Por não entregar carro, revendedora deve pagar mais de R$ 16 mil


Por não entregar carro, revendedora deve pagar mais de R$ 16 mil

De acordo com o processo, o cliente pagou R$ 11.100 por automóvel que já havia sido vendido

Por Tribuna do Ceará em Fortaleza

28 de janeiro de 2013 às 20:18

Há 6 anos

A VR Veículos deve pagar R$ 16.100 para um cliente que comprou carro e não recebeu. A decisão é do juiz Francisco Gladyson Pontes Filho, da Vara Única da Comarca de Horizonte, na Região Metropolitana de Fortaleza.

De acordo com o processo, o cliente pagou R$ 11.100 por automóvel que já havia sido vendido. Consequentemente, perdeu o carro por meio de processo judicial de busca e apreensão.

Por esse motivo, ele ajuizou ação requerendo indenização por danos morais e materiais. Alegou que a revendedora agiu de má fé. A empresa não apresentou contestação.

Julgamento

Durante audiência de conciliação, realizada em 15 de fevereiro de 2012, ficou acertado que VR Veículos depositaria, na conta do cliente, o valor pago pelo carro, no prazo de 30 dias. Porém o acordo não foi cumprido.

Ao analisar o caso, o magistrado determinou o pagamento de R$ 11.100 por danos materiais e de R$ 5 mil por reparação moral. “O requerido [empresa] realizou acordo e não cumpriu, revelando-se a má fé do mesmo, que apesar de já ter causado enorme constrangimento ao requerente [cliente] não se esforçou em amenizar os danos já causados, ao contrário, só os potencializou”, disse.

Publicidade

Dê sua opinião

Por não entregar carro, revendedora deve pagar mais de R$ 16 mil

De acordo com o processo, o cliente pagou R$ 11.100 por automóvel que já havia sido vendido

Por Tribuna do Ceará em Fortaleza

28 de janeiro de 2013 às 20:18

Há 6 anos

A VR Veículos deve pagar R$ 16.100 para um cliente que comprou carro e não recebeu. A decisão é do juiz Francisco Gladyson Pontes Filho, da Vara Única da Comarca de Horizonte, na Região Metropolitana de Fortaleza.

De acordo com o processo, o cliente pagou R$ 11.100 por automóvel que já havia sido vendido. Consequentemente, perdeu o carro por meio de processo judicial de busca e apreensão.

Por esse motivo, ele ajuizou ação requerendo indenização por danos morais e materiais. Alegou que a revendedora agiu de má fé. A empresa não apresentou contestação.

Julgamento

Durante audiência de conciliação, realizada em 15 de fevereiro de 2012, ficou acertado que VR Veículos depositaria, na conta do cliente, o valor pago pelo carro, no prazo de 30 dias. Porém o acordo não foi cumprido.

Ao analisar o caso, o magistrado determinou o pagamento de R$ 11.100 por danos materiais e de R$ 5 mil por reparação moral. “O requerido [empresa] realizou acordo e não cumpriu, revelando-se a má fé do mesmo, que apesar de já ter causado enorme constrangimento ao requerente [cliente] não se esforçou em amenizar os danos já causados, ao contrário, só os potencializou”, disse.