Pesquisa de estudante cearense vira tema de redação no vestibular da PUC de Porto Alegre


Pesquisa de estudante cearense vira tema de redação no vestibular da PUC de Porto Alegre

Com 19 anos, Helyson Bezerra Braz é autor de projeto antiviral que foi tema da redação da Pontifícia Universidade Católica

Por Mayana Fontenele em Educação

8 de dezembro de 2015 às 06:00

Há 4 anos
A história do cearense foi destaque no tema de redação da Universidade Pontífica do Rio Grande do Sul (Foto: Divulgação)

A história do cearense foi destaque no tema de redação da PUC do Rio Grande do Sul (Foto: Divulgação)

Participação em sete feiras nacionais e internacionais, 3º lugar na maior feira de ciências estudantil de nível médio do mundo, medalhas, certificações e um trabalho científico que pode salvar vidas: o currículo de um jovem cearense de Limoeiro do Norte, Helyson Bezerra Braz, é de impressionar. Com 19 anos, ele acumula títulos e inspira centenas de estudantes por todo Brasil. E, agora, sua história serve de  inspiração para tema de redação de vestibular do sul do país.

Em junho deste ano, o Tribuna do Ceará fez uma matéria sobre o estudante do curso técnico em Meio Ambiente do Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia (IFCE). Helyson é autor de um projeto antiviral que tem o objetivo de minimizar os efeitos da gripe de forma natural, rápida e econômica.

Com o trabalho, ele também foi o primeiro brasileiro a ser classificado para se apresentar na Genius Olympiad. E agora ganhou destaque em um dos dos melhores vestibulares do Brasil. A Pontifícia Universidade Católica (PUC) do Rio Grande do Sul escolheu como tema de redação a história do cearense, destacando “o papel da escola no surgimento de novos cientistas”.

“Uma amiga, a Gabriela, foi fazer o vestibular na PUC do Rio Grande do Sul. Quando ela viu o tema da prova, e leu meu nome, ela conta que ficou muito surpresa. E logo depois foi me contar”. Helyson relata que soube da novidade através de uma foto que a amiga o enviou. “Eu primeiro achei que fosse alguma pegadinha, fiquei muito surpreso e muito feliz. Isso mostra que o que eu fiz serve de inspiração para outras pessoas”, conta o estudante ainda extasiado.

Estudante de Limoeiro do Norte tem apenas 19 anos e já acumula medalhas em feiras de ciências (Foto: Reprodução / Facebook)

Estudante de Limoeiro do Norte tem apenas 19 anos e já acumula medalhas em feiras de ciências (Foto: Reprodução / Facebook)

Seis meses após a primeira matéria feita com o jovem cientista, novas conquistas foram adicionadas ao currículo de Helyson. Na época, o jovem havia sido classificado como aluno para expor seu trabalho na feira. Agora, ele reforça sua ida aos Estados Unidos em junho de 2016, garantindo a participação na feira também como co-orientador de um trabalho que tem o objetivo de solucionar os problemas de derramamento de petróleo no mar.

A agenda e o currículo do estudante continuam sendo preenchidos. Em 2016, ele também irá expor seu trabalho no Fórum de Pesquisa no Chile. Em seis meses, sua coleção de medalhas também aumentou: ele foi medalha de ouro em Ciências Exatas, na Feira Nordestina de Ciência e Tecnologia, o que permitiu o segundo passe à feira, agora com como co-orientador, além de garantir o quarto lugar em gerenciamento ambiental na Mostra Internacional de Ciência e Tecnologia, realizada em Novo Hamburgo.

Planos para o futuro

Sobre os planos para futuro, em curto prazo ele pretende se dedicar ainda mais em sua pesquisa antiviral. “Agora quero desenvolvê-la na fase computacional e repassá-la para os meus co-orientandos, Gabriel de Moura Martins e Myllena Cristina”.

Em longo prazo, o jovem de apenas 19 anos pensa em seguir a carreira acadêmica. “Quero concluir mestrado e doutorado, pretendo orientar novos pesquisadores, estimular os jovens a cada vez mais se engajarem em projetos, feiras de ciências e a ajudar muitas pessoas”. O jovem, que se inspirou nos problemas da sua comunidade e foi em busca de solucioná-los, hoje serve de inspiração para milhares de estudantes, do norte ao sul do país.

Publicidade

Dê sua opinião

Pesquisa de estudante cearense vira tema de redação no vestibular da PUC de Porto Alegre

Com 19 anos, Helyson Bezerra Braz é autor de projeto antiviral que foi tema da redação da Pontifícia Universidade Católica

Por Mayana Fontenele em Educação

8 de dezembro de 2015 às 06:00

Há 4 anos
A história do cearense foi destaque no tema de redação da Universidade Pontífica do Rio Grande do Sul (Foto: Divulgação)

A história do cearense foi destaque no tema de redação da PUC do Rio Grande do Sul (Foto: Divulgação)

Participação em sete feiras nacionais e internacionais, 3º lugar na maior feira de ciências estudantil de nível médio do mundo, medalhas, certificações e um trabalho científico que pode salvar vidas: o currículo de um jovem cearense de Limoeiro do Norte, Helyson Bezerra Braz, é de impressionar. Com 19 anos, ele acumula títulos e inspira centenas de estudantes por todo Brasil. E, agora, sua história serve de  inspiração para tema de redação de vestibular do sul do país.

Em junho deste ano, o Tribuna do Ceará fez uma matéria sobre o estudante do curso técnico em Meio Ambiente do Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia (IFCE). Helyson é autor de um projeto antiviral que tem o objetivo de minimizar os efeitos da gripe de forma natural, rápida e econômica.

Com o trabalho, ele também foi o primeiro brasileiro a ser classificado para se apresentar na Genius Olympiad. E agora ganhou destaque em um dos dos melhores vestibulares do Brasil. A Pontifícia Universidade Católica (PUC) do Rio Grande do Sul escolheu como tema de redação a história do cearense, destacando “o papel da escola no surgimento de novos cientistas”.

“Uma amiga, a Gabriela, foi fazer o vestibular na PUC do Rio Grande do Sul. Quando ela viu o tema da prova, e leu meu nome, ela conta que ficou muito surpresa. E logo depois foi me contar”. Helyson relata que soube da novidade através de uma foto que a amiga o enviou. “Eu primeiro achei que fosse alguma pegadinha, fiquei muito surpreso e muito feliz. Isso mostra que o que eu fiz serve de inspiração para outras pessoas”, conta o estudante ainda extasiado.

Estudante de Limoeiro do Norte tem apenas 19 anos e já acumula medalhas em feiras de ciências (Foto: Reprodução / Facebook)

Estudante de Limoeiro do Norte tem apenas 19 anos e já acumula medalhas em feiras de ciências (Foto: Reprodução / Facebook)

Seis meses após a primeira matéria feita com o jovem cientista, novas conquistas foram adicionadas ao currículo de Helyson. Na época, o jovem havia sido classificado como aluno para expor seu trabalho na feira. Agora, ele reforça sua ida aos Estados Unidos em junho de 2016, garantindo a participação na feira também como co-orientador de um trabalho que tem o objetivo de solucionar os problemas de derramamento de petróleo no mar.

A agenda e o currículo do estudante continuam sendo preenchidos. Em 2016, ele também irá expor seu trabalho no Fórum de Pesquisa no Chile. Em seis meses, sua coleção de medalhas também aumentou: ele foi medalha de ouro em Ciências Exatas, na Feira Nordestina de Ciência e Tecnologia, o que permitiu o segundo passe à feira, agora com como co-orientador, além de garantir o quarto lugar em gerenciamento ambiental na Mostra Internacional de Ciência e Tecnologia, realizada em Novo Hamburgo.

Planos para o futuro

Sobre os planos para futuro, em curto prazo ele pretende se dedicar ainda mais em sua pesquisa antiviral. “Agora quero desenvolvê-la na fase computacional e repassá-la para os meus co-orientandos, Gabriel de Moura Martins e Myllena Cristina”.

Em longo prazo, o jovem de apenas 19 anos pensa em seguir a carreira acadêmica. “Quero concluir mestrado e doutorado, pretendo orientar novos pesquisadores, estimular os jovens a cada vez mais se engajarem em projetos, feiras de ciências e a ajudar muitas pessoas”. O jovem, que se inspirou nos problemas da sua comunidade e foi em busca de solucioná-los, hoje serve de inspiração para milhares de estudantes, do norte ao sul do país.