Cantor de timbre parecido com o de Chico Buarque encanta cearenses


Cantor de timbre parecido com o de Chico Buarque encanta cearenses

O mineiro Marcelino Coelho tem 21 anos de carreira musical e escolheu o Ceará para morar. Uma de suas inspirações artísticas é o cantor Fagner

Por Rosana Romão em Perfil

8 de novembro de 2015 às 06:00

Há 4 anos
Marcelino Coelho se apresentando em evento que homenageava Chico Buarque. (FOTO: Arquivo pessoal)

Marcelino Coelho se apresentando em evento que homenageava Chico Buarque. (FOTO: Arquivo pessoal)

Luzes principais apagadas e o som de um violão. Pessoas bebem e conversam quando surge uma voz. “Pai, afasta de mim esse cálice. De vinho tinto de sangue”. As pessoas param de conversar para ver quem está cantando. A voz é de Chico Buarque, mas quem canta é um mineiro, que mora no Ceará há 15 anos. Luzes de celulares são indicadas em direção ao cantor, para que o público possa conferir quem realmente está cantando. O timbre é parecido com o de Chico Buarque chega a confundir quem o escuta.

A cena narrada aconteceu no Coliseum Hotel, onde o cantor e compositor Marcelino Coelho se apresenta semanalmente. “É mais a coisa do timbre. No início da minha carreira eu não gostava de cantar Chico porque as pessoas falavam que era cover, e eu não queria cantar músicas de um cara já consagrado, queria cantar as minhas músicas. Comecei a cantar Chico em Fortaleza, porque em todo lugar que eu vou as pessoas pedem”, explica.

Foi a semelhança que fez o professor Gustavo Brígido levá-lo a uma escola particular de Fortaleza para participar de um projeto cultural. Desde 2004, ele interpreta canções de Chico Buarque em eventos alusivos à momentos importantes da história do Brasil, como a ditadura militar e a bossa nova. O projeto “Chico, Poesia & Política”, assinado pelo cantor e o professor de Literatura João Filho consiste em Marcelino cantando músicas de Chico Buarque enquanto um professor de literatura e um de história comentam a letra da música e o contexto histórico.

Em 2007, quando foi inaugurada uma nova sede da escola, o cantor Chico Buarque veio à Fortaleza para realizar dois shows, na mesma semana da inauguração. “Os shows eram na terça e na quarta. Então fizemos a inauguração na segunda e enviamos um convite. Ele respondeu que tinha um compromisso, mas elogiou o evento e autografou o cartaz, que está na sala dos professores”, complementa Marcelino.

“Ele disse que tinha um compromisso, e depois descobrimos que ele foi jogar futebol com o Fagner e o Fausto Nilo. Mas eu não fiquei chateado não, porque no ano seguinte ele foi fazer um show em Brasília e o Lula o convidou para jantar mas ele falou que não podia também e foi jogar futebol.” (Marcelino Coelho)

[uol video=”http://mais.uol.com.br/view/15654414″]

Trajetória

Com 14 anos, ele começou a se interessar pela música. A inspiração veio de seu avô, que tocava violão, mas que não chegou a conhecê-lo. Aprendeu a tocar violão como autodidata e depois fez um curso técnico de voz, violão e teoria musical. Mas, de início, tocava mais instrumentos percussivos, como surdo e tamborim, em rodas de samba em Belo Horizonte.

“Quando eu tive informação sobre o Fagner e comecei a ouvir as músicas dele, em especial aquela ‘Quem viver, chorará’, me deu uma vontade danada de passar pro violão”, relembra a sua inspiração no artista cearense, com quem já dividiu palco. “Foi aqui no hotel. Eu estava me apresentando, e ele sentou do meu lado. Cantou, depois pediu o violão e fez um show. As pessoas começaram a descer dos apartamentos assim que ouviram a voz. Ele tratou todo mundo maravilhosamente bem, sentou e conversou na mesa de quase todo mundo”, conta, orgulhoso.

Cantor de timbre parecido com o de Chico Buarque encanta cearenses
1/4

Cantor de timbre parecido com o de Chico Buarque encanta cearenses

O mineiro Marcelino Coelho tem 21 anos de carreira musical e escolheu o Ceará para morar. (FOTO: Tribuna do Ceará/ Fernanda Moura)

Cantor de timbre parecido com o de Chico Buarque encanta cearenses
2/4

Cantor de timbre parecido com o de Chico Buarque encanta cearenses

Marcelino Coelho se apresentando em evento que homenageava Chico Buarque. (FOTO: Arquivo pessoal)

Cantor de timbre parecido com o de Chico Buarque encanta cearenses
3/4

Cantor de timbre parecido com o de Chico Buarque encanta cearenses

Com 54 anos, ele já possui três cds publicados. (FOTO: Tribuna do Ceará/ Fernanda Moura)

Cantor de timbre parecido com o de Chico Buarque encanta cearenses
4/4

Cantor de timbre parecido com o de Chico Buarque encanta cearenses

Aos 14 anos ele iniciou sua trajetória musical. (FOTO: Tribuna do Ceará/ Fernanda Moura)

Mudança para o Ceará

Como sempre passou as férias no Ceará, ele criou uma afetividade com o lugar. Quando largou a carreira de analista de sistemas em um banco, foi morar em Porto Seguro, na Bahia, onde ficou por 4 anos e meio. Lançou o seu primeiro disco e decidiu se mudar para o Ceará, onde mora há 15 anos. Ele não pretende voltar para Belo Horizonte, pois já se sente em casa e se acostumou com o clima. Também ressalta que foi recebido muito bem na capital cearense.

Semelhança com a voz de Chico Buarque

“Parece que com o tempo, ficou mais parecido. Às vezes eu estou tocando músicas de outros cantores e as pessoas vão lá onde eu estou para saber quem está cantando. Mas eu nunca tentei imitar. Quando eu dou entrevista na TV ou no rádio, as pessoas dizem que até quando estou falando parece com ele”, comenta. Apesar de não usar a semelhança como objetivo de sua carreira, ele fica feliz pelo reconhecimento. “Sou apaixonado pelo trabalho dele, é uma referência nacional e até mundial. Para mim, é um dos melhores compositores na linha do que ele faz, então o fato de ter a voz parecida é uma honra”, finaliza.

Contato

Marcelino Coelho: (85) 9 9944-7543

Publicidade

Dê sua opinião

Cantor de timbre parecido com o de Chico Buarque encanta cearenses

O mineiro Marcelino Coelho tem 21 anos de carreira musical e escolheu o Ceará para morar. Uma de suas inspirações artísticas é o cantor Fagner

Por Rosana Romão em Perfil

8 de novembro de 2015 às 06:00

Há 4 anos
Marcelino Coelho se apresentando em evento que homenageava Chico Buarque. (FOTO: Arquivo pessoal)

Marcelino Coelho se apresentando em evento que homenageava Chico Buarque. (FOTO: Arquivo pessoal)

Luzes principais apagadas e o som de um violão. Pessoas bebem e conversam quando surge uma voz. “Pai, afasta de mim esse cálice. De vinho tinto de sangue”. As pessoas param de conversar para ver quem está cantando. A voz é de Chico Buarque, mas quem canta é um mineiro, que mora no Ceará há 15 anos. Luzes de celulares são indicadas em direção ao cantor, para que o público possa conferir quem realmente está cantando. O timbre é parecido com o de Chico Buarque chega a confundir quem o escuta.

A cena narrada aconteceu no Coliseum Hotel, onde o cantor e compositor Marcelino Coelho se apresenta semanalmente. “É mais a coisa do timbre. No início da minha carreira eu não gostava de cantar Chico porque as pessoas falavam que era cover, e eu não queria cantar músicas de um cara já consagrado, queria cantar as minhas músicas. Comecei a cantar Chico em Fortaleza, porque em todo lugar que eu vou as pessoas pedem”, explica.

Foi a semelhança que fez o professor Gustavo Brígido levá-lo a uma escola particular de Fortaleza para participar de um projeto cultural. Desde 2004, ele interpreta canções de Chico Buarque em eventos alusivos à momentos importantes da história do Brasil, como a ditadura militar e a bossa nova. O projeto “Chico, Poesia & Política”, assinado pelo cantor e o professor de Literatura João Filho consiste em Marcelino cantando músicas de Chico Buarque enquanto um professor de literatura e um de história comentam a letra da música e o contexto histórico.

Em 2007, quando foi inaugurada uma nova sede da escola, o cantor Chico Buarque veio à Fortaleza para realizar dois shows, na mesma semana da inauguração. “Os shows eram na terça e na quarta. Então fizemos a inauguração na segunda e enviamos um convite. Ele respondeu que tinha um compromisso, mas elogiou o evento e autografou o cartaz, que está na sala dos professores”, complementa Marcelino.

“Ele disse que tinha um compromisso, e depois descobrimos que ele foi jogar futebol com o Fagner e o Fausto Nilo. Mas eu não fiquei chateado não, porque no ano seguinte ele foi fazer um show em Brasília e o Lula o convidou para jantar mas ele falou que não podia também e foi jogar futebol.” (Marcelino Coelho)

[uol video=”http://mais.uol.com.br/view/15654414″]

Trajetória

Com 14 anos, ele começou a se interessar pela música. A inspiração veio de seu avô, que tocava violão, mas que não chegou a conhecê-lo. Aprendeu a tocar violão como autodidata e depois fez um curso técnico de voz, violão e teoria musical. Mas, de início, tocava mais instrumentos percussivos, como surdo e tamborim, em rodas de samba em Belo Horizonte.

“Quando eu tive informação sobre o Fagner e comecei a ouvir as músicas dele, em especial aquela ‘Quem viver, chorará’, me deu uma vontade danada de passar pro violão”, relembra a sua inspiração no artista cearense, com quem já dividiu palco. “Foi aqui no hotel. Eu estava me apresentando, e ele sentou do meu lado. Cantou, depois pediu o violão e fez um show. As pessoas começaram a descer dos apartamentos assim que ouviram a voz. Ele tratou todo mundo maravilhosamente bem, sentou e conversou na mesa de quase todo mundo”, conta, orgulhoso.

Cantor de timbre parecido com o de Chico Buarque encanta cearenses
1/4

Cantor de timbre parecido com o de Chico Buarque encanta cearenses

O mineiro Marcelino Coelho tem 21 anos de carreira musical e escolheu o Ceará para morar. (FOTO: Tribuna do Ceará/ Fernanda Moura)

Cantor de timbre parecido com o de Chico Buarque encanta cearenses
2/4

Cantor de timbre parecido com o de Chico Buarque encanta cearenses

Marcelino Coelho se apresentando em evento que homenageava Chico Buarque. (FOTO: Arquivo pessoal)

Cantor de timbre parecido com o de Chico Buarque encanta cearenses
3/4

Cantor de timbre parecido com o de Chico Buarque encanta cearenses

Com 54 anos, ele já possui três cds publicados. (FOTO: Tribuna do Ceará/ Fernanda Moura)

Cantor de timbre parecido com o de Chico Buarque encanta cearenses
4/4

Cantor de timbre parecido com o de Chico Buarque encanta cearenses

Aos 14 anos ele iniciou sua trajetória musical. (FOTO: Tribuna do Ceará/ Fernanda Moura)

Mudança para o Ceará

Como sempre passou as férias no Ceará, ele criou uma afetividade com o lugar. Quando largou a carreira de analista de sistemas em um banco, foi morar em Porto Seguro, na Bahia, onde ficou por 4 anos e meio. Lançou o seu primeiro disco e decidiu se mudar para o Ceará, onde mora há 15 anos. Ele não pretende voltar para Belo Horizonte, pois já se sente em casa e se acostumou com o clima. Também ressalta que foi recebido muito bem na capital cearense.

Semelhança com a voz de Chico Buarque

“Parece que com o tempo, ficou mais parecido. Às vezes eu estou tocando músicas de outros cantores e as pessoas vão lá onde eu estou para saber quem está cantando. Mas eu nunca tentei imitar. Quando eu dou entrevista na TV ou no rádio, as pessoas dizem que até quando estou falando parece com ele”, comenta. Apesar de não usar a semelhança como objetivo de sua carreira, ele fica feliz pelo reconhecimento. “Sou apaixonado pelo trabalho dele, é uma referência nacional e até mundial. Para mim, é um dos melhores compositores na linha do que ele faz, então o fato de ter a voz parecida é uma honra”, finaliza.

Contato

Marcelino Coelho: (85) 9 9944-7543