Famílias cearenses farão trilha off road de mais de 4 mil km até Manaus


Famílias cearenses farão trilha off road de mais de 4 mil km até Manaus

Na bagagem, já foram separados itens como kit de primeiros socorros, combustível barracas de camping e até motosserra

Por Hayanne Narlla em Cotidiano

26 de junho de 2015 às 06:00

Há 4 anos
Equipe do Pé na Lama já foi até os lençóis Maranhenses (FOTO: Pé na Lama)

Equipe do Pé na Lama já foi até os lençóis Maranhenses (FOTO: Pé na Lama)

São 4,7 mil quilômetros em 13 dias, quem sabe até 20 dias. O desafio de cumprir uma trilha entorno da Rodovia Transamazônica (BR-230) foi aceito por 14 pessoas do grupo “4×4 Pé na Lama Off Road”. Eles vão sair de Fortaleza em direção a Manaus. A partida está marcada para o próximo sábado (27).

“A pior parte será no trecho Humaitá – Lábrea [localizado no estado do Amazonas], que você vai e volta pelo mesmo caminho. Lá é muito difícil, mas colocamos essa trilha para superar os limites e tentar fazê-la”, explica o idealizador do projeto, Hélio Fábio.

Ao todo, são sete carros que sairão juntos da capital cearense, seguindo por cidades do Ceará, Piauí, Maranhão, Tocantins, Pará e Amazonas. Após chegar ao destino desejado, o grupo voltará de avião e os carros em um transporte especializado.

Percurso que será percorrido pelo grupo a partir do dia 27 de junho (FOTO: Pé na Lama)

Percurso que será percorrido pelo grupo a partir deste sábado (27) (FOTO: Pé na Lama)

“A maior dificuldade vai ser se o carro quebrar, porque a gente maltrata muito o carro. Se ele atolar. Para tirar cada carro atolado é difícil. Ainda tem balsa no meio do percurso. Ao todo são 12 balsas. Em Humaitá não tem nem posto de combustível, por exemplo”, ressalta.

Na bagagem vão alguns itens essenciais, como comida, bebidas, kit de primeiros socorros, combustível e barracas de camping. A ideia é de dormir em hotéis pela estrada, mas em alguns locais isso não será possível. “Estamos levando também a motosserra. Às vezes as árvores caem no caminho, temos que estar preparados para cortar e ultrapassar”.

Pé na lama

Esse é o maior trecho que o grupo vai percorrer. O Pé na Lama foi formado por pilotos não profissionais que gostavam de se aventurar. Após as queixas das esposas, de serem deixadas de lado, o grupo resolveu incluí-las nas viagens no ano de 2000. A família foi crescendo e até os filhos e netos viajam para os desafios.

Pé na Lama
1/3

Pé na Lama

Equipe do Pé na Lama já foi até os Lençóis Maranhenses (FOTO: Pé na Lama)

Pé na Lama
2/3

Pé na Lama

Equipe do Pé na Lama já foi até os Lençóis Maranhenses (FOTO: Pé na Lama)

Pé na Lama
3/3

Pé na Lama

Equipe do Pé na Lama já foi até os Lençóis Maranhenses (FOTO: Pé na Lama)

Publicidade

Dê sua opinião

Famílias cearenses farão trilha off road de mais de 4 mil km até Manaus

Na bagagem, já foram separados itens como kit de primeiros socorros, combustível barracas de camping e até motosserra

Por Hayanne Narlla em Cotidiano

26 de junho de 2015 às 06:00

Há 4 anos
Equipe do Pé na Lama já foi até os lençóis Maranhenses (FOTO: Pé na Lama)

Equipe do Pé na Lama já foi até os lençóis Maranhenses (FOTO: Pé na Lama)

São 4,7 mil quilômetros em 13 dias, quem sabe até 20 dias. O desafio de cumprir uma trilha entorno da Rodovia Transamazônica (BR-230) foi aceito por 14 pessoas do grupo “4×4 Pé na Lama Off Road”. Eles vão sair de Fortaleza em direção a Manaus. A partida está marcada para o próximo sábado (27).

“A pior parte será no trecho Humaitá – Lábrea [localizado no estado do Amazonas], que você vai e volta pelo mesmo caminho. Lá é muito difícil, mas colocamos essa trilha para superar os limites e tentar fazê-la”, explica o idealizador do projeto, Hélio Fábio.

Ao todo, são sete carros que sairão juntos da capital cearense, seguindo por cidades do Ceará, Piauí, Maranhão, Tocantins, Pará e Amazonas. Após chegar ao destino desejado, o grupo voltará de avião e os carros em um transporte especializado.

Percurso que será percorrido pelo grupo a partir do dia 27 de junho (FOTO: Pé na Lama)

Percurso que será percorrido pelo grupo a partir deste sábado (27) (FOTO: Pé na Lama)

“A maior dificuldade vai ser se o carro quebrar, porque a gente maltrata muito o carro. Se ele atolar. Para tirar cada carro atolado é difícil. Ainda tem balsa no meio do percurso. Ao todo são 12 balsas. Em Humaitá não tem nem posto de combustível, por exemplo”, ressalta.

Na bagagem vão alguns itens essenciais, como comida, bebidas, kit de primeiros socorros, combustível e barracas de camping. A ideia é de dormir em hotéis pela estrada, mas em alguns locais isso não será possível. “Estamos levando também a motosserra. Às vezes as árvores caem no caminho, temos que estar preparados para cortar e ultrapassar”.

Pé na lama

Esse é o maior trecho que o grupo vai percorrer. O Pé na Lama foi formado por pilotos não profissionais que gostavam de se aventurar. Após as queixas das esposas, de serem deixadas de lado, o grupo resolveu incluí-las nas viagens no ano de 2000. A família foi crescendo e até os filhos e netos viajam para os desafios.

Pé na Lama
1/3

Pé na Lama

Equipe do Pé na Lama já foi até os Lençóis Maranhenses (FOTO: Pé na Lama)

Pé na Lama
2/3

Pé na Lama

Equipe do Pé na Lama já foi até os Lençóis Maranhenses (FOTO: Pé na Lama)

Pé na Lama
3/3

Pé na Lama

Equipe do Pé na Lama já foi até os Lençóis Maranhenses (FOTO: Pé na Lama)