Comprar enxoval para bebê nos Estados Unidos é mais barato do que em Fortaleza


Comprar enxoval para bebê nos Estados Unidos é mais barato do que em Fortaleza

Preço e qualidade convencem cearenses a arrumar as malas em direção a cidades norte-americanas para montar enxovais dos filhos

Por Roberta Tavares em Cotidiano

14 de novembro de 2014 às 08:00

Há 5 anos
Raphaela viajou a Orlando, grávida de 5 meses, para comprar enxoval da tão esperada Liz (FOTO: Arquivo pessoal)

Raphaela viajou a Orlando, grávida de 5 meses, para comprar enxoval da tão esperada Liz (FOTO: Arquivo pessoal)

Pegar um avião rumo aos Estados Unidos para fazer o enxoval do bebê pode parecer ideia extravagante. Apesar do dólar alto, vale a pena encarar um longo voo para conhecer as ofertas de shoppings e outlets com o objetivo de comprar produtos a preços mais baixos do que no Brasil. Leonardo e Raphaela Leitão decidiram se aventurar em Orlando para adquirir o enxoval da tão esperada Liz.

“Tudo o que a gente viu em Fortaleza era muito mais caro, três vezes o preço de lá”, assegura a advogada, que foi a Orlando grávida de 5 meses, exclusivamente para montar o enxoval. A ideia das compras surgiu em novembro de 2013, quando o casal fez uma viagem à cidade, para passear na Disney.

Com a vontade de ser pais apenas na cabeça, resolveram comprar logo carrinho de bebê, berço portátil e bebê conforto. O valor bem abaixo do cobrado no mercado brasileiro chamou a atenção. “Não sabíamos quando íamos ter filho. Coincidentemente dois meses depois, estávamos grávidos. Pensamos então em voltar para comprar as coisas menores”, explica Leonardo.

Logo que o sexo do bebê foi revelado, perceberam que estava na hora de arrumar as malas e… retornar aos Estados Unidos, para passar oito dias comprando. “A gente já sabia o caminho das pedras”, brinca o pai de primeira viagem. Assim como os cearenses, outros casais também aproveitam as pechinchas na terra do Tio Sam. Apenas no grupo de amigos de Leonardo, oito já fizeram a mesma viagem. “Tem muita gente saindo daqui para comprar nos Estados Unidos, e os que não viajam pedem para a gente comprar”.

Diferença de preços

E realmente as compras valem a pena. Do carrinho às roupinhas, das mamadeiras aos brinquedos, nada é mais barato em real se comparado ao dólar. Um kit de três vestidos da loja infantil Carter’s vale US$ 24, o equivalente a R$ 60. Em Fortaleza, em uma loja especializada em roupas de crianças, um vestido para bebê custa de R$ 150 a R$ 200, segundo o empresário. Uma mesma mamadeira, por exemplo, tem o valor de R$ 80 no Brasil e de US$ 7 em Orlando, o equivalente a R$ 17,50.

Leonardo conta que, em determinadas lojas, há ainda funcionários habituados com certos idiomas, como o português e o espanhol, que podem ser contratos por clientes durante um turno. O objetivo é facilitar o encontro dos melhores e mais baratos produtos. “Você leva a lista, e o funcionário vai lá com você. Vi dois casais usando esse serviço”.

Casais viajam ao exterior para montar enxoval
1/6

Casais viajam ao exterior para montar enxoval

Segundo Raphaela, cada cartilha de lacinho custou US$ 5 (FOTO: Arquivo pessoal)

Casais viajam ao exterior para montar enxoval
2/6

Casais viajam ao exterior para montar enxoval

Leonardo e Raphaela foram a Orlando e gastaram, em média, US$ 4 mil (FOTO: Arquivo pessoal)

Casais viajam ao exterior para montar enxoval
3/6

Casais viajam ao exterior para montar enxoval

Leonardo e Raphaela foram a Orlando e gastaram, em média, US$ 4 mil (FOTO: Arquivo pessoal)

Casais viajam ao exterior para montar enxoval
4/6

Casais viajam ao exterior para montar enxoval

Leonardo e Raphaela foram a Orlando e gastaram, em média, US$ 4 mil (FOTO: Arquivo pessoal)

Casais viajam ao exterior para montar enxoval
5/6

Casais viajam ao exterior para montar enxoval

Leonardo e Raphaela foram a Orlando e gastaram, em média, US$ 4 mil (FOTO: Arquivo pessoal)

Casais viajam ao exterior para montar enxoval
6/6

Casais viajam ao exterior para montar enxoval

Um vestidinho de 2 anos por US$ 20. O carrinho com o bebê conforto custou US$ 270 (FOTO: Arquivo pessoal)

Gastos

Os cearenses calculam ter investido US$ 4 mil nas compras do enxoval, em roupas que servirão a Liz até os 3 anos de vida, acessórios, brinquedos, pomadas e cremes infantis para o dia a dia, além de presentes para os filhos dos amigos. Eles encheram as malas. “Com certeza, o que economizamos nessas compras pagou pelo menos as passagens. Uma delas compramos com milhas, a outra custou R$ 1,7 mil ida e volta. Sem contar que a hospedagem é super barata”, lembra Raphaela.

Seja no outlet, no shopping ou lojas de rua, uma boa dica para economizar nas compras é buscar cupons de desconto na internet ou nas lojas físicas. De acordo com o empresário, os cupons podem ser impressos e usados na hora. Alguns são inclusive cumulativos. “Se você fizer cadastro nos sites das lojas, ganha mais desconto ainda, que pode chegar até a 20%”.

O único ponto negativo das compras, segundo o casal, seria a impossibilidade de trocar, em caso de defeitos. Afinal, fica meio complicado viajar a outro país a fim de reclamar de alguma peça defeituosa. Mesmo assim, Raphaela assegura que nenhum produto veio defeituoso. Muitos eles nem testaram antes de comprar. “Não tivemos nenhum problema. Veio tudo perfeito. A maior vantagem é a qualidade, infinitamente melhor”.

Já com o enxoval da bebê garantido, o casal afirma que tudo vale a pena: a viagem, as compras, os passeios e os momentos a sós. Dificilmente tirariam uma semana em Fortaleza apenas para fazer as compras. “A gente curtiu um momento só nosso e ainda economizou”, comemora a mãe de Liz – que nasceu no último sábado, em 10 de novembro.

Administrando as compras

Assim como Leonardo e Raphaela, o casal de administradores Hilton e Marcele também teve a mesma ideia. A diferença foi que Hilton viajou sozinho em direção aos Estados Unidos. Marcele já estava com sete meses de gravidez e impossibilitada de realizar viagem tão grande… e cansativa. “Ele foi sozinho, mas quem fez a lista fui eu”, conta. O valor desembolsado para comprar carrinho bebê conforto, berço portátil, roupinhas, pomadas e brinquedos não chegou a US$ 5 mil.

A administradora comparou certos preços antes de arrumar as malas de Hilton para a aventura. Um bebê conforto, por exemplo, custa R$ 600 em Fortaleza e US$ 100 em Orlando. Para comprar um berço portátil, gastaria R$ 500 na capital cearense e US$ 100 na cidade norte-americana. Enquanto uma babá eletrônica é comprada por R$ 800 no Brasil, nos EUA ela custa apenas US$ 80. “Como a gente viaja bastante, muitas coisas trouxemos aos poucos. Ele foi só para trazer roupa, pomada e artigos menores.  Compramos roupas para a Maria Helena até que ela completasse 1 ano de idade”, conclui a mãe de Maria Helena, que já tem 10 meses de vida e um enxoval enorme só para ela.

E as malas?

Uma dica importante, segundo os papais e mamães que foram montar enxoval nos Estados Unidos é controlar o peso dos produtos e ter noção de que as companhias aéreas têm limite de peso de bagagem. Em relação à alfândega, é melhor não ignorar as regras da Receita Federal, para não transformar as melhores compras da viagem em um grande prejuízo.

Publicidade

Dê sua opinião

Comprar enxoval para bebê nos Estados Unidos é mais barato do que em Fortaleza

Preço e qualidade convencem cearenses a arrumar as malas em direção a cidades norte-americanas para montar enxovais dos filhos

Por Roberta Tavares em Cotidiano

14 de novembro de 2014 às 08:00

Há 5 anos
Raphaela viajou a Orlando, grávida de 5 meses, para comprar enxoval da tão esperada Liz (FOTO: Arquivo pessoal)

Raphaela viajou a Orlando, grávida de 5 meses, para comprar enxoval da tão esperada Liz (FOTO: Arquivo pessoal)

Pegar um avião rumo aos Estados Unidos para fazer o enxoval do bebê pode parecer ideia extravagante. Apesar do dólar alto, vale a pena encarar um longo voo para conhecer as ofertas de shoppings e outlets com o objetivo de comprar produtos a preços mais baixos do que no Brasil. Leonardo e Raphaela Leitão decidiram se aventurar em Orlando para adquirir o enxoval da tão esperada Liz.

“Tudo o que a gente viu em Fortaleza era muito mais caro, três vezes o preço de lá”, assegura a advogada, que foi a Orlando grávida de 5 meses, exclusivamente para montar o enxoval. A ideia das compras surgiu em novembro de 2013, quando o casal fez uma viagem à cidade, para passear na Disney.

Com a vontade de ser pais apenas na cabeça, resolveram comprar logo carrinho de bebê, berço portátil e bebê conforto. O valor bem abaixo do cobrado no mercado brasileiro chamou a atenção. “Não sabíamos quando íamos ter filho. Coincidentemente dois meses depois, estávamos grávidos. Pensamos então em voltar para comprar as coisas menores”, explica Leonardo.

Logo que o sexo do bebê foi revelado, perceberam que estava na hora de arrumar as malas e… retornar aos Estados Unidos, para passar oito dias comprando. “A gente já sabia o caminho das pedras”, brinca o pai de primeira viagem. Assim como os cearenses, outros casais também aproveitam as pechinchas na terra do Tio Sam. Apenas no grupo de amigos de Leonardo, oito já fizeram a mesma viagem. “Tem muita gente saindo daqui para comprar nos Estados Unidos, e os que não viajam pedem para a gente comprar”.

Diferença de preços

E realmente as compras valem a pena. Do carrinho às roupinhas, das mamadeiras aos brinquedos, nada é mais barato em real se comparado ao dólar. Um kit de três vestidos da loja infantil Carter’s vale US$ 24, o equivalente a R$ 60. Em Fortaleza, em uma loja especializada em roupas de crianças, um vestido para bebê custa de R$ 150 a R$ 200, segundo o empresário. Uma mesma mamadeira, por exemplo, tem o valor de R$ 80 no Brasil e de US$ 7 em Orlando, o equivalente a R$ 17,50.

Leonardo conta que, em determinadas lojas, há ainda funcionários habituados com certos idiomas, como o português e o espanhol, que podem ser contratos por clientes durante um turno. O objetivo é facilitar o encontro dos melhores e mais baratos produtos. “Você leva a lista, e o funcionário vai lá com você. Vi dois casais usando esse serviço”.

Casais viajam ao exterior para montar enxoval
1/6

Casais viajam ao exterior para montar enxoval

Segundo Raphaela, cada cartilha de lacinho custou US$ 5 (FOTO: Arquivo pessoal)

Casais viajam ao exterior para montar enxoval
2/6

Casais viajam ao exterior para montar enxoval

Leonardo e Raphaela foram a Orlando e gastaram, em média, US$ 4 mil (FOTO: Arquivo pessoal)

Casais viajam ao exterior para montar enxoval
3/6

Casais viajam ao exterior para montar enxoval

Leonardo e Raphaela foram a Orlando e gastaram, em média, US$ 4 mil (FOTO: Arquivo pessoal)

Casais viajam ao exterior para montar enxoval
4/6

Casais viajam ao exterior para montar enxoval

Leonardo e Raphaela foram a Orlando e gastaram, em média, US$ 4 mil (FOTO: Arquivo pessoal)

Casais viajam ao exterior para montar enxoval
5/6

Casais viajam ao exterior para montar enxoval

Leonardo e Raphaela foram a Orlando e gastaram, em média, US$ 4 mil (FOTO: Arquivo pessoal)

Casais viajam ao exterior para montar enxoval
6/6

Casais viajam ao exterior para montar enxoval

Um vestidinho de 2 anos por US$ 20. O carrinho com o bebê conforto custou US$ 270 (FOTO: Arquivo pessoal)

Gastos

Os cearenses calculam ter investido US$ 4 mil nas compras do enxoval, em roupas que servirão a Liz até os 3 anos de vida, acessórios, brinquedos, pomadas e cremes infantis para o dia a dia, além de presentes para os filhos dos amigos. Eles encheram as malas. “Com certeza, o que economizamos nessas compras pagou pelo menos as passagens. Uma delas compramos com milhas, a outra custou R$ 1,7 mil ida e volta. Sem contar que a hospedagem é super barata”, lembra Raphaela.

Seja no outlet, no shopping ou lojas de rua, uma boa dica para economizar nas compras é buscar cupons de desconto na internet ou nas lojas físicas. De acordo com o empresário, os cupons podem ser impressos e usados na hora. Alguns são inclusive cumulativos. “Se você fizer cadastro nos sites das lojas, ganha mais desconto ainda, que pode chegar até a 20%”.

O único ponto negativo das compras, segundo o casal, seria a impossibilidade de trocar, em caso de defeitos. Afinal, fica meio complicado viajar a outro país a fim de reclamar de alguma peça defeituosa. Mesmo assim, Raphaela assegura que nenhum produto veio defeituoso. Muitos eles nem testaram antes de comprar. “Não tivemos nenhum problema. Veio tudo perfeito. A maior vantagem é a qualidade, infinitamente melhor”.

Já com o enxoval da bebê garantido, o casal afirma que tudo vale a pena: a viagem, as compras, os passeios e os momentos a sós. Dificilmente tirariam uma semana em Fortaleza apenas para fazer as compras. “A gente curtiu um momento só nosso e ainda economizou”, comemora a mãe de Liz – que nasceu no último sábado, em 10 de novembro.

Administrando as compras

Assim como Leonardo e Raphaela, o casal de administradores Hilton e Marcele também teve a mesma ideia. A diferença foi que Hilton viajou sozinho em direção aos Estados Unidos. Marcele já estava com sete meses de gravidez e impossibilitada de realizar viagem tão grande… e cansativa. “Ele foi sozinho, mas quem fez a lista fui eu”, conta. O valor desembolsado para comprar carrinho bebê conforto, berço portátil, roupinhas, pomadas e brinquedos não chegou a US$ 5 mil.

A administradora comparou certos preços antes de arrumar as malas de Hilton para a aventura. Um bebê conforto, por exemplo, custa R$ 600 em Fortaleza e US$ 100 em Orlando. Para comprar um berço portátil, gastaria R$ 500 na capital cearense e US$ 100 na cidade norte-americana. Enquanto uma babá eletrônica é comprada por R$ 800 no Brasil, nos EUA ela custa apenas US$ 80. “Como a gente viaja bastante, muitas coisas trouxemos aos poucos. Ele foi só para trazer roupa, pomada e artigos menores.  Compramos roupas para a Maria Helena até que ela completasse 1 ano de idade”, conclui a mãe de Maria Helena, que já tem 10 meses de vida e um enxoval enorme só para ela.

E as malas?

Uma dica importante, segundo os papais e mamães que foram montar enxoval nos Estados Unidos é controlar o peso dos produtos e ter noção de que as companhias aéreas têm limite de peso de bagagem. Em relação à alfândega, é melhor não ignorar as regras da Receita Federal, para não transformar as melhores compras da viagem em um grande prejuízo.