Acusado da morte da menina Rakelly disse à Polícia ter tido "sonho revelador"

CRIANÇA DESAPARECIDA

Vizinho do sítio onde menina Rakelly foi encontrada morta disse à Polícia ter tido “sonho revelador”

Criança de oito anos foi encontrada com mãos amarradas na cacimba de sítio vizinho a sua casa após três dias de buscas em Itaitinga

Por Jéssica Welma em Cotidiano

25 de setembro de 2016 às 11:32

Há 3 anos
rakelly-criança-desaparecida

Menina de oito anos foi encontrada morta em sítio ao lado de sua casa. (Foto: Arquivo pessoal)

Atualizada às 12h34min da segunda-feira (26)

O vizinho do sítio onde a menina Rakelly Matias Alves, de 8 anos, foi encontrada morta no sábado (24), disse à Polícia, durante as buscas, que teve um sonho que revelava o local onde o cadáver da criança foi ocultado. O crime foi confessado por outro vizinho, caseiro do sítio onde a criança foi encontrada. O acusado acompanhava a investigação desde o início e tentou cometer suicídio ao perceber que o crime seria descoberto. A população da localidade de Jabuti, em Itaitinga (Região Metropolitana de Fortaleza), tentou linchar o caseiro do sítio, suspeito de cometer o crime.

A criança havia sido vista pela última vez ao meio dia da quarta-feira (21) em frente a um sítio vizinho a sua residência, onde foi encontrada morta três dias depois pela Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). O caso foi comunicado à Polícia na quinta-feira (22). Ontem, a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) divulgou nota confirmando o crime e a prisão do acusado no local.

O corpo da criança foi liberado do Instituto Médico Legal (IML) na manhã deste domingo e é velado na capela da localidade de Gererau, em Itaitinga.

A reportagem do programa Barra Pesada acompanhou o caso no começo da noite do sábado, quando o corpo foi localizado. A criança foi encontrada com a boca e as mãos amarradas em uma cacimba no sítio ao lado de sua residência. O principal suspeito do crime é o caseiro identificado como “Zé”. Ele teria dito à Polícia que a menina havia caído e machucado muito o rosto. Por achar que a criança não resistiria à queda e morreria, e com receio de ser culpado pela morte, o caseiro disse que jogou a menina na cacimba, que tem 20 anéis.

Ao perceber que seria descoberto, o caseiro suspeito foi ao banheiro da casa e tentou provocar suicídio, ingerindo veneno de rato, conhecido como “chumbinho”. Policiais que já desconfiavam que ele era o autor o seguiram e socorreram ao hospital ao perceber a tentativa.

população-fogo-sítio-rakelly

População ateou fogo em sítio onde corpo da criança foi encontrado. (Foto: Whatsapp)

Um dos vizinhos do sítio, que participou das buscas desde o início, indicou o local à Polícia, afirmando que teve um sonho que revelava que o cadáver estava ocultado na cacimba. A família está em estado de choque.

A população tentou invadir o sítio para linchar o caseiro. Diante da correria e bate-boca no local, a Polícia usou gás de pimenta contra a a multidão revoltada com o crime. Os moradores jogaram pedras e atearam fogo ao sítio.

Erramos: A primeira versão dessa matéria dizia que o acusado havia tido um sonho revelador. O correto é que outro vizinho disse ter tido o sonho.

Publicidade

Dê sua opinião

CRIANÇA DESAPARECIDA

Vizinho do sítio onde menina Rakelly foi encontrada morta disse à Polícia ter tido “sonho revelador”

Criança de oito anos foi encontrada com mãos amarradas na cacimba de sítio vizinho a sua casa após três dias de buscas em Itaitinga

Por Jéssica Welma em Cotidiano

25 de setembro de 2016 às 11:32

Há 3 anos
rakelly-criança-desaparecida

Menina de oito anos foi encontrada morta em sítio ao lado de sua casa. (Foto: Arquivo pessoal)

Atualizada às 12h34min da segunda-feira (26)

O vizinho do sítio onde a menina Rakelly Matias Alves, de 8 anos, foi encontrada morta no sábado (24), disse à Polícia, durante as buscas, que teve um sonho que revelava o local onde o cadáver da criança foi ocultado. O crime foi confessado por outro vizinho, caseiro do sítio onde a criança foi encontrada. O acusado acompanhava a investigação desde o início e tentou cometer suicídio ao perceber que o crime seria descoberto. A população da localidade de Jabuti, em Itaitinga (Região Metropolitana de Fortaleza), tentou linchar o caseiro do sítio, suspeito de cometer o crime.

A criança havia sido vista pela última vez ao meio dia da quarta-feira (21) em frente a um sítio vizinho a sua residência, onde foi encontrada morta três dias depois pela Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). O caso foi comunicado à Polícia na quinta-feira (22). Ontem, a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) divulgou nota confirmando o crime e a prisão do acusado no local.

O corpo da criança foi liberado do Instituto Médico Legal (IML) na manhã deste domingo e é velado na capela da localidade de Gererau, em Itaitinga.

A reportagem do programa Barra Pesada acompanhou o caso no começo da noite do sábado, quando o corpo foi localizado. A criança foi encontrada com a boca e as mãos amarradas em uma cacimba no sítio ao lado de sua residência. O principal suspeito do crime é o caseiro identificado como “Zé”. Ele teria dito à Polícia que a menina havia caído e machucado muito o rosto. Por achar que a criança não resistiria à queda e morreria, e com receio de ser culpado pela morte, o caseiro disse que jogou a menina na cacimba, que tem 20 anéis.

Ao perceber que seria descoberto, o caseiro suspeito foi ao banheiro da casa e tentou provocar suicídio, ingerindo veneno de rato, conhecido como “chumbinho”. Policiais que já desconfiavam que ele era o autor o seguiram e socorreram ao hospital ao perceber a tentativa.

população-fogo-sítio-rakelly

População ateou fogo em sítio onde corpo da criança foi encontrado. (Foto: Whatsapp)

Um dos vizinhos do sítio, que participou das buscas desde o início, indicou o local à Polícia, afirmando que teve um sonho que revelava que o cadáver estava ocultado na cacimba. A família está em estado de choque.

A população tentou invadir o sítio para linchar o caseiro. Diante da correria e bate-boca no local, a Polícia usou gás de pimenta contra a a multidão revoltada com o crime. Os moradores jogaram pedras e atearam fogo ao sítio.

Erramos: A primeira versão dessa matéria dizia que o acusado havia tido um sonho revelador. O correto é que outro vizinho disse ter tido o sonho.