Theatro José de Alencar tem suas portas de entrada pichadas


Theatro José de Alencar tem suas portas de entrada pichadas

Segundo testemunhas, a ação aconteceu durante a madrugada, por dois homens que estavam em uma moto.

Por Renata Monte em Cotidiano

2 de outubro de 2014 às 15:56

Há 5 anos
A ação aconteceu durante a madrugada de quarta-feira (1).

A ação aconteceu durante a madrugada de quarta-feira (1).

As portas do Theatro José de Alencar (TJA), no Centro, amanheceram pichadas na última quarta-feira (1). O teatro está em processo de recuperação e, durante as obras de conservação, as portas da entrada – originais da construção – já tinham recebido sua recuperação.

Funcionários do teatro conversaram com pessoas que estavam na praça em frente ao local e que presenciaram a ação dos vândalos. Segundo essas pessoas, aconteceu tudo de forma muito rápida, durante a madrugada. Dois homens que estavam em uma moto pararam em frente ao teatro. Um deles desceu, realizou a pichação, subiu na moto novamente e foram embora.

De acordo com a assessoria de imprensa da Secretaria de Cultura do Estado (Secult), as adversidades relacionadas ao TJA são mais amplas do que se pode imaginar. “É uma questão de ordem maior, com problemas de convivência, de ordenamento urbano. A ação dos pichadores foi tão rápida, que apesar do Theatro ter uma empresa de vigilância, não seria possível detê-los”, pontuou.

A assessoria informou ainda que as ações para solucionar problemas desse tipo estão sendo debatidas entre a Secult, a diretoria do TJA e o poder público, mas ainda assim é difícil conter esse tipo de ação. “Em dias de pouco movimento, pelo menos 300 pessoas passam pelo Theatro. Tem a movimentação de vendedores ambulantes do lado de fora, de moradores de rua. É uma questão que vai além da pichação”.

As obras de conservação e restauração do Theatro José de Alencar seguem em andamento e contam com um investimento de R$ 2,3 milhões do Governo do Estado, por meio da Secretaria de Cultura. A obra compreende a recuperação e pintura do local – estruturas de ferro, piso, portas, janelas e alvenaria – e a melhoria do jardim e do sistema de prevenção de incêndio.

Publicidade

Dê sua opinião

Theatro José de Alencar tem suas portas de entrada pichadas

Segundo testemunhas, a ação aconteceu durante a madrugada, por dois homens que estavam em uma moto.

Por Renata Monte em Cotidiano

2 de outubro de 2014 às 15:56

Há 5 anos
A ação aconteceu durante a madrugada de quarta-feira (1).

A ação aconteceu durante a madrugada de quarta-feira (1).

As portas do Theatro José de Alencar (TJA), no Centro, amanheceram pichadas na última quarta-feira (1). O teatro está em processo de recuperação e, durante as obras de conservação, as portas da entrada – originais da construção – já tinham recebido sua recuperação.

Funcionários do teatro conversaram com pessoas que estavam na praça em frente ao local e que presenciaram a ação dos vândalos. Segundo essas pessoas, aconteceu tudo de forma muito rápida, durante a madrugada. Dois homens que estavam em uma moto pararam em frente ao teatro. Um deles desceu, realizou a pichação, subiu na moto novamente e foram embora.

De acordo com a assessoria de imprensa da Secretaria de Cultura do Estado (Secult), as adversidades relacionadas ao TJA são mais amplas do que se pode imaginar. “É uma questão de ordem maior, com problemas de convivência, de ordenamento urbano. A ação dos pichadores foi tão rápida, que apesar do Theatro ter uma empresa de vigilância, não seria possível detê-los”, pontuou.

A assessoria informou ainda que as ações para solucionar problemas desse tipo estão sendo debatidas entre a Secult, a diretoria do TJA e o poder público, mas ainda assim é difícil conter esse tipo de ação. “Em dias de pouco movimento, pelo menos 300 pessoas passam pelo Theatro. Tem a movimentação de vendedores ambulantes do lado de fora, de moradores de rua. É uma questão que vai além da pichação”.

As obras de conservação e restauração do Theatro José de Alencar seguem em andamento e contam com um investimento de R$ 2,3 milhões do Governo do Estado, por meio da Secretaria de Cultura. A obra compreende a recuperação e pintura do local – estruturas de ferro, piso, portas, janelas e alvenaria – e a melhoria do jardim e do sistema de prevenção de incêndio.