Detran apreendeu mais de 16 mil veículos no 1º semestre de 2016

IRREGULARIDADES

Detran apreendeu mais de 16 mil veículos no 1º semestre de 2016

Apesar do elevado número, o registro representa uma redução de 60% de apreensões em relação ao mesmo período do ano passado

Por Matheus Ribeiro em Cotidiano

29 de agosto de 2016 às 06:30

Há 3 anos
Detran-ce

Após o prazo estipulado, veículo pode ir à leilão (FOTO: Divulgação)

O número de apreensões de veículos por parte do Departamento Estadual de Trânsito (Detran-Ce) tem diminuído nos últimos meses. Mas o número de veículos tirados de circulação ainda permanece grande. Conforme o órgão, mais de 16 mil motos e carros foram removidos ao estacionamento do Detran de janeiro a junho deste ano em todo o Estado.

De acordo com o Detran-CE a capital cearense lidera o ranking de apreensões. Ao todo, são 1.680 motos e carros rebocados mensalmente. Logo em seguida aparece Juazeiro do Norte, na região do Cariri, com 200 apreensões mensais. Somente neste ano, foram realizadas 6.948 apreensões, contra 42.505 em 2015, uma redução de 60%, em relação ao mesmo período do ano passado.

Em entrevista à rádio Tribuna Bandnews FM, o coordenador da equipe de fiscalização do Detran, Ribamar Diniz, a maioria das apreensões resultam de veículos que transitam com documentação atrasada, como o licenciamento e o seguro DPVAT, ou pessoas que não são habilitadas para conduzir os automóveis. 

“O Detran mobiliza equipes de fiscalização nos três períodos do dia. Os veículos que apresentam irregularidades na sua grande maioria são por não estarem licenciados para trafego”, disse.

Ainda conforme o órgão, cerca de 70% dos veículos são apreendidos por conta da documentação atrasada, 18% por estacionarem em locais proibidos e os 12% restantes por infrações variadas, como transitar com o lacre da placa violado ou conduzir veículo sem habilitação.

No caso de estacionamento proibido, mais comum na capital cearense, caso o motorista estiver próximo do seu carro ou moto, o veículo pode deixar de ser removido, caso não esteja em cima do reboque. No entanto, o condutor do automóveis não será dispensado da autuação.

Retirada do veículo

Conforme o órgão de trânsito, o veículo apreendido pelo agente de fiscalização é levado ao pátio do Detran-CE, e só pode ser retirado 48 horas após o ocorrido e com a pagamento das taxas obrigatórias. Caso o proprietário não retire o veículo, o automóvel poderá ser levado à leilão.

Os documentos necessários para o processo, são: documento de identidade e CPF, com original e cópia. Além disso, é necessário o certificado de registro de veículo e comprovante ou declaração de residência.

O dono do carro ou moto apreendida deve comparecer a uma das sedes do departamento, em Fortaleza, Juazeiro do Norte ou Sobrel, onde estão localizados os depósitos de veículos.

O custo da diária do veículo estacionado no pátio do Detran-CE varia de R$ 11 a R$ 36,94. Já o valor do reboque utilizado na remoção custa a partir de R$ 77,58 a quase R$ 218, dependendo do porto do veículo.

Confira a reportagem completa de Felipe Sampaio para à rádio Jangadeiro FM:

Publicidade

Dê sua opinião

IRREGULARIDADES

Detran apreendeu mais de 16 mil veículos no 1º semestre de 2016

Apesar do elevado número, o registro representa uma redução de 60% de apreensões em relação ao mesmo período do ano passado

Por Matheus Ribeiro em Cotidiano

29 de agosto de 2016 às 06:30

Há 3 anos
Detran-ce

Após o prazo estipulado, veículo pode ir à leilão (FOTO: Divulgação)

O número de apreensões de veículos por parte do Departamento Estadual de Trânsito (Detran-Ce) tem diminuído nos últimos meses. Mas o número de veículos tirados de circulação ainda permanece grande. Conforme o órgão, mais de 16 mil motos e carros foram removidos ao estacionamento do Detran de janeiro a junho deste ano em todo o Estado.

De acordo com o Detran-CE a capital cearense lidera o ranking de apreensões. Ao todo, são 1.680 motos e carros rebocados mensalmente. Logo em seguida aparece Juazeiro do Norte, na região do Cariri, com 200 apreensões mensais. Somente neste ano, foram realizadas 6.948 apreensões, contra 42.505 em 2015, uma redução de 60%, em relação ao mesmo período do ano passado.

Em entrevista à rádio Tribuna Bandnews FM, o coordenador da equipe de fiscalização do Detran, Ribamar Diniz, a maioria das apreensões resultam de veículos que transitam com documentação atrasada, como o licenciamento e o seguro DPVAT, ou pessoas que não são habilitadas para conduzir os automóveis. 

“O Detran mobiliza equipes de fiscalização nos três períodos do dia. Os veículos que apresentam irregularidades na sua grande maioria são por não estarem licenciados para trafego”, disse.

Ainda conforme o órgão, cerca de 70% dos veículos são apreendidos por conta da documentação atrasada, 18% por estacionarem em locais proibidos e os 12% restantes por infrações variadas, como transitar com o lacre da placa violado ou conduzir veículo sem habilitação.

No caso de estacionamento proibido, mais comum na capital cearense, caso o motorista estiver próximo do seu carro ou moto, o veículo pode deixar de ser removido, caso não esteja em cima do reboque. No entanto, o condutor do automóveis não será dispensado da autuação.

Retirada do veículo

Conforme o órgão de trânsito, o veículo apreendido pelo agente de fiscalização é levado ao pátio do Detran-CE, e só pode ser retirado 48 horas após o ocorrido e com a pagamento das taxas obrigatórias. Caso o proprietário não retire o veículo, o automóvel poderá ser levado à leilão.

Os documentos necessários para o processo, são: documento de identidade e CPF, com original e cópia. Além disso, é necessário o certificado de registro de veículo e comprovante ou declaração de residência.

O dono do carro ou moto apreendida deve comparecer a uma das sedes do departamento, em Fortaleza, Juazeiro do Norte ou Sobrel, onde estão localizados os depósitos de veículos.

O custo da diária do veículo estacionado no pátio do Detran-CE varia de R$ 11 a R$ 36,94. Já o valor do reboque utilizado na remoção custa a partir de R$ 77,58 a quase R$ 218, dependendo do porto do veículo.

Confira a reportagem completa de Felipe Sampaio para à rádio Jangadeiro FM: