Primeiro casamento gay coletivo de Fortaleza acontece em junho


Primeiro casamento gay coletivo de Fortaleza acontece em junho

O mutirão vai contemplar 30 casais homossexuais. Os interessados podem se inscrever até dia 13 de maio

Por Marcella Ruchet em Fortaleza

10 de maio de 2014 às 08:00

Há 5 anos

A Câmara dos Vereadores aprovou requerimento enviado pelo vereador Paulo Diógenes, em que solicitava a realização da primeira cerimônia de casamento gay coletiva em Fortaleza. Com a aprovação do requerimento, no último dia 6, 30 casais homossexuais participarão da cerimônia, que contará com um juiz de paz no Parque das Crianças, no dia 7 de junho, às 16h.

Casamento coletivo acontece no dia 7 de junho (FOTO: Flickr/Marriage)

Casamento coletivo acontece no dia 7 de junho (FOTO: Flickr/Marriage)

Jorge Pinheiro, responsável pela Coordenadoria da Diversidade Sexual, destacou a importância do mutirão no que diz respeito aos direitos conquistados pelos homossexuais. Em maio de 2013 o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) obrigou todos os cartórios a registrar casais gays. “Vamos fazer esse grande casamento, para facilitar o acessos dos homossexuais ao que é deles por direito.”

As inscrições para o casamento ocorrem até o dia 13 de maio, e o prazo foi estipulado pelo cartório, para que haja tempo suficiente na organização de toda a documentação necessária. Todas as despesas serão arcadas pela coordenadoria e pela Secretaria de Cidadania e Direitos Humanos (SCDH). Segundo Jorge, os casais que não forem contemplados nesse primeiro evento ficarão cadastrados para um possível segundo mutirão. “Se o número de inscritos ultrapassar os 30 casais permitidos, esperamos fazer um novo casamento”, pontua.

Paulo Diógenes fala que sentiu a necessidade de fazer o requerimento na Câmara após sentir as mudanças na sua vida após seu casamento em janeiro desse ano. “Um amigo meu faleceu, e o companheiro não teve direito a nada. O casamento muda esse cenário”, explica. Para o vereador, não é justo construir uma vida junto de uma pessoa e não ter nada que respalde os direitos.

Ele diz também que espera que as pessoas passem a ter mais tolerância com os homossexuais. “Eu prego o amor e o direito de duas pessoas que se amam de oficializar a união.” Paulo confirmou presença no dia 7 de junho, inclusive como testemunha. “Estarei lá e pretendo convidar o prefeito Roberto Cláudio que foi padrinho do meu casamento”, finaliza.

Serviço:

Os interessados podem se inscrever no Centro de Referência LGBT Janaína Dutra, localizado na Rua Pedro I, 461 – Centro. Os seguintes documentos serão solicitados:

Solteiros: RG e Certidão de Nascimento (duas cópias);
Viúvos: RG, Certidão de casamento com anotação de óbito ou certidão de óbito do cônjuge e cópia do formal de partilha (duas cópias);
Divorciados: RG e Certidão de casamento com averbação de divorcio (duas cópias);
Estrangeiros Solteiros: Passaporte ou RNE (Registro Nacional de Estrangeiros), certidão de nascimento consularizada e declaração do estado civil consularizada (duas cópias);
Estrangeiros Divorciados: Passaporte ou RNE (Registro Nacional de Estrangeiros), Certidão de casamento original consularizada; Certidão de divorcio consularizada (duas cópias);

Publicidade

Dê sua opinião

Primeiro casamento gay coletivo de Fortaleza acontece em junho

O mutirão vai contemplar 30 casais homossexuais. Os interessados podem se inscrever até dia 13 de maio

Por Marcella Ruchet em Fortaleza

10 de maio de 2014 às 08:00

Há 5 anos

A Câmara dos Vereadores aprovou requerimento enviado pelo vereador Paulo Diógenes, em que solicitava a realização da primeira cerimônia de casamento gay coletiva em Fortaleza. Com a aprovação do requerimento, no último dia 6, 30 casais homossexuais participarão da cerimônia, que contará com um juiz de paz no Parque das Crianças, no dia 7 de junho, às 16h.

Casamento coletivo acontece no dia 7 de junho (FOTO: Flickr/Marriage)

Casamento coletivo acontece no dia 7 de junho (FOTO: Flickr/Marriage)

Jorge Pinheiro, responsável pela Coordenadoria da Diversidade Sexual, destacou a importância do mutirão no que diz respeito aos direitos conquistados pelos homossexuais. Em maio de 2013 o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) obrigou todos os cartórios a registrar casais gays. “Vamos fazer esse grande casamento, para facilitar o acessos dos homossexuais ao que é deles por direito.”

As inscrições para o casamento ocorrem até o dia 13 de maio, e o prazo foi estipulado pelo cartório, para que haja tempo suficiente na organização de toda a documentação necessária. Todas as despesas serão arcadas pela coordenadoria e pela Secretaria de Cidadania e Direitos Humanos (SCDH). Segundo Jorge, os casais que não forem contemplados nesse primeiro evento ficarão cadastrados para um possível segundo mutirão. “Se o número de inscritos ultrapassar os 30 casais permitidos, esperamos fazer um novo casamento”, pontua.

Paulo Diógenes fala que sentiu a necessidade de fazer o requerimento na Câmara após sentir as mudanças na sua vida após seu casamento em janeiro desse ano. “Um amigo meu faleceu, e o companheiro não teve direito a nada. O casamento muda esse cenário”, explica. Para o vereador, não é justo construir uma vida junto de uma pessoa e não ter nada que respalde os direitos.

Ele diz também que espera que as pessoas passem a ter mais tolerância com os homossexuais. “Eu prego o amor e o direito de duas pessoas que se amam de oficializar a união.” Paulo confirmou presença no dia 7 de junho, inclusive como testemunha. “Estarei lá e pretendo convidar o prefeito Roberto Cláudio que foi padrinho do meu casamento”, finaliza.

Serviço:

Os interessados podem se inscrever no Centro de Referência LGBT Janaína Dutra, localizado na Rua Pedro I, 461 – Centro. Os seguintes documentos serão solicitados:

Solteiros: RG e Certidão de Nascimento (duas cópias);
Viúvos: RG, Certidão de casamento com anotação de óbito ou certidão de óbito do cônjuge e cópia do formal de partilha (duas cópias);
Divorciados: RG e Certidão de casamento com averbação de divorcio (duas cópias);
Estrangeiros Solteiros: Passaporte ou RNE (Registro Nacional de Estrangeiros), certidão de nascimento consularizada e declaração do estado civil consularizada (duas cópias);
Estrangeiros Divorciados: Passaporte ou RNE (Registro Nacional de Estrangeiros), Certidão de casamento original consularizada; Certidão de divorcio consularizada (duas cópias);