Tablets, notebooks e celulares representam 5% dos pedidos das crianças ao Papai Noel dos Correios


Tablets, notebooks e celulares representam 5% dos pedidos das crianças ao Papai Noel dos Correios

Os brinquedos tradicionais, como bola e boneca, continuam sendo os queridinhos na campanha anual. Porém, eletrônicos já ganham força no imaginário infantil

Por Roberta Tavares em Educação

4 de dezembro de 2014 às 07:20

Há 5 anos
Crianças pedem desde bola a helicóptero com controle remoto (FOTO: Tribuna do Ceará/Roberta Tavares)

Crianças pedem desde bola a helicóptero com controle remoto (FOTO: Tribuna do Ceará/Roberta Tavares)

Gabriel sonha em ter um tablet, e Deisiane, um notebook. Artur gostaria de um celular. “Eu usaria para ser feliz”, diz um dos trechos das centenas de cartas endereçadas ao Papai Noel. Eles estão inclusos no grupo das crianças que sonham em ganhar aparelhos eletrônicos na campanha de Natal dos Correios, totalizando 5% dos pedidos.

Tribuna do Ceará foi a uma agência dos Correios, na Rua Maria Tomásia, no Bairro Aldeota, em Fortaleza, e identificou pedidos para todos os gostos (e bolsos): tem bola, boneca, carrinho, patinete, computador, celular, tablet e até helicóptero de controle de remoto. Todos disponíveis para serem apadrinhados. No local, foram recebidas mais de 500 cartas. Quase todas já foram adotadas, faltando apenas 80 crianças a serem beneficiadas. “Muita gente está ajudando. Algumas pessoas preferem dar presentes mais fáceis de encontrar e comprar”, explica Camila Faustino, funcionária da agência.

Até o momento, foram cadastradas 6.954 cartas no Ceará. Do total, 97% foram escritas por alunos de escolas públicas e crianças atendidas por entidades beneficentes. Os 3% restantes foram entregues individualmente por crianças que se dirigiram às agências.

No estado, cerca de 350 crianças pediram eletrônicos: tablet (4,3%), notebook (0,2%) e celular (0,7%). As que esperam por helicópteros de controle remoto somam 1,3% do total. Já as que sonham em ganhar bicicletas representam 7,8%, e as que precisam de materiais escolares, calçados ou roupas chegam a 11,5%. “Como tem presentes mais caros, no final damos uma segunda opção para que nenhuma criança fique sem receber”, lembra Camila. Há também os padrinhos que optam por comprar um presente diferente do que está discriminado na cartinha, de modo que a criança seja contemplada.

Mesmo com o crescimento do acesso ao mundo cibernético, os brinquedos tradicionais continuam sendo os queridinhos dos pequenos, como bolas, bonecas e carrinhos, que totalizam 43% dos pedidos. “Os carrinhos são os mais adotados pelos padrinhos, os tablets são novidades e estão saindo menos”, acrescenta a funcionária.

Papai Noel dos Correios
1/10

Papai Noel dos Correios

Na agência da Rua Maria Tomásia, já foram adotadas mais de 400 cartinhas (FOTO: Roberta Tavares/Tribuna do Ceará)

Papai Noel dos Correios
2/10

Papai Noel dos Correios

Na agência da Rua Maria Tomásia, já foram adotadas mais de 400 cartinhas (FOTO: Roberta Tavares/Tribuna do Ceará)

Papai Noel dos Correios
3/10

Papai Noel dos Correios

Na agência da Rua Maria Tomásia, já foram adotadas mais de 400 cartinhas (FOTO: Roberta Tavares/Tribuna do Ceará)

Papai Noel dos Correios
4/10

Papai Noel dos Correios

Na agência da Rua Maria Tomásia, já foram adotadas mais de 400 cartinhas (FOTO: Roberta Tavares/Tribuna do Ceará)

Papai Noel dos Correios
5/10

Papai Noel dos Correios

Na agência da Rua Maria Tomásia, já foram adotadas mais de 400 cartinhas (FOTO: Roberta Tavares/Tribuna do Ceará)

Papai Noel dos Correios
6/10

Papai Noel dos Correios

Na agência da Rua Maria Tomásia, já foram adotadas mais de 400 cartinhas (FOTO: Roberta Tavares/Tribuna do Ceará)

Papai Noel dos Correios
7/10

Papai Noel dos Correios

Na agência da Rua Maria Tomásia, já foram adotadas mais de 400 cartinhas (FOTO: Roberta Tavares/Tribuna do Ceará)

Papai Noel dos Correios
8/10

Papai Noel dos Correios

Na agência da Rua Maria Tomásia, já foram adotadas mais de 400 cartinhas (FOTO: Roberta Tavares/Tribuna do Ceará)

Papai Noel dos Correios
9/10

Papai Noel dos Correios

Na agência da Rua Maria Tomásia, já foram adotadas mais de 400 cartinhas (FOTO: Roberta Tavares/Tribuna do Ceará)

Papai Noel dos Correios
10/10

Papai Noel dos Correios

Na agência da Rua Maria Tomásia, já foram adotadas mais de 400 cartinhas (FOTO: Roberta Tavares/Tribuna do Ceará)

Infância virtual

De acordo com a psicóloga Lívia Menezes, as novas tecnologias já são realidade e não devem ser ignoradas, por isso não há tanta preocupação quando os pequenos optam por aparelhos eletrônicos nas cartinhas ao Bom Velhinho. “Hoje em dia, existe uma infância virtual. Os brinquedos ditos tradicionais, como patins e pião, não trazem mais tanta atração às crianças como um jogo no computador, nos videogames ou tablets”, explica.

Segundo aponta, baseada no livro “Infância Virtual”, de Esteban Levin, o contato com a tecnologia desde a infância merece atenção, para que as brincadeiras nos mundos virtual e real sejam balanceadas e não haja sem perdas. “Não é um prejuízo da infância, é uma nova forma de brincar. A preocupação só ocorre quando a criança brinca apenas nesse mundo virtual, porque é uma brincadeira sozinha, não é compartilhada”.

Papai Noel dos Correios

Neste ano, a ação do Papai Noel dos Correios atende a crianças de Fortaleza e de Juazeiro do Norte. Os interessados em realizar os sonhos de Natal dessas crianças podem se dirigir a uma das seis unidades de atendimento dos Correios em Fortaleza onde as cartas estão disponíveis (agências Central, Iguatemi, Aldeota, Alencarina, Barão de Studart e Parangaba) ou ir à Agência Juazeiro do Norte, no Cariri. O período de retirada das cartas e a entrega dos respectivos presentes pelos padrinhos nas agências segue até 6 de dezembro.

A campanha tem como principal objetivo responder às cartas das crianças que escrevem ao Papai Noel e, sempre que possível, atender aos pedidos de presentes daquelas que se encontram em situação de vulnerabilidade social.

Como funciona

A sistemática da campanha é a mesma em todo o Brasil: as cartas enviadas pelas crianças são lidas, cadastradas e disponibilizadas para adoção. Os Correios não entregam cartas para adoção diretamente à população, em suas residências. As cartas do Papai Noel dos Correios ficam disponíveis apenas nos locais indicados.

Os presentes relativos às cartas adotadas devem ser entregues pelos padrinhos nos mesmos locais onde eles retiraram a cartinha para que posteriormente a entrega seja feita pela estatal. Não é permitida a entrega direta do presente e, para assegurar a observância desse critério, o endereço da criança não é informado aos padrinhos.

Nos últimos três anos, em todo o País, foram recebidas 3,1 milhões de cartas destinadas ao Papai Noel dos Correios. Desse total, 1,4 milhão de cartas foram adotadas. No Ceará, em 2013, foram cadastradas 7.426 cartas e entregue 5.227 presentes.

Publicidade

Dê sua opinião

Tablets, notebooks e celulares representam 5% dos pedidos das crianças ao Papai Noel dos Correios

Os brinquedos tradicionais, como bola e boneca, continuam sendo os queridinhos na campanha anual. Porém, eletrônicos já ganham força no imaginário infantil

Por Roberta Tavares em Educação

4 de dezembro de 2014 às 07:20

Há 5 anos
Crianças pedem desde bola a helicóptero com controle remoto (FOTO: Tribuna do Ceará/Roberta Tavares)

Crianças pedem desde bola a helicóptero com controle remoto (FOTO: Tribuna do Ceará/Roberta Tavares)

Gabriel sonha em ter um tablet, e Deisiane, um notebook. Artur gostaria de um celular. “Eu usaria para ser feliz”, diz um dos trechos das centenas de cartas endereçadas ao Papai Noel. Eles estão inclusos no grupo das crianças que sonham em ganhar aparelhos eletrônicos na campanha de Natal dos Correios, totalizando 5% dos pedidos.

Tribuna do Ceará foi a uma agência dos Correios, na Rua Maria Tomásia, no Bairro Aldeota, em Fortaleza, e identificou pedidos para todos os gostos (e bolsos): tem bola, boneca, carrinho, patinete, computador, celular, tablet e até helicóptero de controle de remoto. Todos disponíveis para serem apadrinhados. No local, foram recebidas mais de 500 cartas. Quase todas já foram adotadas, faltando apenas 80 crianças a serem beneficiadas. “Muita gente está ajudando. Algumas pessoas preferem dar presentes mais fáceis de encontrar e comprar”, explica Camila Faustino, funcionária da agência.

Até o momento, foram cadastradas 6.954 cartas no Ceará. Do total, 97% foram escritas por alunos de escolas públicas e crianças atendidas por entidades beneficentes. Os 3% restantes foram entregues individualmente por crianças que se dirigiram às agências.

No estado, cerca de 350 crianças pediram eletrônicos: tablet (4,3%), notebook (0,2%) e celular (0,7%). As que esperam por helicópteros de controle remoto somam 1,3% do total. Já as que sonham em ganhar bicicletas representam 7,8%, e as que precisam de materiais escolares, calçados ou roupas chegam a 11,5%. “Como tem presentes mais caros, no final damos uma segunda opção para que nenhuma criança fique sem receber”, lembra Camila. Há também os padrinhos que optam por comprar um presente diferente do que está discriminado na cartinha, de modo que a criança seja contemplada.

Mesmo com o crescimento do acesso ao mundo cibernético, os brinquedos tradicionais continuam sendo os queridinhos dos pequenos, como bolas, bonecas e carrinhos, que totalizam 43% dos pedidos. “Os carrinhos são os mais adotados pelos padrinhos, os tablets são novidades e estão saindo menos”, acrescenta a funcionária.

Papai Noel dos Correios
1/10

Papai Noel dos Correios

Na agência da Rua Maria Tomásia, já foram adotadas mais de 400 cartinhas (FOTO: Roberta Tavares/Tribuna do Ceará)

Papai Noel dos Correios
2/10

Papai Noel dos Correios

Na agência da Rua Maria Tomásia, já foram adotadas mais de 400 cartinhas (FOTO: Roberta Tavares/Tribuna do Ceará)

Papai Noel dos Correios
3/10

Papai Noel dos Correios

Na agência da Rua Maria Tomásia, já foram adotadas mais de 400 cartinhas (FOTO: Roberta Tavares/Tribuna do Ceará)

Papai Noel dos Correios
4/10

Papai Noel dos Correios

Na agência da Rua Maria Tomásia, já foram adotadas mais de 400 cartinhas (FOTO: Roberta Tavares/Tribuna do Ceará)

Papai Noel dos Correios
5/10

Papai Noel dos Correios

Na agência da Rua Maria Tomásia, já foram adotadas mais de 400 cartinhas (FOTO: Roberta Tavares/Tribuna do Ceará)

Papai Noel dos Correios
6/10

Papai Noel dos Correios

Na agência da Rua Maria Tomásia, já foram adotadas mais de 400 cartinhas (FOTO: Roberta Tavares/Tribuna do Ceará)

Papai Noel dos Correios
7/10

Papai Noel dos Correios

Na agência da Rua Maria Tomásia, já foram adotadas mais de 400 cartinhas (FOTO: Roberta Tavares/Tribuna do Ceará)

Papai Noel dos Correios
8/10

Papai Noel dos Correios

Na agência da Rua Maria Tomásia, já foram adotadas mais de 400 cartinhas (FOTO: Roberta Tavares/Tribuna do Ceará)

Papai Noel dos Correios
9/10

Papai Noel dos Correios

Na agência da Rua Maria Tomásia, já foram adotadas mais de 400 cartinhas (FOTO: Roberta Tavares/Tribuna do Ceará)

Papai Noel dos Correios
10/10

Papai Noel dos Correios

Na agência da Rua Maria Tomásia, já foram adotadas mais de 400 cartinhas (FOTO: Roberta Tavares/Tribuna do Ceará)

Infância virtual

De acordo com a psicóloga Lívia Menezes, as novas tecnologias já são realidade e não devem ser ignoradas, por isso não há tanta preocupação quando os pequenos optam por aparelhos eletrônicos nas cartinhas ao Bom Velhinho. “Hoje em dia, existe uma infância virtual. Os brinquedos ditos tradicionais, como patins e pião, não trazem mais tanta atração às crianças como um jogo no computador, nos videogames ou tablets”, explica.

Segundo aponta, baseada no livro “Infância Virtual”, de Esteban Levin, o contato com a tecnologia desde a infância merece atenção, para que as brincadeiras nos mundos virtual e real sejam balanceadas e não haja sem perdas. “Não é um prejuízo da infância, é uma nova forma de brincar. A preocupação só ocorre quando a criança brinca apenas nesse mundo virtual, porque é uma brincadeira sozinha, não é compartilhada”.

Papai Noel dos Correios

Neste ano, a ação do Papai Noel dos Correios atende a crianças de Fortaleza e de Juazeiro do Norte. Os interessados em realizar os sonhos de Natal dessas crianças podem se dirigir a uma das seis unidades de atendimento dos Correios em Fortaleza onde as cartas estão disponíveis (agências Central, Iguatemi, Aldeota, Alencarina, Barão de Studart e Parangaba) ou ir à Agência Juazeiro do Norte, no Cariri. O período de retirada das cartas e a entrega dos respectivos presentes pelos padrinhos nas agências segue até 6 de dezembro.

A campanha tem como principal objetivo responder às cartas das crianças que escrevem ao Papai Noel e, sempre que possível, atender aos pedidos de presentes daquelas que se encontram em situação de vulnerabilidade social.

Como funciona

A sistemática da campanha é a mesma em todo o Brasil: as cartas enviadas pelas crianças são lidas, cadastradas e disponibilizadas para adoção. Os Correios não entregam cartas para adoção diretamente à população, em suas residências. As cartas do Papai Noel dos Correios ficam disponíveis apenas nos locais indicados.

Os presentes relativos às cartas adotadas devem ser entregues pelos padrinhos nos mesmos locais onde eles retiraram a cartinha para que posteriormente a entrega seja feita pela estatal. Não é permitida a entrega direta do presente e, para assegurar a observância desse critério, o endereço da criança não é informado aos padrinhos.

Nos últimos três anos, em todo o País, foram recebidas 3,1 milhões de cartas destinadas ao Papai Noel dos Correios. Desse total, 1,4 milhão de cartas foram adotadas. No Ceará, em 2013, foram cadastradas 7.426 cartas e entregue 5.227 presentes.