Estrangeiros que moram em Fortaleza relatam medo da violência


Estrangeiros que moram em Fortaleza relatam medo da violência

Tribuna do Ceará conversou com alemão, português, francês e inglês que vivem em Fortaleza sobre a segurança local

Por Hayanne Narlla em Fortaleza

2 de abril de 2014 às 11:00

Há 5 anos

Fortaleza vai receber, daqui a dois meses, o maior volume de estrangeiros num curto espaço de tempo na história da cidade. Mesmo se colocando de forma ousada no turismo internacional, a fama de ser insegura também se alastrou intensamente pelo mundo. Mas o que os turistas de fora do Brasil pensam realmente a respeito da capital cearense?

O Tribuna do Ceará conversou com quatro estrangeiros residentes em Fortaleza, questionando a violência local: um português, devido ao uso do mesmo idioma; um inglês, proveniente do país em que a imprensa é mais crítica da Copa do Mundo no Brasil; um alemão, seleção que terá jogo sediado na capital cearense; e um francês, que foi assaltado na França, mas não em Fortaleza.

Mesmo sem nenhum deles ter sofrido os reflexos na própria pele, há sempre um conhecido que pode contar com vários detalhes um assalto a mão armada, por exemplo. O francês Gael Duhaut já sabe que não pode andar com muito dinheiro no bolso ou ostentando objetos de valor pelas ruas da cidade. “Só ando de bermuda, camiseta e chinela. Bem simples”, ensina.

A fama internacional de ser uma cidade com considerável nível de violência foi constatada pela ONG mexicana Conselho Cidadão para a Segurança Pública e Justiça Penal. Em 2013, a cidade foi considerada 13ª mais violenta do mundo em 2013. Neste ano, já pulou para a 7ª colocação. Sinal de alerta para os visitantes que passarão pela cidade.

> LEIA MAIS

Manfred Winkler – alemão e dono de restaurante

Estrangeiros---Manfred

Há seis anos morando em Fortaleza, Manfred montou seu restaurante e resolveu ficar de vez. Em meio a um idioma mais voltado para o espanhol, o estrangeiro escorrega no português, mas não na resposta.

“Acho que tudo é relativo. Mas não se pode negar que Fortaleza não é tranquila como já foi. Nunca fui assaltado, mas eu tomo precauções, principalmente se vou ao mercado. Estou evitando lugares mais perigosos, como a Via Expressa. São coisas pequenas, mas que tenho que tomar”, considera.

Neil Baker – inglês e professor de inglês

Estrangeiros---Neil

Neil mora com a esposa e a filha em Fortaleza há três anos e meio. No primeiro ano, foi difícil. A raiva de estar aqui só crescia. Com o tempo, a habilidade com o idioma local foi aumentando, além da afinidade com o calor. Porém, a falta de segurança o incomoda.

“Eu nunca vi nada, nunca sofri nada. Nunca senti de perto. Mas sempre escuto histórias. Por exemplo, hoje já estava falando com alguém que foi assaltada na sexta-feira. Roubaram o carro e o dinheiro. A violência aqui também é, às vezes, exagerada. Jornais acabam assustando as pessoas”, avalia.

Gael Duhaut – francês e professor de esportes aquáticos

Estrangeiros---Gael

Apaixonado pelas praias do Ceará, Gael escolheu Fortaleza para passar o resto de sua vida. Há mais de 8 meses morando na cidade, o francês nunca sofreu nenhum tipo de violência, mas tem a certeza de que ela existe.

“Eu sei que existe, por isso ando sem coisas de valor e nunca tenho muito dinheiro comigo. Só ando de bermuda, camiseta e chinela, bem simples. Fortaleza é perigosa, mas se tiver cuidado e não andar com coisas de valor, é mais tranquilo. Não quero dizer que nada vai acontecer, mas para o ladrão não pareço ser rico”, aposta.

Marco Delgado – português e desenvolvedor web

Estrangeiros---Marco

Vivendo em Fortaleza apenas há um mês, Marco não reparou ainda na falta de segurança da cidade. Ao chegar nas terras alencarinas, o português já sabia da fama negativa do local, mas ainda não presenciou nada do tipo.

“Eu não vou para lugares que tenham violência, que é pela parte central da cidade. Vejo violência nos dados oficiais. Eu gosto daqui, apesar do trânsito que é muito ruim. É o pior aspecto que considero. Ah, o transporte também é ruim”, analisa.

 

Confira a galeria

Estrangeiros em Fortaleza
1/4

Estrangeiros em Fortaleza

Gael veio para Fortaleza por amar o clima e as praias (FOTO: Arquivo pessoal)

Estrangeiros em Fortaleza
2/4

Estrangeiros em Fortaleza

Manfred é dono de restaurante de comida alemã e ama Fortaleza (FOTO: Arquivo pessoal)

Estrangeiros em Fortaleza
3/4

Estrangeiros em Fortaleza

Marco gosta de viver em Fortaleza, porém considera alguns aspectos da cidade como ruim (FOTO: Arquivo pessoal)

Estrangeiros em Fortaleza
4/4

Estrangeiros em Fortaleza

Neil desteva morar em Fortaleza durante o primeiro ano, porém, agora, não troca o calor por nada (FOTO: Arquivo pessoal)

Publicidade

Dê sua opinião

Estrangeiros que moram em Fortaleza relatam medo da violência

Tribuna do Ceará conversou com alemão, português, francês e inglês que vivem em Fortaleza sobre a segurança local

Por Hayanne Narlla em Fortaleza

2 de abril de 2014 às 11:00

Há 5 anos

Fortaleza vai receber, daqui a dois meses, o maior volume de estrangeiros num curto espaço de tempo na história da cidade. Mesmo se colocando de forma ousada no turismo internacional, a fama de ser insegura também se alastrou intensamente pelo mundo. Mas o que os turistas de fora do Brasil pensam realmente a respeito da capital cearense?

O Tribuna do Ceará conversou com quatro estrangeiros residentes em Fortaleza, questionando a violência local: um português, devido ao uso do mesmo idioma; um inglês, proveniente do país em que a imprensa é mais crítica da Copa do Mundo no Brasil; um alemão, seleção que terá jogo sediado na capital cearense; e um francês, que foi assaltado na França, mas não em Fortaleza.

Mesmo sem nenhum deles ter sofrido os reflexos na própria pele, há sempre um conhecido que pode contar com vários detalhes um assalto a mão armada, por exemplo. O francês Gael Duhaut já sabe que não pode andar com muito dinheiro no bolso ou ostentando objetos de valor pelas ruas da cidade. “Só ando de bermuda, camiseta e chinela. Bem simples”, ensina.

A fama internacional de ser uma cidade com considerável nível de violência foi constatada pela ONG mexicana Conselho Cidadão para a Segurança Pública e Justiça Penal. Em 2013, a cidade foi considerada 13ª mais violenta do mundo em 2013. Neste ano, já pulou para a 7ª colocação. Sinal de alerta para os visitantes que passarão pela cidade.

> LEIA MAIS

Manfred Winkler – alemão e dono de restaurante

Estrangeiros---Manfred

Há seis anos morando em Fortaleza, Manfred montou seu restaurante e resolveu ficar de vez. Em meio a um idioma mais voltado para o espanhol, o estrangeiro escorrega no português, mas não na resposta.

“Acho que tudo é relativo. Mas não se pode negar que Fortaleza não é tranquila como já foi. Nunca fui assaltado, mas eu tomo precauções, principalmente se vou ao mercado. Estou evitando lugares mais perigosos, como a Via Expressa. São coisas pequenas, mas que tenho que tomar”, considera.

Neil Baker – inglês e professor de inglês

Estrangeiros---Neil

Neil mora com a esposa e a filha em Fortaleza há três anos e meio. No primeiro ano, foi difícil. A raiva de estar aqui só crescia. Com o tempo, a habilidade com o idioma local foi aumentando, além da afinidade com o calor. Porém, a falta de segurança o incomoda.

“Eu nunca vi nada, nunca sofri nada. Nunca senti de perto. Mas sempre escuto histórias. Por exemplo, hoje já estava falando com alguém que foi assaltada na sexta-feira. Roubaram o carro e o dinheiro. A violência aqui também é, às vezes, exagerada. Jornais acabam assustando as pessoas”, avalia.

Gael Duhaut – francês e professor de esportes aquáticos

Estrangeiros---Gael

Apaixonado pelas praias do Ceará, Gael escolheu Fortaleza para passar o resto de sua vida. Há mais de 8 meses morando na cidade, o francês nunca sofreu nenhum tipo de violência, mas tem a certeza de que ela existe.

“Eu sei que existe, por isso ando sem coisas de valor e nunca tenho muito dinheiro comigo. Só ando de bermuda, camiseta e chinela, bem simples. Fortaleza é perigosa, mas se tiver cuidado e não andar com coisas de valor, é mais tranquilo. Não quero dizer que nada vai acontecer, mas para o ladrão não pareço ser rico”, aposta.

Marco Delgado – português e desenvolvedor web

Estrangeiros---Marco

Vivendo em Fortaleza apenas há um mês, Marco não reparou ainda na falta de segurança da cidade. Ao chegar nas terras alencarinas, o português já sabia da fama negativa do local, mas ainda não presenciou nada do tipo.

“Eu não vou para lugares que tenham violência, que é pela parte central da cidade. Vejo violência nos dados oficiais. Eu gosto daqui, apesar do trânsito que é muito ruim. É o pior aspecto que considero. Ah, o transporte também é ruim”, analisa.

 

Confira a galeria

Estrangeiros em Fortaleza
1/4

Estrangeiros em Fortaleza

Gael veio para Fortaleza por amar o clima e as praias (FOTO: Arquivo pessoal)

Estrangeiros em Fortaleza
2/4

Estrangeiros em Fortaleza

Manfred é dono de restaurante de comida alemã e ama Fortaleza (FOTO: Arquivo pessoal)

Estrangeiros em Fortaleza
3/4

Estrangeiros em Fortaleza

Marco gosta de viver em Fortaleza, porém considera alguns aspectos da cidade como ruim (FOTO: Arquivo pessoal)

Estrangeiros em Fortaleza
4/4

Estrangeiros em Fortaleza

Neil desteva morar em Fortaleza durante o primeiro ano, porém, agora, não troca o calor por nada (FOTO: Arquivo pessoal)