Projeto reajusta IPTU de 17,5% a 35% em Fortaleza


Projeto pode reajustar valor do IPTU até 35% em Fortaleza

De autoria do prefeito Roberto Cláudio, a matéria é justificada pela “defasagem dos valores dos imóveis em relação aos valores de mercados”

Por Tribuna do Ceará em Fortaleza

3 de dezembro de 2013 às 08:38

Há 6 anos
Segundo o Projeto de Lei, além do baixo valor cobrado, há flagrantes distorções na forma de calcular o imposto entre casas e apartamentos (FOTO: Divulgação)

Segundo o Projeto de Lei, além do baixo valor cobrado, há flagrantes distorções na forma de calcular o imposto entre casas e apartamentos (FOTO: Divulgação)

Começa a tramitar na Câmara Municipal de Fortaleza o Projeto de Lei que reajusta o Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana (IPTU), a partir de 2014.

De autoria do prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio (Pros), a matéria é justificada pela “defasagem dos valores das unidades imobiliárias em relação aos valores de mercados, refletindo em baixa arrecadação do IPTU em Fortaleza”.

Segundo o Projeto de Lei, além do baixo valor cobrado, há flagrantes distorções na forma de calcular o imposto entre casas e apartamentos. “Para corrigir o tratamento desigual em vigor, onde se tributa ‘casa’ com valor maior que o IPTU de ‘apartamento’, está sendo proposta a inclusão do fator de verticalização”.

> LEIA MAIS

Com o objetivo de “corrigir disparidades”, a matéria propõe aumento do valor da faixa de isenção do imposto para imóveis residenciais até R$ 30.341. Atualmente, a isenção acontece para imóveis de até R$ 26.383.

Ajustes

Os valores devem ser reajustados para imóveis residenciais e não-residenciais. De acordo com o Projeto de Lei, a taxação será: de 17,5% para imóveis com valor venal de até R$ 58.500; 22,5% para imóveis com valor venal de R$ 58.500 a R$ 210.600; 35% para imóveis com valor superior a R$ 210.600. Para os imóveis não-residenciais e terrenos, a alteração será de 35%.

Publicidade

Dê sua opinião

Projeto pode reajustar valor do IPTU até 35% em Fortaleza

De autoria do prefeito Roberto Cláudio, a matéria é justificada pela “defasagem dos valores dos imóveis em relação aos valores de mercados”

Por Tribuna do Ceará em Fortaleza

3 de dezembro de 2013 às 08:38

Há 6 anos
Segundo o Projeto de Lei, além do baixo valor cobrado, há flagrantes distorções na forma de calcular o imposto entre casas e apartamentos (FOTO: Divulgação)

Segundo o Projeto de Lei, além do baixo valor cobrado, há flagrantes distorções na forma de calcular o imposto entre casas e apartamentos (FOTO: Divulgação)

Começa a tramitar na Câmara Municipal de Fortaleza o Projeto de Lei que reajusta o Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana (IPTU), a partir de 2014.

De autoria do prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio (Pros), a matéria é justificada pela “defasagem dos valores das unidades imobiliárias em relação aos valores de mercados, refletindo em baixa arrecadação do IPTU em Fortaleza”.

Segundo o Projeto de Lei, além do baixo valor cobrado, há flagrantes distorções na forma de calcular o imposto entre casas e apartamentos. “Para corrigir o tratamento desigual em vigor, onde se tributa ‘casa’ com valor maior que o IPTU de ‘apartamento’, está sendo proposta a inclusão do fator de verticalização”.

> LEIA MAIS

Com o objetivo de “corrigir disparidades”, a matéria propõe aumento do valor da faixa de isenção do imposto para imóveis residenciais até R$ 30.341. Atualmente, a isenção acontece para imóveis de até R$ 26.383.

Ajustes

Os valores devem ser reajustados para imóveis residenciais e não-residenciais. De acordo com o Projeto de Lei, a taxação será: de 17,5% para imóveis com valor venal de até R$ 58.500; 22,5% para imóveis com valor venal de R$ 58.500 a R$ 210.600; 35% para imóveis com valor superior a R$ 210.600. Para os imóveis não-residenciais e terrenos, a alteração será de 35%.