Empresa responsável por construção na Av. Raul Barbosa já fez outras obras no Ceará


Empresa responsável por construção na Av. Raul Barbosa já fez outras obras no Ceará

A construtora Ferreira Guedes tem 80 anos e, além de obras em São Paulo, é integrante de consórcio que executa o Cinturão das Águas

Por Roberta Tavares em Cotidiano

23 de fevereiro de 2016 às 11:43

Há 3 anos
Laudo com as causas do acidente deve ser divulgado em até 30 dias (FOTO: Rosana Romão/Tribuna do Ceará)

Laudo com as causas do acidente deve ser divulgado em até 30 dias (FOTO: Rosana Romão/Tribuna do Ceará)

A obra onde aconteceu acidente na Avenida Raul Barbosa, em Fortaleza, que deixou dois mortos e três feridos, é de responsabilidade da empresa Ferreira Guedes, de São Paulo, especialista em obras ferroviárias, rodoviárias e portuárias.

No acidente, ocorrido na noite de segunda-feira (22), uma espécie de escora rompeu, e parte da duplicação da ponte sobre o canal do Lagamar cedeu. A obra iniciou em 2015, e o prazo para conclusão seria em setembro de 2016. As causas do desabamento ainda serão investigadas.

A Ferreira Guedes tem 80 anos e faz parte do grupo Agis, também de São Paulo. A empreiteira participou de obras e serviços, como manutenção de linhas da Companha Paulista de Trens Metropolitanos, além de serviços para o VLT de Santos. No Ceará, é integrante de um consórcio que executa obras do Cinturão das Águas, na Região do Cariri. O contrato vale até maio de 2017 e tem o valor de R$ 333 milhões.

No local do desabamento, outra construtora havia sido contratada pela Ferreira Guedes para executar o serviço, no caso, a SH Formas, Andaimes e Escoramentos, do Rio de Janeiro. Subcontratações de empresas especializadas na execução de serviços localizados são comuns em obras de grande porte.

A construtora SH foi criada em 1981, no Rio de Janeiro. Em 2010, inaugurou uma unidade no Ceará. Entre os mercados que a SH atua estão a construção civil e a manutenção industrial. Ela participou de grandes obras por todo o Brasil, como o Paranoá Parque, em Brasília, com 6.240 unidades habitacionais. Em São Paulo, participou da execução de um túnel do Rodoanel. No Nordeste, fez estações de bombeamento em parte da Transposição do Rio São Francisco.

No currículo da SH também há obras no Ceará. Dentre elas, o Terminal Multiuso do Pecém, onde a empresa fez a execução da viga de paramento e calha. Na Região do Cariri, a empresa fez o andaime de acesso para a construção da estátua de Nossa Senhora de Fátima. Também constam obras privadas, como um edifício residencial e a ampliação de um moinho.

Responsabilidade da construtora

Em entrevista à Rádio Tribuna BandNews FM, o secretário de Infraestrutura do município, Samuel Dias, informou que a Prefeitura de Fortaleza cobrou respostas à construtora Ferreira Guedes. Segundo disse, a empresa tem responsabilidade pela manutenção das condições de trabalho e por todos os ônus da obra.

A empresa Ferreira Guedes, de São Paulo, assumiu a obra após uma relicitação. De acordo com o secretário de Infraestrutura, em 2011 havia sido contratada outra empresa para um pacote de obras que incluía o viaduto da Avenida Raul Barbosa, assim como os túneis da Avenida Santos Dumont e Alberto Craveiro. A empreiteira, no entanto, rescindiu o contrato.

“Em 2014, houve a rescisão contratual, e a Prefeitura fez novo processo de licitação para contratar uma nova empresa para dar continuidade às obras. A Ferreira Guedes, em Fortaleza, trabalha especificamente no viaduto da Raul Barbosa, na ponte onde ocorreu o acidente; e no túnel da Avenida Padre Antônio Tomás”, explica.

A construtora Ferreira Guedes se pronunciou por meio de nota, disse lamentar profundamente o acidente e afirmou prestar apoio às vítimas e seus familiares.

Ainda em nota, a empresa informou que órgãos competentes pela investigação das causas do acidente foram até o local do ocorrido. Além disso, a Ferreira Guedes deixou claro que a responsabilidade da obra é de uma empresa terceirizada.

No entanto, segundo o secretário Samuel Dias, apesar de a SH ser subcontratada para a obra, a responsabilidade global é da Ferreira Guedes. “A SH fazia a implantação do escoramento metálico para a concretagem das obras. Então, nesse caso, existem duas empresas envolvidas. A segunda empresa é subcontratada para atuar nesse ponto específico da obra, mas a responsabilidade global, a quem a prefeitura se reporta é à construtura Ferreira Guedes”, concluiu.

R$ 31 milhões

O investimento do pacote de mobilidade urbana (Túnel da Avenida Padre Antônio Tomás e Viaduto da Avenida Raul Barbosa) é de R$ 48 milhões. São R$ 17 milhões para o túnel da Avenida Padre Antônio Tomás e R$ 31 milhões para rotatória com viadutos na Raul Barbosa, segundo a Prefeitura. O prazo de entrega da primeira parte da obra seria para setembro de 2016.

No projeto inicial, além de uma rotatória de 90 metros de diâmetro (com duas faixas para tráfego e dois viadutos de cerca de 312 metros de extensão fazendo a ligação sertão-praia), será construída uma nova ponte que operará em sentido inverso ao da existente, da ponte sobre o canal do Lagamar.

Acompanhe o caso:

23 de fevereiro – Sindicato de operários pede a interdição de obra na Av. Raul Barbosa após desabamento

23 de fevereiro – Moradores relatam momentos de pavor após tragédia na Av. Raul Barbosa

23 de fevereiro – Crea descarta que chuva tenha causado desabamento de obra na Av. Raul Barbosa

23 de fevereiro – Entenda qual foi o local onde ocorreu o desabamento da ponte em construção no Lagamar

23 de fevereiro – Prefeitura garante que não terá prejuízo financeiro com desabamento de obra na Raul Barbosa

22 de fevereiro – Desabamento nas obras das Avenidas Raul Barbosa e Murilo Borges deixa operários soterrados

22 de fevereiro – AMC orienta que motoristas evitem a Avenida Raul Barbosa

22 de fevereiro – Socorrista foi o primeiro a chegar ao local e relata resgate de vítimas de desabamento

22 de fevereiro – Crea considera falha de escoramento como possível causa do desabamento no Lagamar

22 de fevereiro – Prefeitura notificará empresa responsável pela obra que desabou no Lagamar

22 de fevereiro – Dois operários morrem em desabamento na duplicação da ponte do Lagamar

Publicidade

Dê sua opinião

Empresa responsável por construção na Av. Raul Barbosa já fez outras obras no Ceará

A construtora Ferreira Guedes tem 80 anos e, além de obras em São Paulo, é integrante de consórcio que executa o Cinturão das Águas

Por Roberta Tavares em Cotidiano

23 de fevereiro de 2016 às 11:43

Há 3 anos
Laudo com as causas do acidente deve ser divulgado em até 30 dias (FOTO: Rosana Romão/Tribuna do Ceará)

Laudo com as causas do acidente deve ser divulgado em até 30 dias (FOTO: Rosana Romão/Tribuna do Ceará)

A obra onde aconteceu acidente na Avenida Raul Barbosa, em Fortaleza, que deixou dois mortos e três feridos, é de responsabilidade da empresa Ferreira Guedes, de São Paulo, especialista em obras ferroviárias, rodoviárias e portuárias.

No acidente, ocorrido na noite de segunda-feira (22), uma espécie de escora rompeu, e parte da duplicação da ponte sobre o canal do Lagamar cedeu. A obra iniciou em 2015, e o prazo para conclusão seria em setembro de 2016. As causas do desabamento ainda serão investigadas.

A Ferreira Guedes tem 80 anos e faz parte do grupo Agis, também de São Paulo. A empreiteira participou de obras e serviços, como manutenção de linhas da Companha Paulista de Trens Metropolitanos, além de serviços para o VLT de Santos. No Ceará, é integrante de um consórcio que executa obras do Cinturão das Águas, na Região do Cariri. O contrato vale até maio de 2017 e tem o valor de R$ 333 milhões.

No local do desabamento, outra construtora havia sido contratada pela Ferreira Guedes para executar o serviço, no caso, a SH Formas, Andaimes e Escoramentos, do Rio de Janeiro. Subcontratações de empresas especializadas na execução de serviços localizados são comuns em obras de grande porte.

A construtora SH foi criada em 1981, no Rio de Janeiro. Em 2010, inaugurou uma unidade no Ceará. Entre os mercados que a SH atua estão a construção civil e a manutenção industrial. Ela participou de grandes obras por todo o Brasil, como o Paranoá Parque, em Brasília, com 6.240 unidades habitacionais. Em São Paulo, participou da execução de um túnel do Rodoanel. No Nordeste, fez estações de bombeamento em parte da Transposição do Rio São Francisco.

No currículo da SH também há obras no Ceará. Dentre elas, o Terminal Multiuso do Pecém, onde a empresa fez a execução da viga de paramento e calha. Na Região do Cariri, a empresa fez o andaime de acesso para a construção da estátua de Nossa Senhora de Fátima. Também constam obras privadas, como um edifício residencial e a ampliação de um moinho.

Responsabilidade da construtora

Em entrevista à Rádio Tribuna BandNews FM, o secretário de Infraestrutura do município, Samuel Dias, informou que a Prefeitura de Fortaleza cobrou respostas à construtora Ferreira Guedes. Segundo disse, a empresa tem responsabilidade pela manutenção das condições de trabalho e por todos os ônus da obra.

A empresa Ferreira Guedes, de São Paulo, assumiu a obra após uma relicitação. De acordo com o secretário de Infraestrutura, em 2011 havia sido contratada outra empresa para um pacote de obras que incluía o viaduto da Avenida Raul Barbosa, assim como os túneis da Avenida Santos Dumont e Alberto Craveiro. A empreiteira, no entanto, rescindiu o contrato.

“Em 2014, houve a rescisão contratual, e a Prefeitura fez novo processo de licitação para contratar uma nova empresa para dar continuidade às obras. A Ferreira Guedes, em Fortaleza, trabalha especificamente no viaduto da Raul Barbosa, na ponte onde ocorreu o acidente; e no túnel da Avenida Padre Antônio Tomás”, explica.

A construtora Ferreira Guedes se pronunciou por meio de nota, disse lamentar profundamente o acidente e afirmou prestar apoio às vítimas e seus familiares.

Ainda em nota, a empresa informou que órgãos competentes pela investigação das causas do acidente foram até o local do ocorrido. Além disso, a Ferreira Guedes deixou claro que a responsabilidade da obra é de uma empresa terceirizada.

No entanto, segundo o secretário Samuel Dias, apesar de a SH ser subcontratada para a obra, a responsabilidade global é da Ferreira Guedes. “A SH fazia a implantação do escoramento metálico para a concretagem das obras. Então, nesse caso, existem duas empresas envolvidas. A segunda empresa é subcontratada para atuar nesse ponto específico da obra, mas a responsabilidade global, a quem a prefeitura se reporta é à construtura Ferreira Guedes”, concluiu.

R$ 31 milhões

O investimento do pacote de mobilidade urbana (Túnel da Avenida Padre Antônio Tomás e Viaduto da Avenida Raul Barbosa) é de R$ 48 milhões. São R$ 17 milhões para o túnel da Avenida Padre Antônio Tomás e R$ 31 milhões para rotatória com viadutos na Raul Barbosa, segundo a Prefeitura. O prazo de entrega da primeira parte da obra seria para setembro de 2016.

No projeto inicial, além de uma rotatória de 90 metros de diâmetro (com duas faixas para tráfego e dois viadutos de cerca de 312 metros de extensão fazendo a ligação sertão-praia), será construída uma nova ponte que operará em sentido inverso ao da existente, da ponte sobre o canal do Lagamar.

Acompanhe o caso:

23 de fevereiro – Sindicato de operários pede a interdição de obra na Av. Raul Barbosa após desabamento

23 de fevereiro – Moradores relatam momentos de pavor após tragédia na Av. Raul Barbosa

23 de fevereiro – Crea descarta que chuva tenha causado desabamento de obra na Av. Raul Barbosa

23 de fevereiro – Entenda qual foi o local onde ocorreu o desabamento da ponte em construção no Lagamar

23 de fevereiro – Prefeitura garante que não terá prejuízo financeiro com desabamento de obra na Raul Barbosa

22 de fevereiro – Desabamento nas obras das Avenidas Raul Barbosa e Murilo Borges deixa operários soterrados

22 de fevereiro – AMC orienta que motoristas evitem a Avenida Raul Barbosa

22 de fevereiro – Socorrista foi o primeiro a chegar ao local e relata resgate de vítimas de desabamento

22 de fevereiro – Crea considera falha de escoramento como possível causa do desabamento no Lagamar

22 de fevereiro – Prefeitura notificará empresa responsável pela obra que desabou no Lagamar

22 de fevereiro – Dois operários morrem em desabamento na duplicação da ponte do Lagamar