Racionamento de água deve acontecer em Fortaleza e Região Metropolitana em agosto

ABASTECIMENTO

Racionamento de água deve acontecer em Fortaleza e Região Metropolitana em agosto

A Cagece deve elaborar um plano e apresentá-lo até o fim de junho

Por Tribuna do Ceará em Cotidiano

18 de junho de 2016 às 17:22

Há 3 anos
Pressão de abastecimento deve diminuir de 30% a 70% (FOTOS: Flickr/ Creative Commons/ Senado Federal)

Pressão de abastecimento deve diminuir de 30% a 70% (FOTOS: Flickr/ Creative Commons/ Senado Federal)

A capital e a Região Metropolitana de Fortaleza devem sofrer racionamento de água a partir de agosto deste ano. É que a meta é reduzir o consumo em 20% do líquido, que antes era de 10%. A Cagece deve elaborar um plano e apresentá-lo até o fim de junho.

O secretário de Recursos Hídricos do Ceará, Francisco Teixeira, explicou que não vai faltar água na torneira. A mudança será realizada na pressão do abastecimento, que gera uma variação de menos 70% a 30% dependendo da zona. O revezamento acontece da seguinte forma: durante 24 horas terá repasse de água com pressão normal, nas 24 horas seguintes será de 70% a 30% menor pressão.

“Não importa se é centro comercial, empresa, loja, se [o estabelecimento] estiver mais próximo do ponto de pressão, tem pressão maior. Se ele estiver mais distante, tende a ter pressão menor. Todo esse plano é acompanhado de um processo de fiscalização, de agentes que vão desenvolver essas ações de manobras”, explica.

Além disso, ele ainda acrescentou que as secretarias das áreas de saúde, educação e segurança pública irão mapear os pontos em que há poços. A ideia é criar outros poços nos locais que são abastecidos com água da Cagece. O secretario ressalta que já foram construídos ais formas de capitação de água no Hospital Albert Sabin e em um presídio de Itaitinga.

Publicidade

Dê sua opinião

ABASTECIMENTO

Racionamento de água deve acontecer em Fortaleza e Região Metropolitana em agosto

A Cagece deve elaborar um plano e apresentá-lo até o fim de junho

Por Tribuna do Ceará em Cotidiano

18 de junho de 2016 às 17:22

Há 3 anos
Pressão de abastecimento deve diminuir de 30% a 70% (FOTOS: Flickr/ Creative Commons/ Senado Federal)

Pressão de abastecimento deve diminuir de 30% a 70% (FOTOS: Flickr/ Creative Commons/ Senado Federal)

A capital e a Região Metropolitana de Fortaleza devem sofrer racionamento de água a partir de agosto deste ano. É que a meta é reduzir o consumo em 20% do líquido, que antes era de 10%. A Cagece deve elaborar um plano e apresentá-lo até o fim de junho.

O secretário de Recursos Hídricos do Ceará, Francisco Teixeira, explicou que não vai faltar água na torneira. A mudança será realizada na pressão do abastecimento, que gera uma variação de menos 70% a 30% dependendo da zona. O revezamento acontece da seguinte forma: durante 24 horas terá repasse de água com pressão normal, nas 24 horas seguintes será de 70% a 30% menor pressão.

“Não importa se é centro comercial, empresa, loja, se [o estabelecimento] estiver mais próximo do ponto de pressão, tem pressão maior. Se ele estiver mais distante, tende a ter pressão menor. Todo esse plano é acompanhado de um processo de fiscalização, de agentes que vão desenvolver essas ações de manobras”, explica.

Além disso, ele ainda acrescentou que as secretarias das áreas de saúde, educação e segurança pública irão mapear os pontos em que há poços. A ideia é criar outros poços nos locais que são abastecidos com água da Cagece. O secretario ressalta que já foram construídos ais formas de capitação de água no Hospital Albert Sabin e em um presídio de Itaitinga.