Prefeitura lança pacote de projetos em Habitação para enfrentar déficit de moradias


Prefeitura lança pacote de projetos em Habitação para enfrentar déficit de moradias

Pesquisa do Ipea aponta que houve um aumento de 10,8% entre 2007 e 2012. Prefeitura promete melhorar o índice nos próximos quatro anos

Por Aline Lima em Fortaleza

27 de novembro de 2013 às 09:35

Há 5 anos
Prefeitura promete diminuir índice do déficit habitacional na Região Metropolitana (FOTO: Divulgação)

Prefeitura promete diminuir índice do déficit habitacional na Região Metropolitana (FOTO: Divulgação)

O déficit habitacional na Região Metropolitana de Fortaleza aumentou de 108,3 mil habitações, em 2007, para 120,1 mil, em 2012, de acordo com o levantamento realizado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), divulgado na última segunda-feira (25). De acordo com a presidenta da Fundação de Desenvolvimento Habitacional de Fortaleza, Eliana Gomes, os dados se justificam pela pouca produção de habitação na Capital nos últimos cinco anos.

“Em 2009, os cadastros foram iniciados e de lá, até 2012, só 856 habitações foram entregues. A boa notícia é que novos contratos já foram assinados e, até o final desta gestão, 24 mil novas unidades serão construídas e entregues a quem está inscrito no Minha Casa, Minha Vida”.

> LEIA MAIS

Eliane diz que a perspectiva é que a contratação de unidades habitacionais seja maior, por conta de outros projetos em análise na Caixa e no Banco do Brasil. Segundo ela, no dia 15 de novembro um pacote de habitações foi lançado pelo prefeito e envolve 60 mil regularizações fundiárias, 40 mil melhorias habitacionais e a construção de mais de 24 mil novas unidades. Em janeiro de 2014 haverá uma atualização do cadastramento do Programa Minha Casa Minha Vida (MCMV).

Segundo a Prefeitura de Fortaleza, a atual gestão retomou todos os projetos paralisados de habitação e urbanização de favelas da cidade, formando um total de 2.442 moradias. Parte delas será construída através de uma conjugação com o MCMV. Neste caso, as famílias seriam isentas das taxas comuns ao Programa.

Há ainda outras 4.992 moradias que serão construídas para atender a demandas de reassentamento humano de projeto da Prefeitura e do MCMV Entidades. São 1.472 casas do projeto Praça do Titan, no Serviluz, e 3.520 unidades habitacionais construídas em parceria com 6 organizações da sociedade civil na modalidade citada da iniciativa federal.

“Estamos realizando a maior contratação de casas da história de Fortaleza, incidindo diretamente na urbanização das favelas, com as melhorias e a regularização da documentação das casas de nosso povo. Ao final de quatro anos, com certeza, esse déficit será modificado”, diz Eliane.

Com informações da Prefeitura de Fortaleza

Publicidade

Dê sua opinião

Prefeitura lança pacote de projetos em Habitação para enfrentar déficit de moradias

Pesquisa do Ipea aponta que houve um aumento de 10,8% entre 2007 e 2012. Prefeitura promete melhorar o índice nos próximos quatro anos

Por Aline Lima em Fortaleza

27 de novembro de 2013 às 09:35

Há 5 anos
Prefeitura promete diminuir índice do déficit habitacional na Região Metropolitana (FOTO: Divulgação)

Prefeitura promete diminuir índice do déficit habitacional na Região Metropolitana (FOTO: Divulgação)

O déficit habitacional na Região Metropolitana de Fortaleza aumentou de 108,3 mil habitações, em 2007, para 120,1 mil, em 2012, de acordo com o levantamento realizado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), divulgado na última segunda-feira (25). De acordo com a presidenta da Fundação de Desenvolvimento Habitacional de Fortaleza, Eliana Gomes, os dados se justificam pela pouca produção de habitação na Capital nos últimos cinco anos.

“Em 2009, os cadastros foram iniciados e de lá, até 2012, só 856 habitações foram entregues. A boa notícia é que novos contratos já foram assinados e, até o final desta gestão, 24 mil novas unidades serão construídas e entregues a quem está inscrito no Minha Casa, Minha Vida”.

> LEIA MAIS

Eliane diz que a perspectiva é que a contratação de unidades habitacionais seja maior, por conta de outros projetos em análise na Caixa e no Banco do Brasil. Segundo ela, no dia 15 de novembro um pacote de habitações foi lançado pelo prefeito e envolve 60 mil regularizações fundiárias, 40 mil melhorias habitacionais e a construção de mais de 24 mil novas unidades. Em janeiro de 2014 haverá uma atualização do cadastramento do Programa Minha Casa Minha Vida (MCMV).

Segundo a Prefeitura de Fortaleza, a atual gestão retomou todos os projetos paralisados de habitação e urbanização de favelas da cidade, formando um total de 2.442 moradias. Parte delas será construída através de uma conjugação com o MCMV. Neste caso, as famílias seriam isentas das taxas comuns ao Programa.

Há ainda outras 4.992 moradias que serão construídas para atender a demandas de reassentamento humano de projeto da Prefeitura e do MCMV Entidades. São 1.472 casas do projeto Praça do Titan, no Serviluz, e 3.520 unidades habitacionais construídas em parceria com 6 organizações da sociedade civil na modalidade citada da iniciativa federal.

“Estamos realizando a maior contratação de casas da história de Fortaleza, incidindo diretamente na urbanização das favelas, com as melhorias e a regularização da documentação das casas de nosso povo. Ao final de quatro anos, com certeza, esse déficit será modificado”, diz Eliane.

Com informações da Prefeitura de Fortaleza