Horário eleitoral começa nesta sexta; Confira a ordem e os tempos de cada candidato

FIQUE DE OLHO

Horário eleitoral começa nesta sexta; Confira a ordem e os tempos de cada candidato

O horário eleitoral exibirá a propaganda de candidatos a governo, senado e deputado estadual às segundas, quartas e sextas; e de candidatos a deputado federal e presidente, às terças, quintas e sábados

Por Tribuna do Ceará em Eleições 2018

31 de agosto de 2018 às 06:45

Há 9 meses
Horário eleitoral será veiculado até 4 de outubro. (Foto: Pexels)

Horário eleitoral será veiculado até 4 de outubro. (Foto: Pexels)

Começa nesta sexta-feira (31) o horário eleitoral gratuito reservado a partidos políticos e coligações nas Eleições 2018. Os candidatos terão 36 dias até a data da eleição para apresentar suas propostas ao eleitorado no rádio e na TV. Saiba os horários, tempo de duração e sequência dos candidatos.

A propaganda eleitoral vai ao ar no rádio das 7h às 7h25 e das 12h às 12h25, e na TV, das 13h às 13h25 e das 20h30 às 20h55.

No primeiro dia, serão exibidos os programas dos candidatos aos cargos de senador, governador e deputado estadual (segundas, quartas e sextas-feiras). No dia seguinte, sábado (1º/9) serão exibidos os primeiros programas aos cargos de deputado federal e presidente da república (terças, quintas e sábados).

Além dos programas em bloco, as emissoras também reservarão espaço para inserções, distribuídas ao longo da programação. As inserções são pequenos programas de 30 ou 60 segundos, veiculados de segunda-feira a domingo.

Sequência de inserção

A ordem da exibição no primeiro dia foi definida através de sorteio. A partir do segundo dia, a ordem dos programas vai sendo alterada, avançando uma escala, conforme distribuição feita pelo sistema informatizado do TSE.

Na sexta-feira (31), os candidatos ao Governo do Ceará aparecerão na seguinte ordem:

1° – Francisco Gonzaga (PSTU): 9 segundos
2° – Mikaelton Carantino (PCO): 9 segundos
3° – Hélio Góis (PSL): 10 segundos
4° – Ailton Lopes (PSol): 17 segundos
5° – Camilo Santana (PT): 6 minutos e 18 segundos
6° – General Theóphilo (PSDB): 1 minuto e 55 segundos

Sequência dos candidatos ao Senado:

1° – Dr. Márcio Pinheiro (PSL): 5 segundos
2° – Pastor Simões (Psol) e Anna Karina (Psol): 8 segundos
3° – Cid Gomes (PDT): 3 minutos e 10 segundos
4° – Mayra Pinheiro (PSDB) e Eduardo Girão (Pros): 58 segundos
5° – João Saraiva (Rede): 6 segundos
6° – Eunício Oliveira (MDB): 2 minutos e 14 segundos
7° – Alexandre Barroso (PCO): 4 segundos
8° – Magela (PSTU): 4 segundos
9° – Robert Burns (PTC): 6 segundos

Sábado – Candidatos a presidente:

1° – Marina Silva (Rede): 21 segundos
2° – Cabo Daciolo (Patriota): 8 segundos
3° – Eymael (Democracia Cristã): 8 segundos
4° – Henrique Meirelles (MDB): 1 minuto e 55 segundos
5° – Ciro Gomes (PDT): 38 segundos
6° – Guilherme Boulos (PSOL): 13 segundos
7° – Geraldo Alckmin (PSDB): 5 minutos e 32 segundos
8° – Vera Lúcia (PSTU): 5 segundos
9° – Lula (PT): 2 minutos e 23 segundos
10° – João Amoêdo (Novo): 5 segundos
11° – Álvaro Dias (Pode): 40 segundos
12° – Jair Bolsonaro (PSL): 8 segundos
13° – João Goulart Filho (PPL): 5 segundos

Proibições

A legislação determina que a propaganda eleitoral na TV deverá utilizar, entre outros recursos, subtitulação por meio de legenda oculta, janela com intérprete de linguagem de Libras (Língua Brasileira de Sinais) e audiodescrição, sob responsabilidade dos partidos e das coligações.

A lei proíbe a veiculação de propaganda que possa degradar ou ridicularizar candidatos, sujeitando-se o partido ou a coligação que cometeu infração à perda do direito à veiculação de propaganda no horário eleitoral gratuito do dia seguinte ao da decisão.

Além disso, a reiteração de uma conduta que já tenha sido punida pela Justiça Eleitoral poderá resultar na suspensão temporária da participação do partido ou da coligação no programa eleitoral gratuito. Também é vedada a propaganda paga no rádio e na televisão, respondendo o candidato, o partido e a coligação pelo seu conteúdo.

Proíbe também a transmissão, ainda que sob a forma de entrevista jornalística, de imagens de realização de pesquisa ou qualquer outro tipo de consulta popular de natureza eleitoral em que seja possível identificar o entrevistado. Ou, ainda, em que haja manipulação de dados, assim como uso de trucagem, montagem ou outro recurso de áudio ou de vídeo que, de qualquer forma, degradem ou ridicularizem candidato, partido ou coligação. Veda também a produção ou veiculação de programa com esse efeito.

Publicidade

Dê sua opinião

FIQUE DE OLHO

Horário eleitoral começa nesta sexta; Confira a ordem e os tempos de cada candidato

O horário eleitoral exibirá a propaganda de candidatos a governo, senado e deputado estadual às segundas, quartas e sextas; e de candidatos a deputado federal e presidente, às terças, quintas e sábados

Por Tribuna do Ceará em Eleições 2018

31 de agosto de 2018 às 06:45

Há 9 meses
Horário eleitoral será veiculado até 4 de outubro. (Foto: Pexels)

Horário eleitoral será veiculado até 4 de outubro. (Foto: Pexels)

Começa nesta sexta-feira (31) o horário eleitoral gratuito reservado a partidos políticos e coligações nas Eleições 2018. Os candidatos terão 36 dias até a data da eleição para apresentar suas propostas ao eleitorado no rádio e na TV. Saiba os horários, tempo de duração e sequência dos candidatos.

A propaganda eleitoral vai ao ar no rádio das 7h às 7h25 e das 12h às 12h25, e na TV, das 13h às 13h25 e das 20h30 às 20h55.

No primeiro dia, serão exibidos os programas dos candidatos aos cargos de senador, governador e deputado estadual (segundas, quartas e sextas-feiras). No dia seguinte, sábado (1º/9) serão exibidos os primeiros programas aos cargos de deputado federal e presidente da república (terças, quintas e sábados).

Além dos programas em bloco, as emissoras também reservarão espaço para inserções, distribuídas ao longo da programação. As inserções são pequenos programas de 30 ou 60 segundos, veiculados de segunda-feira a domingo.

Sequência de inserção

A ordem da exibição no primeiro dia foi definida através de sorteio. A partir do segundo dia, a ordem dos programas vai sendo alterada, avançando uma escala, conforme distribuição feita pelo sistema informatizado do TSE.

Na sexta-feira (31), os candidatos ao Governo do Ceará aparecerão na seguinte ordem:

1° – Francisco Gonzaga (PSTU): 9 segundos
2° – Mikaelton Carantino (PCO): 9 segundos
3° – Hélio Góis (PSL): 10 segundos
4° – Ailton Lopes (PSol): 17 segundos
5° – Camilo Santana (PT): 6 minutos e 18 segundos
6° – General Theóphilo (PSDB): 1 minuto e 55 segundos

Sequência dos candidatos ao Senado:

1° – Dr. Márcio Pinheiro (PSL): 5 segundos
2° – Pastor Simões (Psol) e Anna Karina (Psol): 8 segundos
3° – Cid Gomes (PDT): 3 minutos e 10 segundos
4° – Mayra Pinheiro (PSDB) e Eduardo Girão (Pros): 58 segundos
5° – João Saraiva (Rede): 6 segundos
6° – Eunício Oliveira (MDB): 2 minutos e 14 segundos
7° – Alexandre Barroso (PCO): 4 segundos
8° – Magela (PSTU): 4 segundos
9° – Robert Burns (PTC): 6 segundos

Sábado – Candidatos a presidente:

1° – Marina Silva (Rede): 21 segundos
2° – Cabo Daciolo (Patriota): 8 segundos
3° – Eymael (Democracia Cristã): 8 segundos
4° – Henrique Meirelles (MDB): 1 minuto e 55 segundos
5° – Ciro Gomes (PDT): 38 segundos
6° – Guilherme Boulos (PSOL): 13 segundos
7° – Geraldo Alckmin (PSDB): 5 minutos e 32 segundos
8° – Vera Lúcia (PSTU): 5 segundos
9° – Lula (PT): 2 minutos e 23 segundos
10° – João Amoêdo (Novo): 5 segundos
11° – Álvaro Dias (Pode): 40 segundos
12° – Jair Bolsonaro (PSL): 8 segundos
13° – João Goulart Filho (PPL): 5 segundos

Proibições

A legislação determina que a propaganda eleitoral na TV deverá utilizar, entre outros recursos, subtitulação por meio de legenda oculta, janela com intérprete de linguagem de Libras (Língua Brasileira de Sinais) e audiodescrição, sob responsabilidade dos partidos e das coligações.

A lei proíbe a veiculação de propaganda que possa degradar ou ridicularizar candidatos, sujeitando-se o partido ou a coligação que cometeu infração à perda do direito à veiculação de propaganda no horário eleitoral gratuito do dia seguinte ao da decisão.

Além disso, a reiteração de uma conduta que já tenha sido punida pela Justiça Eleitoral poderá resultar na suspensão temporária da participação do partido ou da coligação no programa eleitoral gratuito. Também é vedada a propaganda paga no rádio e na televisão, respondendo o candidato, o partido e a coligação pelo seu conteúdo.

Proíbe também a transmissão, ainda que sob a forma de entrevista jornalística, de imagens de realização de pesquisa ou qualquer outro tipo de consulta popular de natureza eleitoral em que seja possível identificar o entrevistado. Ou, ainda, em que haja manipulação de dados, assim como uso de trucagem, montagem ou outro recurso de áudio ou de vídeo que, de qualquer forma, degradem ou ridicularizem candidato, partido ou coligação. Veda também a produção ou veiculação de programa com esse efeito.