristo Redentor, com 1 kg, seguido de: Messejana (0,6 kg), Barroso (0,5 kg), Varjota (0,16 kg) e Jardim Iracema (0,06 kg).

Após Fortaleza, Jaguaribe foi a cidade com maior taxa de cocaína encontrada, com 4 kg. Além de Jaguaribe, aparecem no ranking: Juazeiro do Norte (0,6 kg), Tauá (0,4 kg), Crato (0,3 kg) e Itaitinga (0,06 kg).

Jardim de crack

Já a apreensão de crack resultou em 2,4 quilos encontrados em Fortaleza, menor índice de droga apreendida em setembro. O bairro da capital que teve maior incidência foi o Jardim Iracema, com 1,3 kg. Os bairros Cajazeiras (0,2 kg), Barroso (0,17 kg), Siqueira (0,09 kg), e Coaçu (0,08 kg).

O município, após a capital, com maior incidência no Ceará de apreensão de crack foi Pedra Branca, com 0,9 kg apreendidos. Em seguida, aparecem no ranking: Caucaia (0,23 kg),Morrinhos (0,2 kg), Maranguape (0,12 kg) e Maracanaú (0,12 kg).

Quase 250 furtos de veículos na capital

Centro, Fátima e Parquelândia são os bairros de Fortaleza onde houve maior incidência de furtos de veículos durante setembro de 2012, com 26, 19 e 14 ocorrências, respectivamente. Ao todo, são 248 registros de crimes contabilizados na capital, neste período.

No Ceará, os municípios de Caucaia, Maracanaú e Juazeiro do Norte aparecem no ranking com maior número de registros de furtos. Foram 32, 22 e 16 ocorrências, respectivamente. Caracterizado por um crime sem uso de violência, o furto acontece quando um criminoso arromba um carro e o leva, em uma ação silenciosa.

Segundo o delegado titular da Delegacia de Roubos e Furtos de Veículos (DRFV), Bruno Figueiredo, os bairros de Fortaleza com maior incidência possuem um grande fluxo de carros. Além disso, a proporção de recuperar um carro furtado é de 50%.

Bruno Figueiredo alerta para que os motoristas fiquem atentos e estacionem em locais seguros. “Além de dispor de alarme e qualquer coisa que dificulte o furto, porque o criminoso procura facilidade”, explica. Ainda de acordo com o delegado, os carros antigos e sem dispositivos de segurança são os mais furtados. “É comum que eles façam desmanche do veículo para revenda. Se vender a peça, pode ter bom retorno”, conta.

Roubos: crimes à mão armada

Já para os carros de luxo, o mais comum é o assalto a mão armada. “Quando o criminoso aborda, toma a chave e leva o carro”, diz. A finalidade desse roubo é a revenda do veículo. “O carro é adulterado e revendido. Tem um alto valor comercial, por isso que não precisa de desmanche”, explica.

Em Fortaleza, foram registrados 431 roubos de veículos. Os bairros Centro e Aldeota lideram o ranking, ambos com 19 ocorrências. Em seguida, Antônio Bezerra e Bom Jardim constataram 15 crimes. Já no Ceará, Caucaia e Maracanaú são os municípios com maior taxa de roubo, novamente. Foram 29 e 15 registros de roubos, respectivamente.

Publicidade

Dê sua opinião

Estatísticas da violência: homicídios, apreensão de drogas e furtos de veículos no Ceará

A Barra do Ceará foi o bairro que teve maior incidência de homicídios em Fortaleza durante o mês de setembro. Segundo a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), foram registrados nove assassinatos no local e 161 em toda a capital. Além de dados sobre homicídios, a SSPDS divulgou também estatísticas sobre apreensão de drogas, furtos e roubos de veículos.

Por Jackson Cruz em Polícia

16 de outubro de 2012 às 16:00

Há 7 anos

A Barra do Ceará foi o bairro que teve maior incidência de homicídios em Fortaleza durante o mês de setembro. Segundo a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), foram registrados nove assassinatos no local e 161 em toda a capital. Além de dados sobre homicídios, a SSPDS divulgou também estatísticas sobre apreensão de drogas, furtos e roubos de veículos.

No ranking de homicídios, logo após a Barra do Ceará estão Barroso, Mondubim, Siqueira e Vicente Pinzon – com a mesma quantidade de mortes, ao todo seis. Já no Ceará, Caucaia e Juazeiro do Norte são os municípios com maior número de assassinatos, após Fortaleza. Ambos apresentaram 20 homicídios no mês de setembro.

Moradores sentem a violência

O universitário Ubirajara Júnior, morador da Barra do Ceará, afirmou que o bairro é muito violento e já foi mais tranquilo. Segundo ele, a violência não é um fenômeno isolado, estando atrelada às drogas e à extrema pobreza na região. Além disso, ele disse que há muitas gangues que brigam por pontos de tráfico no bairro.

“Depois que fui assaltado, tive um contato com os policias. Eles são engajados, tentam prevenir e reprimir quando necessário. O problema é que o contingente é muito pequeno, além da Barra do Ceará ter muitos becos, muitas ruas pequenas. Assim, eles acabam não chegando a tempo”, relatou.

De acordo com o estudante, quem sofre mais com a violência são os “pais de família, que trabalham para criar os filhos e acabam sendo assaltados quando chegam em casa”. Além disso, Ubirajara Júnior reclamou da falta de políticas públicas no local.

“Nunca foi implementado um política pública que mudasse essa situação [de violência]. A gente nunca recebeu uma praça, uma escola para tentar mudar esse cenário. A prefeitura fez o Cuca, mas não foi suficiente para mudar o quadro, nem repercutiu em todo o bairro”, ressaltou.

Drogas: maconha, crack e cocaína

Em Fortaleza, a quantidade de maconha apreendida – 52,5 quilos – foi bem maior que a de crack e cocaína, com quase 50 quilos a mais. Messejana foi o bairro com a taxa de apreensão mais alta, com quase 42 kg. Em seguida, aparecem os bairros: Autran Nunes (2 kg), Siqueira (1,8 kg), Pirambu (1,5 kg) e Bom Jardim (0,9 kg).

Já no Ceará, o município que a maior quantidade de maconha foi encontrada em Juazeiro do Norte, num total de 2 kg, após Fortaleza. O municípios que aparecem em seguida no ranking: Acaraú (0,9 kg), Aracati (0,7 kg), Pacatuba (0,5 kg) e Maracanaú (0,45 kg).

ARTE: Luana Araújo

Cristo e a cocaína

Foram apreendidos 2,5 quilos de cocaína em Fortaleza. O bairro da capital que teve maior incidência foi o Cristo Redentor, com 1 kg, seguido de: Messejana (0,6 kg), Barroso (0,5 kg), Varjota (0,16 kg) e Jardim Iracema (0,06 kg).

Após Fortaleza, Jaguaribe foi a cidade com maior taxa de cocaína encontrada, com 4 kg. Além de Jaguaribe, aparecem no ranking: Juazeiro do Norte (0,6 kg), Tauá (0,4 kg), Crato (0,3 kg) e Itaitinga (0,06 kg).

Jardim de crack

Já a apreensão de crack resultou em 2,4 quilos encontrados em Fortaleza, menor índice de droga apreendida em setembro. O bairro da capital que teve maior incidência foi o Jardim Iracema, com 1,3 kg. Os bairros Cajazeiras (0,2 kg), Barroso (0,17 kg), Siqueira (0,09 kg), e Coaçu (0,08 kg).

O município, após a capital, com maior incidência no Ceará de apreensão de crack foi Pedra Branca, com 0,9 kg apreendidos. Em seguida, aparecem no ranking: Caucaia (0,23 kg),Morrinhos (0,2 kg), Maranguape (0,12 kg) e Maracanaú (0,12 kg).

Quase 250 furtos de veículos na capital

Centro, Fátima e Parquelândia são os bairros de Fortaleza onde houve maior incidência de furtos de veículos durante setembro de 2012, com 26, 19 e 14 ocorrências, respectivamente. Ao todo, são 248 registros de crimes contabilizados na capital, neste período.

No Ceará, os municípios de Caucaia, Maracanaú e Juazeiro do Norte aparecem no ranking com maior número de registros de furtos. Foram 32, 22 e 16 ocorrências, respectivamente. Caracterizado por um crime sem uso de violência, o furto acontece quando um criminoso arromba um carro e o leva, em uma ação silenciosa.

Segundo o delegado titular da Delegacia de Roubos e Furtos de Veículos (DRFV), Bruno Figueiredo, os bairros de Fortaleza com maior incidência possuem um grande fluxo de carros. Além disso, a proporção de recuperar um carro furtado é de 50%.

Bruno Figueiredo alerta para que os motoristas fiquem atentos e estacionem em locais seguros. “Além de dispor de alarme e qualquer coisa que dificulte o furto, porque o criminoso procura facilidade”, explica. Ainda de acordo com o delegado, os carros antigos e sem dispositivos de segurança são os mais furtados. “É comum que eles façam desmanche do veículo para revenda. Se vender a peça, pode ter bom retorno”, conta.

Roubos: crimes à mão armada

Já para os carros de luxo, o mais comum é o assalto a mão armada. “Quando o criminoso aborda, toma a chave e leva o carro”, diz. A finalidade desse roubo é a revenda do veículo. “O carro é adulterado e revendido. Tem um alto valor comercial, por isso que não precisa de desmanche”, explica.

Em Fortaleza, foram registrados 431 roubos de veículos. Os bairros Centro e Aldeota lideram o ranking, ambos com 19 ocorrências. Em seguida, Antônio Bezerra e Bom Jardim constataram 15 crimes. Já no Ceará, Caucaia e Maracanaú são os municípios com maior taxa de roubo, novamente. Foram 29 e 15 registros de roubos, respectivamente.