Saiba como curtir a vida sem fazer tanto sacrifício financeiro e ainda ter uma boa aposentadoria


Saiba como curtir a vida sem fazer tanto sacrifício financeiro e ainda ter uma boa aposentadoria

Com força de vontade e conhecimento de onde investir, é possível sair do vermelho e finalmente planejar uma viagem ou adquirir aquele sonho

Por Hayanne Narlla em Cotidiano

20 de janeiro de 2015 às 09:45

Há 4 anos
Ter uma boa educação financeira é uma das dicas para não viver sacrificando-se (FOTO: Reprodução)

Ter uma boa educação financeira é uma das dicas para não viver sacrificando-se (FOTO: Reprodução)

Em 2015, com os rumores de uma economia decaída e a alta inflação, ao que recorrer para garantir estabilidade financeira? Com determinação e conhecimento de onde investir, é possível sair do vermelho e finalmente planejar uma viagem ou adquirir aquele sonho.

O Tribuna do Ceará conversou com o economista Alex Araújo, que deu algumas dicas para fazer seu dinheiro render. A princípio, não há uma porcentagem certa e quanto é necessário guardar para que o dinheiro se acumule. “O importante é ter o hábito de poupar, mesmo que seja pouco, desenvolvendo a cultura de que se pode acumular e de planejar os seus objetivos”.

Para aqueles que querem pagar as contas, economizar e ainda ter lazer, a situação fica mais complicada se o salário não for “gordo”. A única forma de conseguir o objetivo é por meio de um controle rigoroso do orçamento doméstico, com a divisão dos recursos que irão para o consumo e o que fica como reserva. “A plena compreensão do orçamento ajuda a evitar outros problemas como o consumo compulsivo ou o endividamento excessivo. O consumidor deve buscar um equilíbrio entre o consumo corrente e os seus objetivos futuros”, recomenda o economista.

Os objetivos futuros podem ser a curto, médio ou longo prazo. A aposentadoria é um dos planos longínquos para aqueles que querem passar a terceira idade “curtindo” a vida. “O primeiro passo é garantir a aposentadoria pela previdência oficial, mantendo todos os registros de contribuição atualizados. Em seguida procurar mecanismos de previdência complementar (fundos de pensão, fundos fechados ou fundos abertos) para, então, partir para investimentos diretos. Contar com a gestão especializada desses investimentos faz muita diferença, daí a importância da previdência complementar como prioridade para a aposentadoria”, explica Araújo.

Investimentos

A primeira opção para aqueles que não sabem por onde começar é a poupança. “No Brasil temos diferentes veículos para investimento financeiro, conforme a disposição ao risco do investidor e a poupança tradicional é indicada apenas para aqueles que são muito conservadores”.

Para aqueles que estão dispostos a correr um pouco mais risco, existem muitas alternativas, como a bolsa de valores, a compra de títulos da dívida pública e uma ampla gama de fundos de investimento. “O importante é buscar informação”.

(ARTE: Tiago Leite)

(ARTE: Tiago Leite)

Publicidade

Dê sua opinião

Saiba como curtir a vida sem fazer tanto sacrifício financeiro e ainda ter uma boa aposentadoria

Com força de vontade e conhecimento de onde investir, é possível sair do vermelho e finalmente planejar uma viagem ou adquirir aquele sonho

Por Hayanne Narlla em Cotidiano

20 de janeiro de 2015 às 09:45

Há 4 anos
Ter uma boa educação financeira é uma das dicas para não viver sacrificando-se (FOTO: Reprodução)

Ter uma boa educação financeira é uma das dicas para não viver sacrificando-se (FOTO: Reprodução)

Em 2015, com os rumores de uma economia decaída e a alta inflação, ao que recorrer para garantir estabilidade financeira? Com determinação e conhecimento de onde investir, é possível sair do vermelho e finalmente planejar uma viagem ou adquirir aquele sonho.

O Tribuna do Ceará conversou com o economista Alex Araújo, que deu algumas dicas para fazer seu dinheiro render. A princípio, não há uma porcentagem certa e quanto é necessário guardar para que o dinheiro se acumule. “O importante é ter o hábito de poupar, mesmo que seja pouco, desenvolvendo a cultura de que se pode acumular e de planejar os seus objetivos”.

Para aqueles que querem pagar as contas, economizar e ainda ter lazer, a situação fica mais complicada se o salário não for “gordo”. A única forma de conseguir o objetivo é por meio de um controle rigoroso do orçamento doméstico, com a divisão dos recursos que irão para o consumo e o que fica como reserva. “A plena compreensão do orçamento ajuda a evitar outros problemas como o consumo compulsivo ou o endividamento excessivo. O consumidor deve buscar um equilíbrio entre o consumo corrente e os seus objetivos futuros”, recomenda o economista.

Os objetivos futuros podem ser a curto, médio ou longo prazo. A aposentadoria é um dos planos longínquos para aqueles que querem passar a terceira idade “curtindo” a vida. “O primeiro passo é garantir a aposentadoria pela previdência oficial, mantendo todos os registros de contribuição atualizados. Em seguida procurar mecanismos de previdência complementar (fundos de pensão, fundos fechados ou fundos abertos) para, então, partir para investimentos diretos. Contar com a gestão especializada desses investimentos faz muita diferença, daí a importância da previdência complementar como prioridade para a aposentadoria”, explica Araújo.

Investimentos

A primeira opção para aqueles que não sabem por onde começar é a poupança. “No Brasil temos diferentes veículos para investimento financeiro, conforme a disposição ao risco do investidor e a poupança tradicional é indicada apenas para aqueles que são muito conservadores”.

Para aqueles que estão dispostos a correr um pouco mais risco, existem muitas alternativas, como a bolsa de valores, a compra de títulos da dívida pública e uma ampla gama de fundos de investimento. “O importante é buscar informação”.

(ARTE: Tiago Leite)

(ARTE: Tiago Leite)