Especialista atesta que bugues estão preparados para inclinações de até 45 graus


Especialista atesta que bugues estão preparados para inclinações de até 45 graus

Em dunas mais ingrimes, é mais fácil e seguro dirigir quadriciclos. Mas a imprudência está entre as principais causas dos acidentes no Ceará

Por Hayanne Narlla em Cotidiano

12 de fevereiro de 2016 às 17:35

Há 3 anos
Dunas muito altas geram riscos para motoristas (FOTO: Arquivo pessoal)

Dunas muito altas geram riscos para motoristas (FOTO: Arquivo pessoal)

Aumentou a repercussão de mortes causadas por acidentes com bugues no Ceará. O presidente do Clube do Buggy Ceará, Nil Araújo – que também é fabricante de dois modelos –, considera a imprudência um dos principais fatores para esses acontecimentos.

“As principais causas dos acidentes são: imprudência dos bugueiros; falta de manutenção nos veículos; e o não conhecimento do local (duna), onde a areia se move diariamente e modifica o terreno do dia pra noite”, ressalta.

Para andar nesse tipo de terreno, o veículo pode ter uma inclinação ideal até 45 graus. Passando disso, há probabilidade de acidentes, como virar o bugue. Nas dunas mais ingrimes, é mais fácil e seguro dirigir quadriciclos.

“Há situações onde a inclinação é maior e buggistas experientes ou mesmo bugueiros conseguem andar. Mas ele está se arriscando. Não deixa de correr risco”. Nil sempre anda de bugue pelo litoral cearense e já se deparou com situações de risco envolvendo outros motoristas.

No Porto das Dunas – onde ocorreu a morte de uma criança no Carnaval –, há duas dunas bastante altas, em que alguns motoristas se arriscam para ter mais emoção. No Ceará, é mais comum ter inclinações mais brandas, porém em algumas praias é possível encontrar dunas bem ingrimes, como em Morro Branco, Cumbuco, Taíba e Jericoacoara.

Veículo

O bugue é classificado pelo Denatran sem restrição nem distinção de ordem alguma em relação a automóvel comum de rua. Dessa forma, o uso em áreas urbanas é permitido, após o emplacamento e licenciamento, mesmo que seja uma inconveniência o fato de ser aberto que pode facilitar assaltos.

O conceito do bugue consiste em tração traseira, com pneus grandes que proporcionam maior tração, possibilitando assim o veículo deslizar por cima da areia. Para isso, é necessário que os pneus estejam calibrados em 6 libras para maior aderência ao solo. É bem mais difícil de atolar, mas claro que depende da experiência do motorista.

Acidente

No último sábado (6), um bugue virou em uma duna e ocasionou uma morte. Uma criança de oito anos não resistiu aos ferimentos e morreu a caminho do hospital na região. De acordo com o depoimento do motorista, ele afirmou que é cadastrado na Associação Ecológica dos Bugueiros de Aquiraz, que prestou assistência às vítimas e ajudou a socorrê-las. Estavam no carro um casal e seus dois filhos, naturais de Pernambuco. A Polícia continua as investigações sobre o caso.

Relembre o caso

6 de fevereiro de 2016 – Criança morre em acidente de buggy na Prainha

6 fevereiro de 2016 – Família pernambucana que perdeu filho em acidente de buggy visitava Fortaleza pela 1ª vez

7 de fevereiro de 2016 – Prefeitura de Aquiraz reforça fiscalização em praias após morte de criança em acidente de bugue

11 de fevereiro de 2016 – Motorista do buggy que gerou morte de criança se apresenta à Polícia

12 de fevereiro de 2016 – Pai de criança morta em acidente de bugue contesta versão de motorista

Publicidade

Dê sua opinião

Especialista atesta que bugues estão preparados para inclinações de até 45 graus

Em dunas mais ingrimes, é mais fácil e seguro dirigir quadriciclos. Mas a imprudência está entre as principais causas dos acidentes no Ceará

Por Hayanne Narlla em Cotidiano

12 de fevereiro de 2016 às 17:35

Há 3 anos
Dunas muito altas geram riscos para motoristas (FOTO: Arquivo pessoal)

Dunas muito altas geram riscos para motoristas (FOTO: Arquivo pessoal)

Aumentou a repercussão de mortes causadas por acidentes com bugues no Ceará. O presidente do Clube do Buggy Ceará, Nil Araújo – que também é fabricante de dois modelos –, considera a imprudência um dos principais fatores para esses acontecimentos.

“As principais causas dos acidentes são: imprudência dos bugueiros; falta de manutenção nos veículos; e o não conhecimento do local (duna), onde a areia se move diariamente e modifica o terreno do dia pra noite”, ressalta.

Para andar nesse tipo de terreno, o veículo pode ter uma inclinação ideal até 45 graus. Passando disso, há probabilidade de acidentes, como virar o bugue. Nas dunas mais ingrimes, é mais fácil e seguro dirigir quadriciclos.

“Há situações onde a inclinação é maior e buggistas experientes ou mesmo bugueiros conseguem andar. Mas ele está se arriscando. Não deixa de correr risco”. Nil sempre anda de bugue pelo litoral cearense e já se deparou com situações de risco envolvendo outros motoristas.

No Porto das Dunas – onde ocorreu a morte de uma criança no Carnaval –, há duas dunas bastante altas, em que alguns motoristas se arriscam para ter mais emoção. No Ceará, é mais comum ter inclinações mais brandas, porém em algumas praias é possível encontrar dunas bem ingrimes, como em Morro Branco, Cumbuco, Taíba e Jericoacoara.

Veículo

O bugue é classificado pelo Denatran sem restrição nem distinção de ordem alguma em relação a automóvel comum de rua. Dessa forma, o uso em áreas urbanas é permitido, após o emplacamento e licenciamento, mesmo que seja uma inconveniência o fato de ser aberto que pode facilitar assaltos.

O conceito do bugue consiste em tração traseira, com pneus grandes que proporcionam maior tração, possibilitando assim o veículo deslizar por cima da areia. Para isso, é necessário que os pneus estejam calibrados em 6 libras para maior aderência ao solo. É bem mais difícil de atolar, mas claro que depende da experiência do motorista.

Acidente

No último sábado (6), um bugue virou em uma duna e ocasionou uma morte. Uma criança de oito anos não resistiu aos ferimentos e morreu a caminho do hospital na região. De acordo com o depoimento do motorista, ele afirmou que é cadastrado na Associação Ecológica dos Bugueiros de Aquiraz, que prestou assistência às vítimas e ajudou a socorrê-las. Estavam no carro um casal e seus dois filhos, naturais de Pernambuco. A Polícia continua as investigações sobre o caso.

Relembre o caso

6 de fevereiro de 2016 – Criança morre em acidente de buggy na Prainha

6 fevereiro de 2016 – Família pernambucana que perdeu filho em acidente de buggy visitava Fortaleza pela 1ª vez

7 de fevereiro de 2016 – Prefeitura de Aquiraz reforça fiscalização em praias após morte de criança em acidente de bugue

11 de fevereiro de 2016 – Motorista do buggy que gerou morte de criança se apresenta à Polícia

12 de fevereiro de 2016 – Pai de criança morta em acidente de bugue contesta versão de motorista