Cearense faz sucesso com franquia de plaquinhas com frases para bicicletas

CRIATIVIDADE

Cearense faz sucesso com franquia de plaquinhas com frases para bicicletas

Leilianny Ribeiro comercializa em Fortaleza plaquinhas de sinalização para bicicletas, que nem as de caminhão

Por Matheus Ribeiro em Mobilidade Urbana

2 de agosto de 2016 às 07:00

Há 3 anos
Leilianny Ribeiro conheceu as plaquinhas no Rio e resolveu trazer a inovação para Fortaleza (FOTO: Divulgação)

Leilianny Ribeiro conheceu as plaquinhas no Rio e resolveu trazer a inovação para Fortaleza (FOTO: Divulgação)

Nos últimos anos o número de usuários de bike na capital cearense tem crescido fortemente. Contudo, mesmo com a instalação de novas ciclofaixas, a falta de respeito com os ciclistas ainda é uma triste realidade enfrentada pelos usuários cearenses. Com isso, a cearense Leilianny Ribeiro decidiu trazer do Rio de Janeiro uma iniciativa para diminuir essas ações que tem dado certo em outras cidades do país.

Há cerca de uma semana, a cearense começou a comercializar em Fortaleza, por meio do aplicativo de mensagens instantâneas Whatsapp, as plaquinhas do “Respeite um carro a menos”. Criado por quatro cariocas, o projeto ganhou força no estado fluminense e já se espalhou por todo o Brasil.

Mesmo com pouco tempo disponível, ela conta que as plaquinhas inusitadas já caíram no gosto do cearense. “O lote completo chegou na última sexta-feira. No mesmo fim de semana eu já tinha vendido mais da metade das plaquinhas. Elas já são sucesso em outros estados, aqui é só questão de tempo”, contou a franqueadora. 

Apesar de ser completamente apaixonada por bicicletas, não faz muito tempo que Leilianny aderiu a bike como meio de transporte. Segundo ela, foi preciso o incentivo de amigos. “Eu comecei a andar de bike há um ano. E comecei andando indo para aula com uma bicicleta emprestada de um amigo. Aquilo foi me tomando e eu realmente percebi que poderia ir aonde eu quisesse só utilizando a bicicleta”, contou.

Feitas de material reciclado, que levam a mensagem “Respeite Um Carro a Menos”, as plaquinhas não só sinalizam, mas também sensibilizam, conscientizam e estimulam a interação entre os condutores de veículos a motor e as bikes. Para adquirir uma placa ao seu gosto e estilo, é preciso desembolsar R$ 30 por cada plaquinha e prendê-la a sua bike.

SERVIÇO

Placas – Respeite Um Carro a Menos
Contato:
Leilianny Ribeiro – 9.9793-9872

Confira as plaquinhas que chegaram a Fortaleza:

Respeite Um Carro a menos (1)
1/3

Respeite Um Carro a menos (1)

Plaquinhas são comercializadas e criadas no Rio de Janeiro e começam a fazer sucesso em Fortaleza (FOTO: Fernanda Moura / Tribuna do Ceará)

Respeite Um Carro a menos (2)
2/3

Respeite Um Carro a menos (2)

Plaquinhas são comercializadas e criadas no Rio de Janeiro e começam a fazer sucesso em Fortaleza (FOTO: Matheus Ribeiro / Tribuna do Ceará)

Respeite Um Carro a menos (3)
3/3

Respeite Um Carro a menos (3)

Plaquinhas são comercializadas e criadas no Rio de Janeiro e começam a fazer sucesso em Fortaleza (FOTO: Matheus Ribeiro / Tribuna do Ceará)

Publicidade

Dê sua opinião

CRIATIVIDADE

Cearense faz sucesso com franquia de plaquinhas com frases para bicicletas

Leilianny Ribeiro comercializa em Fortaleza plaquinhas de sinalização para bicicletas, que nem as de caminhão

Por Matheus Ribeiro em Mobilidade Urbana

2 de agosto de 2016 às 07:00

Há 3 anos
Leilianny Ribeiro conheceu as plaquinhas no Rio e resolveu trazer a inovação para Fortaleza (FOTO: Divulgação)

Leilianny Ribeiro conheceu as plaquinhas no Rio e resolveu trazer a inovação para Fortaleza (FOTO: Divulgação)

Nos últimos anos o número de usuários de bike na capital cearense tem crescido fortemente. Contudo, mesmo com a instalação de novas ciclofaixas, a falta de respeito com os ciclistas ainda é uma triste realidade enfrentada pelos usuários cearenses. Com isso, a cearense Leilianny Ribeiro decidiu trazer do Rio de Janeiro uma iniciativa para diminuir essas ações que tem dado certo em outras cidades do país.

Há cerca de uma semana, a cearense começou a comercializar em Fortaleza, por meio do aplicativo de mensagens instantâneas Whatsapp, as plaquinhas do “Respeite um carro a menos”. Criado por quatro cariocas, o projeto ganhou força no estado fluminense e já se espalhou por todo o Brasil.

Mesmo com pouco tempo disponível, ela conta que as plaquinhas inusitadas já caíram no gosto do cearense. “O lote completo chegou na última sexta-feira. No mesmo fim de semana eu já tinha vendido mais da metade das plaquinhas. Elas já são sucesso em outros estados, aqui é só questão de tempo”, contou a franqueadora. 

Apesar de ser completamente apaixonada por bicicletas, não faz muito tempo que Leilianny aderiu a bike como meio de transporte. Segundo ela, foi preciso o incentivo de amigos. “Eu comecei a andar de bike há um ano. E comecei andando indo para aula com uma bicicleta emprestada de um amigo. Aquilo foi me tomando e eu realmente percebi que poderia ir aonde eu quisesse só utilizando a bicicleta”, contou.

Feitas de material reciclado, que levam a mensagem “Respeite Um Carro a Menos”, as plaquinhas não só sinalizam, mas também sensibilizam, conscientizam e estimulam a interação entre os condutores de veículos a motor e as bikes. Para adquirir uma placa ao seu gosto e estilo, é preciso desembolsar R$ 30 por cada plaquinha e prendê-la a sua bike.

SERVIÇO

Placas – Respeite Um Carro a Menos
Contato:
Leilianny Ribeiro – 9.9793-9872

Confira as plaquinhas que chegaram a Fortaleza:

Respeite Um Carro a menos (1)
1/3

Respeite Um Carro a menos (1)

Plaquinhas são comercializadas e criadas no Rio de Janeiro e começam a fazer sucesso em Fortaleza (FOTO: Fernanda Moura / Tribuna do Ceará)

Respeite Um Carro a menos (2)
2/3

Respeite Um Carro a menos (2)

Plaquinhas são comercializadas e criadas no Rio de Janeiro e começam a fazer sucesso em Fortaleza (FOTO: Matheus Ribeiro / Tribuna do Ceará)

Respeite Um Carro a menos (3)
3/3

Respeite Um Carro a menos (3)

Plaquinhas são comercializadas e criadas no Rio de Janeiro e começam a fazer sucesso em Fortaleza (FOTO: Matheus Ribeiro / Tribuna do Ceará)