Cearense é o 1º brasileiro a obter cidadania portuguesa por descendência de judeus sefarditas

REPARAÇÃO HISTÓRICA

Cearense é o 1º brasileiro a obter cidadania portuguesa por descendência de judeus sefarditas

Os judeus sefarditas fugiram da Península Ibérica no século XV devido à perseguição religiosas, e muitos deles vieram para o Brasil

Por Tribuna do Ceará em Perfil

6 de abril de 2019 às 07:00

Há 2 meses

Oficialmente, Nertan já é cidadão português há três anos (FOTO: Reprodução/Arquivo Pessoal)

O cearense Nertan Ribeiro tornou-se o primeiro brasileiro a obter cidadania portuguesa ao comprovar descendência de judeus sefarditas, em 2016. Esse mecanismo já era garantido pela legislação de Portugal desde 2015, mas o empresário foi o pioneiro na utilização dessa ferramenta.

Ao consultar um especialista em árvores genealógicas, o fortalezense confirmou seu parentesco com judeus sefardistas. Os antepassados de Nertan viveram na Península Ibérica – Portugal e Espanha – no fim do século XV. Devido à perseguição religiosa empreendida pelo Estado e pela Santa Inquisição, muitos deles acabaram fugindo para outros países, como o Brasil.

Com o estudo genealógico em mãos, Ribeiro iniciou o processo para requisição da dupla nacionalidade. Ele também precisou de um certificado oficial emitido pela Comunidade Israelita. Em oito meses, o empresário havia conquistado seu objetivo e passava oficialmente a ser cidadão português.

“Foi uma forma que encontrei de homenagear meu falecido pai e também de fixar residência em Portugal”, explica Nertan.  

Para Renato Martins, advogado especializado em processos de nacionalidade por meio da descendência judaica sefardita, a lei foi uma forma de reparação histórica. Ele destaca que no Brasil há inúmeras famílias com essa ancestralidade e que podem requerer a dupla cidadania. “Sem dúvida é uma das formas mais rápidas de se conseguir a nacionalidade portuguesa”, afirma o especialista.

Publicidade

Dê sua opinião

REPARAÇÃO HISTÓRICA

Cearense é o 1º brasileiro a obter cidadania portuguesa por descendência de judeus sefarditas

Os judeus sefarditas fugiram da Península Ibérica no século XV devido à perseguição religiosas, e muitos deles vieram para o Brasil

Por Tribuna do Ceará em Perfil

6 de abril de 2019 às 07:00

Há 2 meses

Oficialmente, Nertan já é cidadão português há três anos (FOTO: Reprodução/Arquivo Pessoal)

O cearense Nertan Ribeiro tornou-se o primeiro brasileiro a obter cidadania portuguesa ao comprovar descendência de judeus sefarditas, em 2016. Esse mecanismo já era garantido pela legislação de Portugal desde 2015, mas o empresário foi o pioneiro na utilização dessa ferramenta.

Ao consultar um especialista em árvores genealógicas, o fortalezense confirmou seu parentesco com judeus sefardistas. Os antepassados de Nertan viveram na Península Ibérica – Portugal e Espanha – no fim do século XV. Devido à perseguição religiosa empreendida pelo Estado e pela Santa Inquisição, muitos deles acabaram fugindo para outros países, como o Brasil.

Com o estudo genealógico em mãos, Ribeiro iniciou o processo para requisição da dupla nacionalidade. Ele também precisou de um certificado oficial emitido pela Comunidade Israelita. Em oito meses, o empresário havia conquistado seu objetivo e passava oficialmente a ser cidadão português.

“Foi uma forma que encontrei de homenagear meu falecido pai e também de fixar residência em Portugal”, explica Nertan.  

Para Renato Martins, advogado especializado em processos de nacionalidade por meio da descendência judaica sefardita, a lei foi uma forma de reparação histórica. Ele destaca que no Brasil há inúmeras famílias com essa ancestralidade e que podem requerer a dupla cidadania. “Sem dúvida é uma das formas mais rápidas de se conseguir a nacionalidade portuguesa”, afirma o especialista.