Cearense é único brasileiro aprovado em mestrado na China que pretende formar líderes globais


Cearense é único brasileiro aprovado em mestrado na China que pretende formar líderes globais

Ítalo Alves estudou em escola pública, hoje trabalha em Nova York e agora foi aprovado em processo que selecionou 111 jovens do mundo

Por Hayanne Narlla em Educação

28 de janeiro de 2016 às 06:00

Há 3 anos
Ítalo é especialista em negócios internacionais em Nova York (FOTO: Arquivo pessoal)

Ítalo Alves é especialista em negócios internacionais em Nova York (FOTO: Arquivo pessoal)

No começo, ele saiu do Brasil para os Estados Unidos. Agora, está ajeitando as malas para embarcar em mais uma aventura, mas na China. O cearense Ítalo Alves, de 23 anos, foi o único brasileiro aprovado pela Schwarzman Scholars, um programa de mestrado na Universidade de Tsinghua, no país asiático.

A primeira turma, com duração de um ano, é composta por 111 alunos de 32 países e 71 universidades, e o principal objetivo é identificar e formar rede de líderes. É lá que Ítalo pretende se preparar para regressar ao Brasil e, quem sabe, chegar ao Congresso Nacional como representante.

Origem

Quem hoje olha para Ítalo talvez não imagine como foi seu passado. Nascido em uma família de classe média-baixa, ele estudou em escolas públicas. Chegou a estudar engenharia ambiental no Instituto Federal do Ceará (IFCE), porém não estava satisfeito com o curso.

Aos 19 anos, conseguiu uma bolsa integral para estudar negócios internacionais na Quinnipiac Universtity, nos Estados Unidos. “Ainda antes de me graduar da Quinnipiac, recebi uma oferta de emprego da Deloitte, uma grande empresa multinacional de consultoria e auditoria. Hoje, trabalho na sede global da empresa, que fica em Manhattan, em Nova York, e sou consultor de risco empresarial e investigações de fraudes”.

Ao se tornar especialista em negócios internacionais, estudou sobre a China e a variedade de pesquisas sobre modelos econômicos e políticos. Aliado a isso, as universidades americanas mobilizam seus alunos para aprenderem sobre tal país, de forma que possam aproveitar futuras oportunidades na região. E foi justamente isso que Ítalo fez.

Luta social

Ainda sem uma data específica, o cearense pretende regressar ao Brasil após concluir o mestrado. A partir daí, há vários planos. Alguns já estão acontecendo, como a mobilização de jovens através das redes sociais. Além de conteúdo sobre política e economia brasileiras, ele também dá ênfase aos assuntos LGBT.

Homossexual, Ítalo pretende lutar pelos direitos através do empreendedorismo social, criando um negócio que ajudará empresas e corporações brasileiras a implementarem políticas de afirmação para a valorização de minorias. E também estará se preparando para participar de campanha política, talvez em 2020. A ideia, inclusive, é iniciar a vida pública em Fortaleza.

Aos 19 anos conseguiu uma bolsa integral para estudar na Quinnipiac Universtity, nos Estados Unidos (FOTO Arquivo pessoal)

Aos 19 anos conseguiu uma bolsa integral para estudar na Quinnipiac Universtity, nos Estados Unidos (FOTO Arquivo pessoal)

“Acredito que as mudanças sociais só acontecem de forma sistêmica se todos os setores da sociedade fizerem parte delas. Portanto, eu pretendo abordar a pauta LGBT através do maior número de maneiras possíveis, seja através da criação de maior sinergia entre organizações de terceiro setor com o governo, movimentos juvenis com corporações, e apoio da população em geral”.

Vitórias

Médico, biólogo, enfermeiro, engenheiro, músico. Ítalo já pensou em ser tudo, mas o que ele queria mesmo era ajudar a melhorar o mundo. Foi estudar fora e descobriu quem realmente era. Descobriu razões pelas quais lutar e progredir.

“A maior lição que eu aprendi ao morar fora é que a verdade na qual você acredita como absoluta pode não ser a verdade que outras pessoas, ou até outras nações, acreditam. E que no final das contas, não há problema algum com isso. Podemos todos concordar em discordar e ainda viver em paz”, finalizou.

Publicidade

Dê sua opinião

Cearense é único brasileiro aprovado em mestrado na China que pretende formar líderes globais

Ítalo Alves estudou em escola pública, hoje trabalha em Nova York e agora foi aprovado em processo que selecionou 111 jovens do mundo

Por Hayanne Narlla em Educação

28 de janeiro de 2016 às 06:00

Há 3 anos
Ítalo é especialista em negócios internacionais em Nova York (FOTO: Arquivo pessoal)

Ítalo Alves é especialista em negócios internacionais em Nova York (FOTO: Arquivo pessoal)

No começo, ele saiu do Brasil para os Estados Unidos. Agora, está ajeitando as malas para embarcar em mais uma aventura, mas na China. O cearense Ítalo Alves, de 23 anos, foi o único brasileiro aprovado pela Schwarzman Scholars, um programa de mestrado na Universidade de Tsinghua, no país asiático.

A primeira turma, com duração de um ano, é composta por 111 alunos de 32 países e 71 universidades, e o principal objetivo é identificar e formar rede de líderes. É lá que Ítalo pretende se preparar para regressar ao Brasil e, quem sabe, chegar ao Congresso Nacional como representante.

Origem

Quem hoje olha para Ítalo talvez não imagine como foi seu passado. Nascido em uma família de classe média-baixa, ele estudou em escolas públicas. Chegou a estudar engenharia ambiental no Instituto Federal do Ceará (IFCE), porém não estava satisfeito com o curso.

Aos 19 anos, conseguiu uma bolsa integral para estudar negócios internacionais na Quinnipiac Universtity, nos Estados Unidos. “Ainda antes de me graduar da Quinnipiac, recebi uma oferta de emprego da Deloitte, uma grande empresa multinacional de consultoria e auditoria. Hoje, trabalho na sede global da empresa, que fica em Manhattan, em Nova York, e sou consultor de risco empresarial e investigações de fraudes”.

Ao se tornar especialista em negócios internacionais, estudou sobre a China e a variedade de pesquisas sobre modelos econômicos e políticos. Aliado a isso, as universidades americanas mobilizam seus alunos para aprenderem sobre tal país, de forma que possam aproveitar futuras oportunidades na região. E foi justamente isso que Ítalo fez.

Luta social

Ainda sem uma data específica, o cearense pretende regressar ao Brasil após concluir o mestrado. A partir daí, há vários planos. Alguns já estão acontecendo, como a mobilização de jovens através das redes sociais. Além de conteúdo sobre política e economia brasileiras, ele também dá ênfase aos assuntos LGBT.

Homossexual, Ítalo pretende lutar pelos direitos através do empreendedorismo social, criando um negócio que ajudará empresas e corporações brasileiras a implementarem políticas de afirmação para a valorização de minorias. E também estará se preparando para participar de campanha política, talvez em 2020. A ideia, inclusive, é iniciar a vida pública em Fortaleza.

Aos 19 anos conseguiu uma bolsa integral para estudar na Quinnipiac Universtity, nos Estados Unidos (FOTO Arquivo pessoal)

Aos 19 anos conseguiu uma bolsa integral para estudar na Quinnipiac Universtity, nos Estados Unidos (FOTO Arquivo pessoal)

“Acredito que as mudanças sociais só acontecem de forma sistêmica se todos os setores da sociedade fizerem parte delas. Portanto, eu pretendo abordar a pauta LGBT através do maior número de maneiras possíveis, seja através da criação de maior sinergia entre organizações de terceiro setor com o governo, movimentos juvenis com corporações, e apoio da população em geral”.

Vitórias

Médico, biólogo, enfermeiro, engenheiro, músico. Ítalo já pensou em ser tudo, mas o que ele queria mesmo era ajudar a melhorar o mundo. Foi estudar fora e descobriu quem realmente era. Descobriu razões pelas quais lutar e progredir.

“A maior lição que eu aprendi ao morar fora é que a verdade na qual você acredita como absoluta pode não ser a verdade que outras pessoas, ou até outras nações, acreditam. E que no final das contas, não há problema algum com isso. Podemos todos concordar em discordar e ainda viver em paz”, finalizou.