Mulheres criam serviço de "Táxi Amigo" voltado para passageiras

VÍTIMAS DE ASSÉDIO

Mulheres criam serviço de “Táxi Amigo” voltado para passageiras

Segundo a proprietária, clientes faziam piadas e convites constrangedores: “Queriam até se despedir com dois beijos”

Por Roberta Tavares em Mobilidade Urbana

20 de maio de 2016 às 07:00

Há 3 anos
São cinco motoristas mulheres na central (FOTO: Fernanda Moura/Tribuna do Ceará)

São cinco motoristas mulheres na central (FOTO: Fernanda Moura/Tribuna do Ceará)

Um grupo de mulheres criou uma central de “Táxi Amigo”, serviço considerado irregular em Fortaleza, apenas com motoristas do sexo feminino. A ideia surgiu a partir dos constantes assédios sofridos durante as corridas, seja com piadas machistas ou até mesmo com convites constrangedores.

Barbhara Krisnna é proprietária da “Central Táxi Amigo Fortaleza”, que contava com motoristas homens e mulheres. No entanto, há três meses, resolveu modificar o serviço e trabalhar apenas com as amigas.

“Elas reclamavam, assim como eu, do assédio, principalmente nas corridas de madrugada. Muitos tiravam brincadeira, perguntavam se éramos casadas, queriam se despedir com dois beijinhos. Um até perguntou se uma motorista queria ganhar R$ 50 a mais, já dando a ideia de ‘serviços extras”, aponta. “Decidi montar essa central, para evitar me arriscar”, completa.

As funcionárias atendem, prioritariamente, o público feminino. Homens são aceitos no carro apenas por indicação ou quando estiverem acompanhados por mulheres.

“Eu tento avaliar o ‘perfil’ desse homem. Se for por indicação de alguém, facilita. Não faço corrida para qualquer homem que ligue de madrugada ou que esteja sozinho. Mas, caso esteja de dia, ou esteja com a mãe, namorada, dá certo. Sempre pergunto indiretamente: ‘Com quantas pessoas você está?’. É uma forma de me dar segurança”.

Até as próprias clientes preferem ser atendidas pela central feminina. Segundo Barbhara, muitas passageiras também já sofreram assédio por motoristas. “Até uma senhora de idade, que é nossa cliente, disse que não queria ir com homem, só com mulher. Pessoal tem medo, está muito perigoso”, admite.

Ao todo, cinco mulheres fazem parte da central, que atende diariamente, em toda a cidade de Fortaleza. A sede da Central fica localizada no Bairro Serrinha, próximo ao Aeroporto Internacional Pinto Martins. “A demanda maior é pelo bairro, mas também trabalhamos com agendamentos”.

Diferencial

Para aumentar a clientela, a cearense busca oferecer serviços diferenciados, como carros com WiFi, ar-condicionado e até chopp grátis. “A gente fez parceria com o chopp do Bixiga, no Dragão do Mar, então os clientes que forem para lá com o nosso táxi, ganham voucher de chopp. Basta ele apresentar o voucher e receber o desconto na conta. Se o táxi tiver com quatro passageiros, serão quatro cupons”.

Os descontos de ida e volta também são bem aceitos. “Se pegou uma corrida que deu R$ 30, nós fechamos a volta por R$ 25, por exemplo. É questão de estímulo, precisamos fidelizar nossos clientes”, conclui.

Serviço irregular

O Táxi Amigo, entretanto, não possui autorização para transportar pessoas, não paga impostos ou passa por avaliações. Os valores são tabelados, não há bandeira 1 ou bandeira 2. O veículo de táxi, para atuar na capital, deve ser cadastrado na prefeitura, além de o motorista ter de comparecer anualmente à Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor) para fazer a renovação da permissão, onde é feita a vistoria no veículo e verificado se o carro está nas devidas condições de funcionamento.

Publicidade

Dê sua opinião

VÍTIMAS DE ASSÉDIO

Mulheres criam serviço de “Táxi Amigo” voltado para passageiras

Segundo a proprietária, clientes faziam piadas e convites constrangedores: “Queriam até se despedir com dois beijos”

Por Roberta Tavares em Mobilidade Urbana

20 de maio de 2016 às 07:00

Há 3 anos
São cinco motoristas mulheres na central (FOTO: Fernanda Moura/Tribuna do Ceará)

São cinco motoristas mulheres na central (FOTO: Fernanda Moura/Tribuna do Ceará)

Um grupo de mulheres criou uma central de “Táxi Amigo”, serviço considerado irregular em Fortaleza, apenas com motoristas do sexo feminino. A ideia surgiu a partir dos constantes assédios sofridos durante as corridas, seja com piadas machistas ou até mesmo com convites constrangedores.

Barbhara Krisnna é proprietária da “Central Táxi Amigo Fortaleza”, que contava com motoristas homens e mulheres. No entanto, há três meses, resolveu modificar o serviço e trabalhar apenas com as amigas.

“Elas reclamavam, assim como eu, do assédio, principalmente nas corridas de madrugada. Muitos tiravam brincadeira, perguntavam se éramos casadas, queriam se despedir com dois beijinhos. Um até perguntou se uma motorista queria ganhar R$ 50 a mais, já dando a ideia de ‘serviços extras”, aponta. “Decidi montar essa central, para evitar me arriscar”, completa.

As funcionárias atendem, prioritariamente, o público feminino. Homens são aceitos no carro apenas por indicação ou quando estiverem acompanhados por mulheres.

“Eu tento avaliar o ‘perfil’ desse homem. Se for por indicação de alguém, facilita. Não faço corrida para qualquer homem que ligue de madrugada ou que esteja sozinho. Mas, caso esteja de dia, ou esteja com a mãe, namorada, dá certo. Sempre pergunto indiretamente: ‘Com quantas pessoas você está?’. É uma forma de me dar segurança”.

Até as próprias clientes preferem ser atendidas pela central feminina. Segundo Barbhara, muitas passageiras também já sofreram assédio por motoristas. “Até uma senhora de idade, que é nossa cliente, disse que não queria ir com homem, só com mulher. Pessoal tem medo, está muito perigoso”, admite.

Ao todo, cinco mulheres fazem parte da central, que atende diariamente, em toda a cidade de Fortaleza. A sede da Central fica localizada no Bairro Serrinha, próximo ao Aeroporto Internacional Pinto Martins. “A demanda maior é pelo bairro, mas também trabalhamos com agendamentos”.

Diferencial

Para aumentar a clientela, a cearense busca oferecer serviços diferenciados, como carros com WiFi, ar-condicionado e até chopp grátis. “A gente fez parceria com o chopp do Bixiga, no Dragão do Mar, então os clientes que forem para lá com o nosso táxi, ganham voucher de chopp. Basta ele apresentar o voucher e receber o desconto na conta. Se o táxi tiver com quatro passageiros, serão quatro cupons”.

Os descontos de ida e volta também são bem aceitos. “Se pegou uma corrida que deu R$ 30, nós fechamos a volta por R$ 25, por exemplo. É questão de estímulo, precisamos fidelizar nossos clientes”, conclui.

Serviço irregular

O Táxi Amigo, entretanto, não possui autorização para transportar pessoas, não paga impostos ou passa por avaliações. Os valores são tabelados, não há bandeira 1 ou bandeira 2. O veículo de táxi, para atuar na capital, deve ser cadastrado na prefeitura, além de o motorista ter de comparecer anualmente à Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor) para fazer a renovação da permissão, onde é feita a vistoria no veículo e verificado se o carro está nas devidas condições de funcionamento.