Mapa cicloviário indica rotas alternativas, bicicletários e oficinas em Fortaleza


Mapa cicloviário indica rotas alternativas, bicicletários e oficinas em Fortaleza

No guia colaborativo, também é possível ver fotos de bicicletários e comentários de quem já utilizou, falando sobre segurança, facilidades e dificuldades

Por Roberta Tavares em Cotidiano

20 de maio de 2015 às 07:00

Há 4 anos
Mapa identifica rotas alternativas e oficinas de bicicletas (FOTO: Tribuna do Ceará/Daniel Herculano)

Mapa identifica rotas alternativas e oficinas de bicicletas (FOTO: Tribuna do Ceará/Daniel Herculano)

Para quem anda de bicicleta, conhecer os locais com bicicletários, oficinas e rotas alternativas é uma mão na roda. Com o intuito de facilitar a vida de quem pedala pela cidade, a Massa Crítica de Fortaleza criou um guia simples, de fácil acesso, com informações abertas e gratuitas.

O mapeamento traz dados geolocalizados sobre pontos de interesse e infraestruturas dedicadas ao ciclista. A iniciativa surgiu de cicloativistas que acreditam poder vivenciar a cidade de forma diferente. “O mapa auxilia os ciclistas de maneira geral, mostrando onde há bicicletários, oficinas, ciclovias e ciclorrotas, que são as ruas que a gente considera mais tranquilas, boas para trafegar”, explica Lucas Landim, membro da Associação dos Ciclistas Urbanos de Fortaleza (Ciclovida).

E realmente o mapa ajuda. Segundo Lucas, muitos ciclistas furam o pneu e precisam de borracharias, bastando olhar o mapa e encontrar a mais próxima, sem desesperos. “Eu uso bicicleta há 8 anos, e o mapa me acompanha até hoje, porque tem regiões novas para mim, onde nunca andei. Para o ciclista, é interessante sempre planejar o caminho antes, para saber a melhor rota”, dá a dica.

No guia, também é possível ver fotos de bicicletários e comentários de quem já utilizou, falando sobre segurança, facilidades e dificuldades. Por ser colaborativo, qualquer pessoa pode incluir informações úteis aos ciclistas. Lucas assegura que o mapa é preciso e verdadeiro. “Muita gente participa e acrescenta novas referências. Constantemente verifico as novidades e passo pelos locais para me certificar”.

A intenção agora é que cada vez mais pessoas incluam informações no mapa, em bairros que seguem sem dados até o momento. De acordo com o membro da Ciclovida, o grupo de ciclistas da cidade é grande e nem sempre é possível se comunicar para mostrar a importância do guia colaborativo.

Bicicletários sem estrutura adequada

O mapa mostra ainda que Fortaleza não tem boa estrutura de bicicletários. Segundo informações dos ciclistas no guia, grande parte dos locais destinados ao estacionamento de bikes são chamados “entorta aro”. O tal modelo só segura a roda dianteira, podendo – como o próprio nome diz – entortar o aro caso haja algum esforço para encaixar a bicicleta. O ideal seria o modelo em formato de “U”, que faz com que as duas rodas fiquem encostadas na estrutura.

Projeto de Lei

Um projeto de lei pretende incentivar entidades privadas a oferecer bicicletários integrados com banheiros, chuveiros, armários e vestiários apropriados aos trabalhadores que têm a bicicleta como meio de transporte. A ideia foi proposta pelo vereador Evaldo Lima (PCdoB). O projeto tramita na Câmara Municipal de Fortaleza e, caso seja aprovado, será regulamentado pelo Poder Executivo.

Publicidade

Dê sua opinião

Mapa cicloviário indica rotas alternativas, bicicletários e oficinas em Fortaleza

No guia colaborativo, também é possível ver fotos de bicicletários e comentários de quem já utilizou, falando sobre segurança, facilidades e dificuldades

Por Roberta Tavares em Cotidiano

20 de maio de 2015 às 07:00

Há 4 anos
Mapa identifica rotas alternativas e oficinas de bicicletas (FOTO: Tribuna do Ceará/Daniel Herculano)

Mapa identifica rotas alternativas e oficinas de bicicletas (FOTO: Tribuna do Ceará/Daniel Herculano)

Para quem anda de bicicleta, conhecer os locais com bicicletários, oficinas e rotas alternativas é uma mão na roda. Com o intuito de facilitar a vida de quem pedala pela cidade, a Massa Crítica de Fortaleza criou um guia simples, de fácil acesso, com informações abertas e gratuitas.

O mapeamento traz dados geolocalizados sobre pontos de interesse e infraestruturas dedicadas ao ciclista. A iniciativa surgiu de cicloativistas que acreditam poder vivenciar a cidade de forma diferente. “O mapa auxilia os ciclistas de maneira geral, mostrando onde há bicicletários, oficinas, ciclovias e ciclorrotas, que são as ruas que a gente considera mais tranquilas, boas para trafegar”, explica Lucas Landim, membro da Associação dos Ciclistas Urbanos de Fortaleza (Ciclovida).

E realmente o mapa ajuda. Segundo Lucas, muitos ciclistas furam o pneu e precisam de borracharias, bastando olhar o mapa e encontrar a mais próxima, sem desesperos. “Eu uso bicicleta há 8 anos, e o mapa me acompanha até hoje, porque tem regiões novas para mim, onde nunca andei. Para o ciclista, é interessante sempre planejar o caminho antes, para saber a melhor rota”, dá a dica.

No guia, também é possível ver fotos de bicicletários e comentários de quem já utilizou, falando sobre segurança, facilidades e dificuldades. Por ser colaborativo, qualquer pessoa pode incluir informações úteis aos ciclistas. Lucas assegura que o mapa é preciso e verdadeiro. “Muita gente participa e acrescenta novas referências. Constantemente verifico as novidades e passo pelos locais para me certificar”.

A intenção agora é que cada vez mais pessoas incluam informações no mapa, em bairros que seguem sem dados até o momento. De acordo com o membro da Ciclovida, o grupo de ciclistas da cidade é grande e nem sempre é possível se comunicar para mostrar a importância do guia colaborativo.

Bicicletários sem estrutura adequada

O mapa mostra ainda que Fortaleza não tem boa estrutura de bicicletários. Segundo informações dos ciclistas no guia, grande parte dos locais destinados ao estacionamento de bikes são chamados “entorta aro”. O tal modelo só segura a roda dianteira, podendo – como o próprio nome diz – entortar o aro caso haja algum esforço para encaixar a bicicleta. O ideal seria o modelo em formato de “U”, que faz com que as duas rodas fiquem encostadas na estrutura.

Projeto de Lei

Um projeto de lei pretende incentivar entidades privadas a oferecer bicicletários integrados com banheiros, chuveiros, armários e vestiários apropriados aos trabalhadores que têm a bicicleta como meio de transporte. A ideia foi proposta pelo vereador Evaldo Lima (PCdoB). O projeto tramita na Câmara Municipal de Fortaleza e, caso seja aprovado, será regulamentado pelo Poder Executivo.