Sem Bolsonaro, Haddad é alvo em primeiro debate com participação do PT nas eleições 2018

PERDEU O DEBATE?

Sem Bolsonaro, Haddad é alvo em primeiro debate com participação do PT nas eleições 2018

Fernando Haddad participou do primeiro debate como candidato do PT e foi alvo de críticas principalmente de Geraldo Alckmin e Alvaro Dias

Por Tribuna do Ceará em Eleições 2018

21 de setembro de 2018 às 11:23

Há 9 meses
Bolsonaro e Cabo Daciolo não participaram de debate na TV Aparecida. (Foto: Reprodução)

Bolsonaro e Cabo Daciolo não participaram de debate na TV Aparecida. (Foto: Reprodução/TV Aparecida)

Em seu primeiro debate como candidato à presidência da República, Fernando Haddad (PT) foi o principal alvo dos adversários. Geraldo Alckmin (PSDB) e Alvaro Dias (Pode) foram os mais incisivos nos ataques ao petista.

Realizado CNBB (Conferência Nacional dos Bispos) e transmitido pela TV Aparecida na noite da quinta-feira (20), o debate contou com a participação de Ciro Gomes (PDT), Henrique Meirelles (MDB), Marina Silva (Rede) e Guilherme Boulos (Psol).

“Não precisaria a PEC do teto se não fosse o vale-tudo do PT”, disse Alckmin. “São 13 milhões de desempregados, quebraram o Brasil. O Petrolão foi o maior escândalo do mundo”, disparou o tucano.

Haddad retrucou às críticas dizendo que “Temer era vice da Dilma, mas foi o PSDB que colocou o Temer lá, com um programa de governo que não foi eleito”. O candidato do PT também voltou a fazer referência à briga interna no PSDB.

Tasso Jereissati assumiu que o PSDB sabotou o governo desde a reeleição”, lembrou. Alckmin tinha resposta pronta para a crítica repetida. “Todos os partidos estão fragilizados e todos deveriam fazer autocrítica. Mas o PT, ao invés de fazer autocrítica, lança candidato na porta da penitenciária”, disse.

Álvaro Dias também fez críticas ao petista. “Você é porta voz da tragédia, representante do caos, arauto da intolerância. O PT se especializou a distribuir a pobreza para todos e a riqueza para alguns, seus chefes”, disse.

O petista respondeu citando medidas de assistência social de iniciativas do PT. “O programa Minha Casa Minha Vida entregou quase 3 milhões de moradias. Eu criei o Prouni (quando ministro da Educação) e 214 cidades receberam escolas técnicas federais. Tudo isso fortalece a família”, defendeu-se.

Haddad também acusou Dias de desconhecer a realidade, ressaltanto o reconhecimento internacional do Bolsa Família e investimento em programa de agricultura familiar.”Você fica no seu gabinete do Senado e desconhece a realidade”, afirmou o petista.

Ciro Gomes perguntou a Haddad sobre propostas para reforma tributária, o ex-prefeito de São Paulo prometeu cobrar imposto sobre lucros e dividendos, sobre grandes patrimônios e heranças. Haddad também disse ser favorável a unificar impostos, ideia defendida por Ciro, Meirelles, Alckmin e Marina.

“Vamos criar o IVA (Imposto sobre Valor Agregado), que agrega impostos sobre consumo, e vamos garantir a estados e municípios que a receita não vai cair durante a transição”, afirmou.

Foi quando Haddad explicava a reforma tributária que tinha em mente, que Ciro disparou: “Por qual razão a sociedade machucada como está deveria acreditar nessas boas ideias, que defendi em um livro de 1996? Seu partido esteve no poder por 14 anos e nunca fez isso”.

Em resposta, o candidato do PT citou medidas feitas durante a gestão de seu partido no Governo Federal.

O presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) está hospitalizado depois de ter levado uma facada no dia 6 de setembro e está ausente da campanha política desde essa data. Cabo Daciolo (Patri) também foi convidado, mas não pôde ir por incompatibilidade de agenda.

Confira o debate na íntegra:

Publicidade

Dê sua opinião

PERDEU O DEBATE?

Sem Bolsonaro, Haddad é alvo em primeiro debate com participação do PT nas eleições 2018

Fernando Haddad participou do primeiro debate como candidato do PT e foi alvo de críticas principalmente de Geraldo Alckmin e Alvaro Dias

Por Tribuna do Ceará em Eleições 2018

21 de setembro de 2018 às 11:23

Há 9 meses
Bolsonaro e Cabo Daciolo não participaram de debate na TV Aparecida. (Foto: Reprodução)

Bolsonaro e Cabo Daciolo não participaram de debate na TV Aparecida. (Foto: Reprodução/TV Aparecida)

Em seu primeiro debate como candidato à presidência da República, Fernando Haddad (PT) foi o principal alvo dos adversários. Geraldo Alckmin (PSDB) e Alvaro Dias (Pode) foram os mais incisivos nos ataques ao petista.

Realizado CNBB (Conferência Nacional dos Bispos) e transmitido pela TV Aparecida na noite da quinta-feira (20), o debate contou com a participação de Ciro Gomes (PDT), Henrique Meirelles (MDB), Marina Silva (Rede) e Guilherme Boulos (Psol).

“Não precisaria a PEC do teto se não fosse o vale-tudo do PT”, disse Alckmin. “São 13 milhões de desempregados, quebraram o Brasil. O Petrolão foi o maior escândalo do mundo”, disparou o tucano.

Haddad retrucou às críticas dizendo que “Temer era vice da Dilma, mas foi o PSDB que colocou o Temer lá, com um programa de governo que não foi eleito”. O candidato do PT também voltou a fazer referência à briga interna no PSDB.

Tasso Jereissati assumiu que o PSDB sabotou o governo desde a reeleição”, lembrou. Alckmin tinha resposta pronta para a crítica repetida. “Todos os partidos estão fragilizados e todos deveriam fazer autocrítica. Mas o PT, ao invés de fazer autocrítica, lança candidato na porta da penitenciária”, disse.

Álvaro Dias também fez críticas ao petista. “Você é porta voz da tragédia, representante do caos, arauto da intolerância. O PT se especializou a distribuir a pobreza para todos e a riqueza para alguns, seus chefes”, disse.

O petista respondeu citando medidas de assistência social de iniciativas do PT. “O programa Minha Casa Minha Vida entregou quase 3 milhões de moradias. Eu criei o Prouni (quando ministro da Educação) e 214 cidades receberam escolas técnicas federais. Tudo isso fortalece a família”, defendeu-se.

Haddad também acusou Dias de desconhecer a realidade, ressaltanto o reconhecimento internacional do Bolsa Família e investimento em programa de agricultura familiar.”Você fica no seu gabinete do Senado e desconhece a realidade”, afirmou o petista.

Ciro Gomes perguntou a Haddad sobre propostas para reforma tributária, o ex-prefeito de São Paulo prometeu cobrar imposto sobre lucros e dividendos, sobre grandes patrimônios e heranças. Haddad também disse ser favorável a unificar impostos, ideia defendida por Ciro, Meirelles, Alckmin e Marina.

“Vamos criar o IVA (Imposto sobre Valor Agregado), que agrega impostos sobre consumo, e vamos garantir a estados e municípios que a receita não vai cair durante a transição”, afirmou.

Foi quando Haddad explicava a reforma tributária que tinha em mente, que Ciro disparou: “Por qual razão a sociedade machucada como está deveria acreditar nessas boas ideias, que defendi em um livro de 1996? Seu partido esteve no poder por 14 anos e nunca fez isso”.

Em resposta, o candidato do PT citou medidas feitas durante a gestão de seu partido no Governo Federal.

O presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) está hospitalizado depois de ter levado uma facada no dia 6 de setembro e está ausente da campanha política desde essa data. Cabo Daciolo (Patri) também foi convidado, mas não pôde ir por incompatibilidade de agenda.

Confira o debate na íntegra: