Cearense de 15 anos já se destaca em olimpíadas nacionais e internacionais de matemática


Cearense de 15 anos já se destaca em olimpíadas nacionais e internacionais de matemática

Bruno Brasil Meinhart, apesar da idade inferior a dos concorrentes, teve um bom desempenho em olimpíada de países lusófonos, em Cabo Verde

Por Rosana Romão em Educação

12 de agosto de 2015 às 07:00

Há 4 anos
Esta foi a primeira vez que Bruno Brasil Meinhart participou da competição. (FOTO: Arquivo Pessoal)

Esta foi a primeira vez que Bruno Brasil Meinhart participou da competição. (FOTO: Arquivo Pessoal)

Com somente 15 anos, o cearense Bruno Brasil Meinhart já é destaque quando o assunto é Matemática. E esse desempenho é comprovado com suas medalhas adquiridas em competições nacionais e internacionais. Seu mais recente sucesso foi na 5ª Olimpíada de Matemática da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, onde alcançou o 5º lugar geral.

A olimpíada teve duas provas individuais, aplicadas em dois dias consecutivos. Cada exame apresentou três problemas de matemática selecionados por um júri internacional, que exigem a resolução de exercícios de álgebra, teoria dos números, geometria e combinatória. Esta foi a primeira vez que o estudante participou da competição de países de língua portuguesa.

O resultado da competição coincidiu com o dia do seu aniversário. “Eu não sabia se as pessoas estavam me dando os parabéns pelo meu aniversário ou pelo resultado da olimpíada”, brinca o estudante. Bruno possui seis medalhas nacionais de matemática, sendo duas de ouro e duas de bronze, além de duas medalhas conquistadas na Olimpíada Rio-Platense, sendo uma de prata e uma de bronze.

O jovem descobriu que tinha aptidão para a disciplina ainda criança, quando foi apresentado a olimpíadas, então na 5ª série. Conversou com o pai, que o apoiou e desde então passou assistir aulas voltadas para as olimpíadas. Ele se dedica a competições de matemática há cinco anos, e atualmente cursa o 1º ano do Ensino Médio. Para se preparar, ele participa de aulas voltadas para o tema e estuda cinco horas por dia. “É difícil manter a rotina porque, fora as aulas normais da turma ITA, tem as específicas para competições. E tenho que estudar inglês porque tenho planos de estudar no exterior”, relata.

Eu gostei do resultado, mas sei que poderia ter sido melhor. Mas o que eu fiquei mais feliz foi de ter sido selecionado pela Olimpíada, porque passei por uma seletiva muito difícil, demorou uns quatro meses.

“A prova tinha 4h30, eu gastei 4h10 para conseguir fazer apenas uma questão. Às vezes eu demoro assim, mas também já resolvi em meia hora”, conta. Ele também já estudou pela noite até o amanhecer, e vê as atividades como uma diversão. Devido aos resultados, Bruno fez amizades e conheceu outros países. Ele busca introduzir o gosto pela matemática aos irmãos mais novos para que eles deem continuidade à sua dedicação. Também auxilia os colegas de sala quando estão com dificuldade na disciplina. “Eu costumo dizer que eu não sei tudo, às vezes eu consigo e às vezes não. Mas fico feliz em poder ajudar”, esclarece.

Olimpíada Internacional

A competição teve a participação de 24 jovens de seis países lusófonos (que utilizam a língua portuguesa): Angola, Brasil, Cabo Verde, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe. Cada país levou uma equipe composta por quatro estudantes, menores de 18 anos, e dois professores. Na classificação por países, o Brasil ficou com o primeiro lugar, alcançando 154 pontos num total de 168. Com o resultado, o Brasil ficou à frente de países como Portugal (108 pontos) e Cabo Verde (68 pontos).

A prova foi realizada na cidade de Praia, capital de Cabo Verde, entre os dias 19 a 25 de julho. A equipe brasileira conquistou as duas únicas medalhas de outo da competição e duas de prata. Pedro Lucas Lanaro Sponchiado (SP) e Matheus Siqueira Thimóteo (SP) alcançaram a maior pontuação, 42 pontos, conquistando as medalhas de ouro. Já Andrey Jhen Shan Chen (SP) alcançou o 3º lugar, com 38 pontos, recebendo amedalha de prata. E Bruno recebeu o 5º lugar, com 32 pontos. Para participar da Olimpíada Brasileira de Matemática, a escola onde o aluno estuda deve realizar cadastro no site da competição.

Cearense conquista 5º lugar em Olimpíada Internacional de Matemática
1/2

Cearense conquista 5º lugar em Olimpíada Internacional de Matemática

Bruno Brasil vê as atividades de matemática como uma diversão. (FOTO: Arquivo Pessoal)

Cearense conquista 5º lugar em Olimpíada Internacional de Matemática
2/2

Cearense conquista 5º lugar em Olimpíada Internacional de Matemática

A equipe brasileira conquistou as duas únicas medalhas de outro da competição e duas de prata. (FOTO: Divulgação)

Publicidade

Dê sua opinião

Cearense de 15 anos já se destaca em olimpíadas nacionais e internacionais de matemática

Bruno Brasil Meinhart, apesar da idade inferior a dos concorrentes, teve um bom desempenho em olimpíada de países lusófonos, em Cabo Verde

Por Rosana Romão em Educação

12 de agosto de 2015 às 07:00

Há 4 anos
Esta foi a primeira vez que Bruno Brasil Meinhart participou da competição. (FOTO: Arquivo Pessoal)

Esta foi a primeira vez que Bruno Brasil Meinhart participou da competição. (FOTO: Arquivo Pessoal)

Com somente 15 anos, o cearense Bruno Brasil Meinhart já é destaque quando o assunto é Matemática. E esse desempenho é comprovado com suas medalhas adquiridas em competições nacionais e internacionais. Seu mais recente sucesso foi na 5ª Olimpíada de Matemática da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, onde alcançou o 5º lugar geral.

A olimpíada teve duas provas individuais, aplicadas em dois dias consecutivos. Cada exame apresentou três problemas de matemática selecionados por um júri internacional, que exigem a resolução de exercícios de álgebra, teoria dos números, geometria e combinatória. Esta foi a primeira vez que o estudante participou da competição de países de língua portuguesa.

O resultado da competição coincidiu com o dia do seu aniversário. “Eu não sabia se as pessoas estavam me dando os parabéns pelo meu aniversário ou pelo resultado da olimpíada”, brinca o estudante. Bruno possui seis medalhas nacionais de matemática, sendo duas de ouro e duas de bronze, além de duas medalhas conquistadas na Olimpíada Rio-Platense, sendo uma de prata e uma de bronze.

O jovem descobriu que tinha aptidão para a disciplina ainda criança, quando foi apresentado a olimpíadas, então na 5ª série. Conversou com o pai, que o apoiou e desde então passou assistir aulas voltadas para as olimpíadas. Ele se dedica a competições de matemática há cinco anos, e atualmente cursa o 1º ano do Ensino Médio. Para se preparar, ele participa de aulas voltadas para o tema e estuda cinco horas por dia. “É difícil manter a rotina porque, fora as aulas normais da turma ITA, tem as específicas para competições. E tenho que estudar inglês porque tenho planos de estudar no exterior”, relata.

Eu gostei do resultado, mas sei que poderia ter sido melhor. Mas o que eu fiquei mais feliz foi de ter sido selecionado pela Olimpíada, porque passei por uma seletiva muito difícil, demorou uns quatro meses.

“A prova tinha 4h30, eu gastei 4h10 para conseguir fazer apenas uma questão. Às vezes eu demoro assim, mas também já resolvi em meia hora”, conta. Ele também já estudou pela noite até o amanhecer, e vê as atividades como uma diversão. Devido aos resultados, Bruno fez amizades e conheceu outros países. Ele busca introduzir o gosto pela matemática aos irmãos mais novos para que eles deem continuidade à sua dedicação. Também auxilia os colegas de sala quando estão com dificuldade na disciplina. “Eu costumo dizer que eu não sei tudo, às vezes eu consigo e às vezes não. Mas fico feliz em poder ajudar”, esclarece.

Olimpíada Internacional

A competição teve a participação de 24 jovens de seis países lusófonos (que utilizam a língua portuguesa): Angola, Brasil, Cabo Verde, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe. Cada país levou uma equipe composta por quatro estudantes, menores de 18 anos, e dois professores. Na classificação por países, o Brasil ficou com o primeiro lugar, alcançando 154 pontos num total de 168. Com o resultado, o Brasil ficou à frente de países como Portugal (108 pontos) e Cabo Verde (68 pontos).

A prova foi realizada na cidade de Praia, capital de Cabo Verde, entre os dias 19 a 25 de julho. A equipe brasileira conquistou as duas únicas medalhas de outo da competição e duas de prata. Pedro Lucas Lanaro Sponchiado (SP) e Matheus Siqueira Thimóteo (SP) alcançaram a maior pontuação, 42 pontos, conquistando as medalhas de ouro. Já Andrey Jhen Shan Chen (SP) alcançou o 3º lugar, com 38 pontos, recebendo amedalha de prata. E Bruno recebeu o 5º lugar, com 32 pontos. Para participar da Olimpíada Brasileira de Matemática, a escola onde o aluno estuda deve realizar cadastro no site da competição.

Cearense conquista 5º lugar em Olimpíada Internacional de Matemática
1/2

Cearense conquista 5º lugar em Olimpíada Internacional de Matemática

Bruno Brasil vê as atividades de matemática como uma diversão. (FOTO: Arquivo Pessoal)

Cearense conquista 5º lugar em Olimpíada Internacional de Matemática
2/2

Cearense conquista 5º lugar em Olimpíada Internacional de Matemática

A equipe brasileira conquistou as duas únicas medalhas de outro da competição e duas de prata. (FOTO: Divulgação)