Fotonovela feita com peças de Lego retrata protestos em Fortaleza


Fotonovela feita com Lego retrata protestos em Fortaleza

O sociólogo Danilo Pinheiro produziu, com 1.800 peças de Lego, uma sátira aos conflitos de interesse em torno dos “Black Blocs” e do “Fortaleza Apavorada”

Por Rafael Luis Azevedo em Fortaleza

27 de novembro de 2013 às 17:20

Há 6 anos
Lego-boneco

Fotonovela feita com peças de Lego retrata protestos em Fortaleza (Foto: Danilo Pinheiro)

Um jeito diferente de discutir a onda de protestos em Fortaleza. Foi o que conseguiu o sociólogo Danilo Pinheiro, ao produzir uma fotonovela com cenas montadas com peças de Lego. Com o trabalho divulgado em seu perfil no Facebook, o cearense chamou a atenção para os conflitos de interesse em torno dos eventos que ganharam força em 2013.

No roteiro, estão lá a partir de traços caricatos o político, empreiteiro, jornalista, socialite e jovem alienado, além dos manifestantes. Da insatisfação popular nascem os grupos “Fortaleza Apavorada”, formado por uma elite que cobra mais segurança, e “Black Blocs”, identificados com atos violentos contra patrimônio público e privado.

“A fotonovela não pretende levantar nenhuma bandeira, nem ser um diagnóstico social. Foi um trabalho em tom de sátira, para trazer à tona toda essa questão”, conta Danilo, que apoiou o movimento “Ocupe o Cocó”, contrário a construção de viadutos no parque. “Nem os Black Blocs são vândalos, e nem o Fortaleza Apavorada é composto por alienados”, defende.

Lego-boneco-2

As cenas montadas pelo sociólogo impressionam pela riqueza de detalhes (Foto: Danilo Pinheiro)

 

O roteiro foi construído com base em percepções que teve durante os protestos. “Não acampei no Cocó, mas fui lá umas cinco ou seis vezes”, relembra o sociólogo. “Minha atuação foi mais com meus alunos, tentando mudar neles a visão depreciativa sobre os manifestantes”, explica Danilo, professor de saúde pública no curso de Medicina da Universidade de Fortaleza (Unifor).

> LEIA MAIS

Montar as cenas foi fácil, pois Danilo começou a brincar com Lego aos oito anos. Foram usadas cerca de 1.800 peças, com o cenário sendo montado ou adaptado em cada uma das 135 fotos. “Foram duas semanas de trabalho, nos momentos de lazer”, relata o sociólogo, que divulgou o álbum em seu Facebook nesta quarta-feira (27).

Danilo-Pinheiro

Apoiador de movimentos populares, Danilo defende uso harmônico do espaço público (Foto: Acervo pessoal)

Apesar da boa recepção entre os amigos – e os amigos dos amigos -, por enquanto não está prevista uma segunda edição da fotonovela. E nem uma adaptação para vídeo, por exemplo com a técnica do stop motion (foto por foto). “Isso não será um seriado”, brinca Danilo. Aos fãs da arte do professor, não custa torcer que ele mude de ideia.

Confira 28 das 135 imagens:

Lego 1
Lego 2
Lego 7
Lego 13
Lego 14
Lego 16
Lego 18
Lego 20
Lego 24
Lego 25
Lego 26
Lego 27
Lego 28
Lego 29
Lego 33
Lego 34
Lego 35
Lego 36
Lego 37
Lego 38
Lego 42
Lego 43
Lego 44
Lego 47
Lego 50
Lego 51
Lego 55
Lego 133

Confira a fotonovela completa no perfil de Danilo Pinheiro no Facebook.

Publicidade

Dê sua opinião

Fotonovela feita com Lego retrata protestos em Fortaleza

O sociólogo Danilo Pinheiro produziu, com 1.800 peças de Lego, uma sátira aos conflitos de interesse em torno dos “Black Blocs” e do “Fortaleza Apavorada”

Por Rafael Luis Azevedo em Fortaleza

27 de novembro de 2013 às 17:20

Há 6 anos
Lego-boneco

Fotonovela feita com peças de Lego retrata protestos em Fortaleza (Foto: Danilo Pinheiro)

Um jeito diferente de discutir a onda de protestos em Fortaleza. Foi o que conseguiu o sociólogo Danilo Pinheiro, ao produzir uma fotonovela com cenas montadas com peças de Lego. Com o trabalho divulgado em seu perfil no Facebook, o cearense chamou a atenção para os conflitos de interesse em torno dos eventos que ganharam força em 2013.

No roteiro, estão lá a partir de traços caricatos o político, empreiteiro, jornalista, socialite e jovem alienado, além dos manifestantes. Da insatisfação popular nascem os grupos “Fortaleza Apavorada”, formado por uma elite que cobra mais segurança, e “Black Blocs”, identificados com atos violentos contra patrimônio público e privado.

“A fotonovela não pretende levantar nenhuma bandeira, nem ser um diagnóstico social. Foi um trabalho em tom de sátira, para trazer à tona toda essa questão”, conta Danilo, que apoiou o movimento “Ocupe o Cocó”, contrário a construção de viadutos no parque. “Nem os Black Blocs são vândalos, e nem o Fortaleza Apavorada é composto por alienados”, defende.

Lego-boneco-2

As cenas montadas pelo sociólogo impressionam pela riqueza de detalhes (Foto: Danilo Pinheiro)

 

O roteiro foi construído com base em percepções que teve durante os protestos. “Não acampei no Cocó, mas fui lá umas cinco ou seis vezes”, relembra o sociólogo. “Minha atuação foi mais com meus alunos, tentando mudar neles a visão depreciativa sobre os manifestantes”, explica Danilo, professor de saúde pública no curso de Medicina da Universidade de Fortaleza (Unifor).

> LEIA MAIS

Montar as cenas foi fácil, pois Danilo começou a brincar com Lego aos oito anos. Foram usadas cerca de 1.800 peças, com o cenário sendo montado ou adaptado em cada uma das 135 fotos. “Foram duas semanas de trabalho, nos momentos de lazer”, relata o sociólogo, que divulgou o álbum em seu Facebook nesta quarta-feira (27).

Danilo-Pinheiro

Apoiador de movimentos populares, Danilo defende uso harmônico do espaço público (Foto: Acervo pessoal)

Apesar da boa recepção entre os amigos – e os amigos dos amigos -, por enquanto não está prevista uma segunda edição da fotonovela. E nem uma adaptação para vídeo, por exemplo com a técnica do stop motion (foto por foto). “Isso não será um seriado”, brinca Danilo. Aos fãs da arte do professor, não custa torcer que ele mude de ideia.

Confira 28 das 135 imagens:

Lego 1
Lego 2
Lego 7
Lego 13
Lego 14
Lego 16
Lego 18
Lego 20
Lego 24
Lego 25
Lego 26
Lego 27
Lego 28
Lego 29
Lego 33
Lego 34
Lego 35
Lego 36
Lego 37
Lego 38
Lego 42
Lego 43
Lego 44
Lego 47
Lego 50
Lego 51
Lego 55
Lego 133

Confira a fotonovela completa no perfil de Danilo Pinheiro no Facebook.