Fortaleza recebe equipamento público de tratamento à dependência química


Fortaleza recebe equipamento público de tratamento à dependência química

Até o momento, a prefeitura dispunha de 120 leitos, mas todos conveniados com clínicas particulares

Por Arimatéia Moura em Fortaleza

25 de junho de 2013 às 10:38

Há 6 anos

A primeira Unidade de Acolhimento Adulto para tratamento de dependentes químicos sob responsabilidade do poder público foi inaugurada nesta segunda-feira (24). Até o momento, a prefeitura dispunha de 120 leitos, mas todos conveniados com clínicas particulares.

O equipamento inaugurado esta semana fica no Bairro José Walter e conta com 30 leitos em regime de internação, de acordo com a coordenadora de políticas sobre drogas da prefeitura de Fortaleza, Juliana Sena. A previsão da coordenadora é de que, até o final do ano, mais seis unidades de acolhimento sejam construídas.

“O combate ao uso de drogas é uma prioridade”, explica Juliana Sena, “estamos avançando de forma emergencial em relação à questão, ampliando leitos de internação e pensando medidas para reinserção social”.

A construção das Unidades de Acolhimento é financiada com recursos do programa federal “Crack É Possível Vencer.” A nova unidade oferece 15 vagas para homens e 15 para mulheres, e as internações devem ser encaminhadas pelos Caps.

Publicidade

Dê sua opinião

Fortaleza recebe equipamento público de tratamento à dependência química

Até o momento, a prefeitura dispunha de 120 leitos, mas todos conveniados com clínicas particulares

Por Arimatéia Moura em Fortaleza

25 de junho de 2013 às 10:38

Há 6 anos

A primeira Unidade de Acolhimento Adulto para tratamento de dependentes químicos sob responsabilidade do poder público foi inaugurada nesta segunda-feira (24). Até o momento, a prefeitura dispunha de 120 leitos, mas todos conveniados com clínicas particulares.

O equipamento inaugurado esta semana fica no Bairro José Walter e conta com 30 leitos em regime de internação, de acordo com a coordenadora de políticas sobre drogas da prefeitura de Fortaleza, Juliana Sena. A previsão da coordenadora é de que, até o final do ano, mais seis unidades de acolhimento sejam construídas.

“O combate ao uso de drogas é uma prioridade”, explica Juliana Sena, “estamos avançando de forma emergencial em relação à questão, ampliando leitos de internação e pensando medidas para reinserção social”.

A construção das Unidades de Acolhimento é financiada com recursos do programa federal “Crack É Possível Vencer.” A nova unidade oferece 15 vagas para homens e 15 para mulheres, e as internações devem ser encaminhadas pelos Caps.