Na contramão da crise, saiba onde não falta emprego no Ceará


Na contramão da crise, saiba onde não falta emprego no Ceará

Nos primeiros nove meses do corrente ano, houve decréscimo de 14.346 postos de trabalho no estado

Por Tribuna do Ceará em Cotidiano

1 de novembro de 2015 às 06:00

Há 4 anos

Pelo sexto mês seguido, o Brasil demitiu mais do que contratou. Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgado na última semana pelo Ministério do Trabalho, a economia brasileira fechou 95.602 vagas formais de emprego em setembro. O resultado é o pior para o mês desde 1992, quando começou a série histórica. No Ceará, a situação também é complicada.

Segundo os dados do Caged, somente em setembro de 2015 foram eliminados 1.508 empregos celetistas no Ceará, equivalentes à redução de 0,12% em relação ao estoque de assalariados com carteira assinada do mês anterior. Tal desempenho foi proveniente da queda do emprego principalmente nos setores da Construção Civil (-1.722 postos), da Indústria de Transformação (-983 postos) e do Comércio (-310 postos) cujos saldos superaram a expansão do emprego da Agropecuária (+1.508 postos). Nos primeiros nove meses do corrente ano, houve decréscimo de 14.346 postos de trabalho.

Mas na contramão da crise, há cidade do Ceará que possuem saldo positivo em 2015. São Gonçalo, Caucaia, Granja, Icapuí e Aracati, por exemplo, mais contrataram do que demitiram. Confira os municípios que aina sobram vagas de trabalho do Estado:

ARTE: Tiago Leite/Tribuna do Ceará

ARTE: Tiago Leite/Tribuna do Ceará

Publicidade

Dê sua opinião

Na contramão da crise, saiba onde não falta emprego no Ceará

Nos primeiros nove meses do corrente ano, houve decréscimo de 14.346 postos de trabalho no estado

Por Tribuna do Ceará em Cotidiano

1 de novembro de 2015 às 06:00

Há 4 anos

Pelo sexto mês seguido, o Brasil demitiu mais do que contratou. Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgado na última semana pelo Ministério do Trabalho, a economia brasileira fechou 95.602 vagas formais de emprego em setembro. O resultado é o pior para o mês desde 1992, quando começou a série histórica. No Ceará, a situação também é complicada.

Segundo os dados do Caged, somente em setembro de 2015 foram eliminados 1.508 empregos celetistas no Ceará, equivalentes à redução de 0,12% em relação ao estoque de assalariados com carteira assinada do mês anterior. Tal desempenho foi proveniente da queda do emprego principalmente nos setores da Construção Civil (-1.722 postos), da Indústria de Transformação (-983 postos) e do Comércio (-310 postos) cujos saldos superaram a expansão do emprego da Agropecuária (+1.508 postos). Nos primeiros nove meses do corrente ano, houve decréscimo de 14.346 postos de trabalho.

Mas na contramão da crise, há cidade do Ceará que possuem saldo positivo em 2015. São Gonçalo, Caucaia, Granja, Icapuí e Aracati, por exemplo, mais contrataram do que demitiram. Confira os municípios que aina sobram vagas de trabalho do Estado:

ARTE: Tiago Leite/Tribuna do Ceará

ARTE: Tiago Leite/Tribuna do Ceará