Pesquisa da pele de tilápia no tratamento de queimados será testada pela Nasa no espaço

O CÉU NÃO É LIMITE!

Pesquisa da pele de tilápia no tratamento de queimados será testada pela Nasa no espaço

A pesquisa iniciada na UFC, que já envolve sete estados brasileiros e sete países, será apresentada nesta quinta-feira (9) ao presidente Jair Bolsonaro

Por Tribuna do Ceará em Educação

9 de maio de 2019 às 11:17

Há 1 mês
A pele de tilápia é eficaz na cicatrização de queimaduras (FOTO: Reprodução/TV Jangadeiro)

A pele de tilápia é eficaz na cicatrização de queimaduras (FOTO: Reprodução/TV Jangadeiro)

A pesquisa realizada com a pele de tilápia realizada pela Universidade Federal do Ceará (UFC) ganhou o mundo, as séries de televisão, e agora vai para o espaço. Isso mesmo! O mais recente experimento a ser realizado com o material será o envio de amostras para estudar o comportamento dessas peles ao serem submetidas a altas pressões atmosféricas, radiações e microgravidade.

A ação faz parte do Projeto Cubos no Espaço, desenvolvido por astrônomos do Rio de Janeiro em parceira com a Nasa, a agência espacial norte-americana.

O Projeto Cubos no Espaço prevê lançamento de um foguete, em junho, com diversos experimentos acomodados em cubos 4x4x4cm. O objetivo de mais esse passo importante na pesquisa desenvolvida com a pele de tilápia, que teve início no Ceará, é observar se com todos os fatores de pressão, radiação e microgravidade vão interferir nas propriedades médicas do produto. Os pesquisadores esperam chamar atenção de todo o mundo para o produto e as possibilidades na forma de uso.

A pesquisa com a pele de tilápia está sendo desenvolvida em mais seis estados brasileiros (PE, RS, GO, SP, RJ e PR) e também nos Estados Unidos, Alemanha, Holanda, Colômbia, Guatemala e Equador. O grupo reúne 189 pesquisadores, que estão desenvolvendo a Etapa 63, constituída de 42 projetos de pesquisa.

Os produtos obtidos a partir da pele de tilápia já são aplicados em 12 áreas da Medicina, da Veterinária e da Odontologia. Além do sucesso no tratamento de queimaduras – que originou a pesquisa, iniciada no Ceará em 2014 –, feridas e reconstrução de vagina, estão sendo testados novos produtos para uso interno no corpo humano, como válvula cardíaca, vasos, telas para hérnia, em prótese mamária, tendões, levantamento de útero e de bexiga, entre outros.

Nesta quinta-feira (9), os cientistas que comandam a pesquisa nas áreas de Medicina, Veterinária e Odontologia, além dos pesquisadores Edmar Maciel, Odorico Moraes e Marcelo Borges, vão apresentar a pesquisa no Palácio da Alvorada, em Brasília, ao presidente Jair Bolsonaro e ao Ministro da Saúde, Luiz Mandetta. O encontro vem pouco tempo depois após anúncio de corte de 30% da verba das Universidades Federais do Brasil. A UFC chegou a lançar nota em repúdio a ação do Governo Federal.

 

Publicidade

Dê sua opinião

O CÉU NÃO É LIMITE!

Pesquisa da pele de tilápia no tratamento de queimados será testada pela Nasa no espaço

A pesquisa iniciada na UFC, que já envolve sete estados brasileiros e sete países, será apresentada nesta quinta-feira (9) ao presidente Jair Bolsonaro

Por Tribuna do Ceará em Educação

9 de maio de 2019 às 11:17

Há 1 mês
A pele de tilápia é eficaz na cicatrização de queimaduras (FOTO: Reprodução/TV Jangadeiro)

A pele de tilápia é eficaz na cicatrização de queimaduras (FOTO: Reprodução/TV Jangadeiro)

A pesquisa realizada com a pele de tilápia realizada pela Universidade Federal do Ceará (UFC) ganhou o mundo, as séries de televisão, e agora vai para o espaço. Isso mesmo! O mais recente experimento a ser realizado com o material será o envio de amostras para estudar o comportamento dessas peles ao serem submetidas a altas pressões atmosféricas, radiações e microgravidade.

A ação faz parte do Projeto Cubos no Espaço, desenvolvido por astrônomos do Rio de Janeiro em parceira com a Nasa, a agência espacial norte-americana.

O Projeto Cubos no Espaço prevê lançamento de um foguete, em junho, com diversos experimentos acomodados em cubos 4x4x4cm. O objetivo de mais esse passo importante na pesquisa desenvolvida com a pele de tilápia, que teve início no Ceará, é observar se com todos os fatores de pressão, radiação e microgravidade vão interferir nas propriedades médicas do produto. Os pesquisadores esperam chamar atenção de todo o mundo para o produto e as possibilidades na forma de uso.

A pesquisa com a pele de tilápia está sendo desenvolvida em mais seis estados brasileiros (PE, RS, GO, SP, RJ e PR) e também nos Estados Unidos, Alemanha, Holanda, Colômbia, Guatemala e Equador. O grupo reúne 189 pesquisadores, que estão desenvolvendo a Etapa 63, constituída de 42 projetos de pesquisa.

Os produtos obtidos a partir da pele de tilápia já são aplicados em 12 áreas da Medicina, da Veterinária e da Odontologia. Além do sucesso no tratamento de queimaduras – que originou a pesquisa, iniciada no Ceará em 2014 –, feridas e reconstrução de vagina, estão sendo testados novos produtos para uso interno no corpo humano, como válvula cardíaca, vasos, telas para hérnia, em prótese mamária, tendões, levantamento de útero e de bexiga, entre outros.

Nesta quinta-feira (9), os cientistas que comandam a pesquisa nas áreas de Medicina, Veterinária e Odontologia, além dos pesquisadores Edmar Maciel, Odorico Moraes e Marcelo Borges, vão apresentar a pesquisa no Palácio da Alvorada, em Brasília, ao presidente Jair Bolsonaro e ao Ministro da Saúde, Luiz Mandetta. O encontro vem pouco tempo depois após anúncio de corte de 30% da verba das Universidades Federais do Brasil. A UFC chegou a lançar nota em repúdio a ação do Governo Federal.