CPMA e Ibama prendem 9 acusados de pesca predatória, em Aracati e Itarema - Noticias


CPMA e Ibama prendem 9 acusados de pesca predatória, em Aracati e Itarema

Ação também resultou nas apreensões de lagostas, de peixes, de duas embarcações e de milhares de metros de redes caçoeiras

Por Tribuna do Ceará em Polícia

15 de setembro de 2010 às 10:35

Há 9 anos

Em Itarema, no litoral oeste do Ceará, policiais militares, lotados na Companhia de Polícia Militar Ambiental (CPMA), em parceria com fiscais do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), prenderam, na manhã desta quarta-feira (15), cinco pessoas, acusadas de pesca de lagosta e peixes com redes caçoeiras – procedimento considerado ilegal, pois caracteriza crime de pesca predatória. O barco usado pelos acusados também foi apreendido.

Leia mais:
140 pássaros são apreendidos em operação na cidade de Caucaia
Mais um trecho do Parque do Cocó ganha cerca
Três caminhões são apreendidos e quatro pessoas presas por retirada ilegal de areia

Operação semelhante foi realizada em Aracati, no litoral leste do Estado, também nesta quarta. Naquele município, foram presas quatro pessoas e um barco foi apreendido. Ainda foram apreendidos os peixes e as lagostas capturadas pelas redes. As prisões, nos dois casos, foram efetuadas em alto mar.

O comandante da CPMA, tenente-coronel John Roosevelt de Alencar, informou ao Jangadeiro Online que no litoral leste foram apreendidos 500 metros de redes caçoeiras. Na região de Itarema, a operação resultou na apreensão de 4,5 mil metros.

Devastação
A pesca com rede caçoeira destrói, além do habitat da lagosta, a fauna marinha e diminui a população de lagosta e de peixes. “Não estamos no período de defeso, mas não podemos permitir que a pesca seja feita de maneira ilegal”, disse o comandante da CPMA. Os nove acusados foram atuados com base no artigo 34 da lei de Crimes Ambientais. A pena é de um a três nos de detenção e multa. A fiança é arbitrada pelo delegado responsável pelo flagrante.

Publicidade

Dê sua opinião

CPMA e Ibama prendem 9 acusados de pesca predatória, em Aracati e Itarema

Ação também resultou nas apreensões de lagostas, de peixes, de duas embarcações e de milhares de metros de redes caçoeiras

Por Tribuna do Ceará em Polícia

15 de setembro de 2010 às 10:35

Há 9 anos

Em Itarema, no litoral oeste do Ceará, policiais militares, lotados na Companhia de Polícia Militar Ambiental (CPMA), em parceria com fiscais do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), prenderam, na manhã desta quarta-feira (15), cinco pessoas, acusadas de pesca de lagosta e peixes com redes caçoeiras – procedimento considerado ilegal, pois caracteriza crime de pesca predatória. O barco usado pelos acusados também foi apreendido.

Leia mais:
140 pássaros são apreendidos em operação na cidade de Caucaia
Mais um trecho do Parque do Cocó ganha cerca
Três caminhões são apreendidos e quatro pessoas presas por retirada ilegal de areia

Operação semelhante foi realizada em Aracati, no litoral leste do Estado, também nesta quarta. Naquele município, foram presas quatro pessoas e um barco foi apreendido. Ainda foram apreendidos os peixes e as lagostas capturadas pelas redes. As prisões, nos dois casos, foram efetuadas em alto mar.

O comandante da CPMA, tenente-coronel John Roosevelt de Alencar, informou ao Jangadeiro Online que no litoral leste foram apreendidos 500 metros de redes caçoeiras. Na região de Itarema, a operação resultou na apreensão de 4,5 mil metros.

Devastação
A pesca com rede caçoeira destrói, além do habitat da lagosta, a fauna marinha e diminui a população de lagosta e de peixes. “Não estamos no período de defeso, mas não podemos permitir que a pesca seja feita de maneira ilegal”, disse o comandante da CPMA. Os nove acusados foram atuados com base no artigo 34 da lei de Crimes Ambientais. A pena é de um a três nos de detenção e multa. A fiança é arbitrada pelo delegado responsável pelo flagrante.