Crea considera falha de escoramento como possível causa do desabamento no Lagamar


Crea considera falha de escoramento como possível causa do desabamento no Lagamar

Segundo o presidente da instituição, laudo conclusivo só acontece em 30 dias. Sindicato informa que dois operários morreram, mas os corpos seguem soterrados

Por Lyvia Rocha em Cotidiano

22 de fevereiro de 2016 às 22:13

Há 3 anos
(FOTO: Reprodução/TV Jangadeiro)

Desabamento ocorreu na noite da segunda-feira, 22 (FOTO: Reprodução/TV Jangadeiro)

Após o desabamento na obra de duplicação da ponte sobre o canal do Lagamar , o presidente do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Ceará (CREA-CE), o engenheiro civil Victor Frota Pinto concedeu entrevista a Tribuna Band News e falou sobre o ocorrido e o que pode ter ocasionado a queda de parte da obra.

“Não temos como dar um diagnóstico com precisão, pois precisamos fazer uma análise de toda a estrutura. Contudo, quando acontece algo nesse tipo de obra é por falha no escoramento”, afirmou.

Ainda segundo o engenheiro civil, cinco profissionais da instituição estarão nesta terça-feira (23) no local que ocorreu o acidente para a análise. “Tudo será esclarecido dentro de 30 dias quando o laudo conclusivo fica pronto. Depois disso saberemos o que realmente aconteceu para que a estrutura tenha sofrido a queda”, concluiu.

O coordenador do Sindicato da Indústria da Construção de Estradas, Pavimentação e Obras de Terraplanagem do Ceará (Sintepav), Arquimedes Fores, informa que 13 trabalhadores estavam na obra. Destes, oito operários conseguiram sair das ferragens sem ferimentos, três foram encaminhados ao hospital. Desses três, dois já foram liberados com escoriações leves e outro segue em observação, mas o seu estado é estável sem risco de morte. Os outros dois já foram a óbito.

“Estamos dando todo o apoio aos familiares e vamos ficar até o último ser resgatado. Nós estamos tentando apurar o que aconteceu e como podemos auxiliar posteriormente. A nossa grande preocupação é com a vida dos operários”, explicou Arquimedes.

Investimento e prazo da obra

O investimento na obra da construção da rotatória e dos viadutos no cruzamento das Avenidas Raul Barbosa e Murilo Borges começaram em junho de 2015 e o investimento da Prefeitura, financiado com os recursos da Caixa Econômica Federal. O consórcio responsável pela obra de mobilidade urbana é o Grupo Agis e o investimento do pacote de mobilidade urbana (Túnel da Pe. Antônio e Raul Barbosa) é de R$ 48 milhões. A Construtora Ferreira Guedes substituiu outra por não ter documentos necessários para ser responsável pela obra, e a parte de escoramento é da SH Formas, Andaimes e Escoramentos, empresa do Rio de janeiro.

Sendo R$ 17 milhões pro túnel e R$ 31 milhões pra rotatória com viadutos, segundo a Prefeitura. O prazo de entrega da primeira parte da obra seria para setembro de 2016.

No projeto inicial, além de uma rotatória de 90 metros de diâmetro (dotada com duas faixas para tráfego e dois viadutos de cerca de 312 metros de extensão fazendo a ligação sertão-praia), seria construída uma nova ponte que operará em sentido inverso ao da existente, da ponte sobre o Canal do Lagamar.

Acompanhe o caso:

Desabamento nas obras das Avenidas Raul Barbosa e Murilo Borges deixa operários soterrados

AMC orienta que motoristas evitem a Avenida Raul Barbosa

Socorrista foi o primeiro a chegar ao local e relata resgate de vítimas de desabamento

Publicidade

Dê sua opinião

Crea considera falha de escoramento como possível causa do desabamento no Lagamar

Segundo o presidente da instituição, laudo conclusivo só acontece em 30 dias. Sindicato informa que dois operários morreram, mas os corpos seguem soterrados

Por Lyvia Rocha em Cotidiano

22 de fevereiro de 2016 às 22:13

Há 3 anos
(FOTO: Reprodução/TV Jangadeiro)

Desabamento ocorreu na noite da segunda-feira, 22 (FOTO: Reprodução/TV Jangadeiro)

Após o desabamento na obra de duplicação da ponte sobre o canal do Lagamar , o presidente do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Ceará (CREA-CE), o engenheiro civil Victor Frota Pinto concedeu entrevista a Tribuna Band News e falou sobre o ocorrido e o que pode ter ocasionado a queda de parte da obra.

“Não temos como dar um diagnóstico com precisão, pois precisamos fazer uma análise de toda a estrutura. Contudo, quando acontece algo nesse tipo de obra é por falha no escoramento”, afirmou.

Ainda segundo o engenheiro civil, cinco profissionais da instituição estarão nesta terça-feira (23) no local que ocorreu o acidente para a análise. “Tudo será esclarecido dentro de 30 dias quando o laudo conclusivo fica pronto. Depois disso saberemos o que realmente aconteceu para que a estrutura tenha sofrido a queda”, concluiu.

O coordenador do Sindicato da Indústria da Construção de Estradas, Pavimentação e Obras de Terraplanagem do Ceará (Sintepav), Arquimedes Fores, informa que 13 trabalhadores estavam na obra. Destes, oito operários conseguiram sair das ferragens sem ferimentos, três foram encaminhados ao hospital. Desses três, dois já foram liberados com escoriações leves e outro segue em observação, mas o seu estado é estável sem risco de morte. Os outros dois já foram a óbito.

“Estamos dando todo o apoio aos familiares e vamos ficar até o último ser resgatado. Nós estamos tentando apurar o que aconteceu e como podemos auxiliar posteriormente. A nossa grande preocupação é com a vida dos operários”, explicou Arquimedes.

Investimento e prazo da obra

O investimento na obra da construção da rotatória e dos viadutos no cruzamento das Avenidas Raul Barbosa e Murilo Borges começaram em junho de 2015 e o investimento da Prefeitura, financiado com os recursos da Caixa Econômica Federal. O consórcio responsável pela obra de mobilidade urbana é o Grupo Agis e o investimento do pacote de mobilidade urbana (Túnel da Pe. Antônio e Raul Barbosa) é de R$ 48 milhões. A Construtora Ferreira Guedes substituiu outra por não ter documentos necessários para ser responsável pela obra, e a parte de escoramento é da SH Formas, Andaimes e Escoramentos, empresa do Rio de janeiro.

Sendo R$ 17 milhões pro túnel e R$ 31 milhões pra rotatória com viadutos, segundo a Prefeitura. O prazo de entrega da primeira parte da obra seria para setembro de 2016.

No projeto inicial, além de uma rotatória de 90 metros de diâmetro (dotada com duas faixas para tráfego e dois viadutos de cerca de 312 metros de extensão fazendo a ligação sertão-praia), seria construída uma nova ponte que operará em sentido inverso ao da existente, da ponte sobre o Canal do Lagamar.

Acompanhe o caso:

Desabamento nas obras das Avenidas Raul Barbosa e Murilo Borges deixa operários soterrados

AMC orienta que motoristas evitem a Avenida Raul Barbosa

Socorrista foi o primeiro a chegar ao local e relata resgate de vítimas de desabamento