Participantes do Sana fazem boicote ao evento após organizador apoiar Bolsonaro

DEU CRISE

Participantes do Sana fazem boicote ao evento após organizador apoiar Bolsonaro

Mais de 1.500 pessoas já confirmaram participação no boicote ao Sana nas redes sociais

Por Tribuna Bandnews FM em Eleições 2018

31 de outubro de 2018 às 14:04

Há 7 meses
sana, boicote

Sana deve sofrer boicote de frequentadores. (FOTO: Reprodução/WhatsApp)

O Sana Fest, que é realizado há 18 anos e considerado um dos maiores festivais de cultura oriental no Norte e Nordeste, está ameaçado de boicote organizado por parte dos participantes do festival. A manifestação ocorreu após um dos diretores do evento, Igor Lucena, utilizar sua rede social para comemorar a vitória do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL).

No Facebook o evento já conta com mais de 1.500 apoiadores que fazem parte de grupos cover de K-Pop (estilo de música coreana), além de cosplayers. Um dos organizadores da manifestação, Ciro Pirex, explica que os participantes do festival já passaram por alguns momentos de constrangimento e que as publicações das redes sociais foram o estopim para a realização do boicote.

“O pessoal começou a falar em boicote, mas já haviam falado disso em Sanas passados por desrespeito a cosplays, k-pops, mas uma coisa que nunca foi pra frente com essa força. A questão é que agora as pessoas estão muito abaladas com o cenário político, então foi o estopim. A gente da comunidade nerd em geral, a gente não esquece nossa origem, que é quem sofreu bullying no colégio… Então a gente vê um dos organizadores do evento apoiando um homem que fere tudo isso, os Direitos Humanos e a Diversidade, não tem como a gente apoiar”, disse Ciro Pirex.

De acordo com a descrição, o objetivo é unir os admiradores da cultura oriental em uma praça da cidade exatamente nos dias em que acontece o Sana Fest. Igor Lucena, diretor do evento que comemorou a vitória de Bolsonaro nas redes sociais, considera que o ato é uma polêmica desnecessária e destaca que o posicionamento dele é particular e não representa o festival.

“Em nenhum momento o evento Sana se manifestou por um candidato ou outro. Essa questão é uma coisa de um ponto de vista meramente pessoal e político. O que me chamou atenção é que eu, pessoa física, utilizando do meu direito constitucional de levantar a bandeira pro ganho de um candidato, como foi o caso, comecei a ser criticado, o próprio evento começou a ser criticado. É uma polêmica que eu acho até desnecessária”, disse Igor Lucena.

Por meio de nota a Fundação Cultural Nipônica Brasileira, realizadora do Sana, informou que é apartidária. Porém, é formada por cidadãos e eles possuem o direito de escolher o espectro político e o candidato que se identificam.

Além disso, a fundação disse que, apesar das inscrições para o festival ainda não estarem abertas, a procura por parte dos grupos covers continua inabalável. Finalizou dizendo que o Sana respeita a diversidade, a pluralidade de ideias e não comunga com extremismos que cerceiam a liberdade de expressão de nenhum indivíduo.

Confira a entrevista dada a Tribuna Band News FM.

Publicidade

Dê sua opinião

DEU CRISE

Participantes do Sana fazem boicote ao evento após organizador apoiar Bolsonaro

Mais de 1.500 pessoas já confirmaram participação no boicote ao Sana nas redes sociais

Por Tribuna Bandnews FM em Eleições 2018

31 de outubro de 2018 às 14:04

Há 7 meses
sana, boicote

Sana deve sofrer boicote de frequentadores. (FOTO: Reprodução/WhatsApp)

O Sana Fest, que é realizado há 18 anos e considerado um dos maiores festivais de cultura oriental no Norte e Nordeste, está ameaçado de boicote organizado por parte dos participantes do festival. A manifestação ocorreu após um dos diretores do evento, Igor Lucena, utilizar sua rede social para comemorar a vitória do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL).

No Facebook o evento já conta com mais de 1.500 apoiadores que fazem parte de grupos cover de K-Pop (estilo de música coreana), além de cosplayers. Um dos organizadores da manifestação, Ciro Pirex, explica que os participantes do festival já passaram por alguns momentos de constrangimento e que as publicações das redes sociais foram o estopim para a realização do boicote.

“O pessoal começou a falar em boicote, mas já haviam falado disso em Sanas passados por desrespeito a cosplays, k-pops, mas uma coisa que nunca foi pra frente com essa força. A questão é que agora as pessoas estão muito abaladas com o cenário político, então foi o estopim. A gente da comunidade nerd em geral, a gente não esquece nossa origem, que é quem sofreu bullying no colégio… Então a gente vê um dos organizadores do evento apoiando um homem que fere tudo isso, os Direitos Humanos e a Diversidade, não tem como a gente apoiar”, disse Ciro Pirex.

De acordo com a descrição, o objetivo é unir os admiradores da cultura oriental em uma praça da cidade exatamente nos dias em que acontece o Sana Fest. Igor Lucena, diretor do evento que comemorou a vitória de Bolsonaro nas redes sociais, considera que o ato é uma polêmica desnecessária e destaca que o posicionamento dele é particular e não representa o festival.

“Em nenhum momento o evento Sana se manifestou por um candidato ou outro. Essa questão é uma coisa de um ponto de vista meramente pessoal e político. O que me chamou atenção é que eu, pessoa física, utilizando do meu direito constitucional de levantar a bandeira pro ganho de um candidato, como foi o caso, comecei a ser criticado, o próprio evento começou a ser criticado. É uma polêmica que eu acho até desnecessária”, disse Igor Lucena.

Por meio de nota a Fundação Cultural Nipônica Brasileira, realizadora do Sana, informou que é apartidária. Porém, é formada por cidadãos e eles possuem o direito de escolher o espectro político e o candidato que se identificam.

Além disso, a fundação disse que, apesar das inscrições para o festival ainda não estarem abertas, a procura por parte dos grupos covers continua inabalável. Finalizou dizendo que o Sana respeita a diversidade, a pluralidade de ideias e não comunga com extremismos que cerceiam a liberdade de expressão de nenhum indivíduo.

Confira a entrevista dada a Tribuna Band News FM.